rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

sábado, setembro 27, 2008

Fernando Nobre, a nobreza sem fronteiras!

O médico altruísta que faz da nobreza de carácter uma forma de vida.


O QUE DIZ FERNANDO NOBRE


Milhões a chamar por mim
Não resisto ao meu fadário
Apóstolo serei, sim,
Apóstolo e missionário.


Há milhões desesperados
Neste mundo sem justiça
Na morte lenta lançados
Subprodutos da cobiça...


Capitalismo selvagem
Ferida dilacerando
Na sua iníqua voragem
A morte vai semeando.


Gente faminta de pão
De saúde tão carente
Bolsas de miséria são
Há que salvar esta gente.


Não posso ficar parado
Quando a dor abre os seus braços
Lá vou, guardião-soldado
Sem saudades nem cansaços.

1 Comments:

Blogger Tere said...

que poema lindo,solidario,e nobre.bela postagem!beijos tere.

8:34 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home