rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

domingo, fevereiro 19, 2017

Acabado Silva também publica as suas memórias!!!






Portuguesas & Portugueses:

Eu, Acabado Silva, sinto-me coagido, por um imperativo moral e cívico, imbuído de espírito patriótico, a prestar contas ao meu país. é que o meu sósia, esse fingidor de Boliqueime não teve a dignidade de me mencionar nas suas memórias!.
Enfim, tratou-se como um zero, e isso não admito! 
Eu, Acabado Silva, sou de contas. Devo dizer que atacar Sócrates revelando conversas particulares é anti-ético, anti-deontológico, enfim imoral!!! Sócrates viveu na sombra do fingidor, ele pôs-lhe sempre (ou quase) a mão por baixo... e bastava tirá-la para o outro caír. Isto é da física, não é preciso ser um Newton para o perceber! Ele, fingidor de Boliqueime foi o responsável em última instância de tudo! Mas vem, lançar o bode expiatório para o compagnon de route!
Aquela da plantação da notícia das escutas no Público também está mal contada. O mandante e o mandatário foram ingénuos. atiraram a pedra e esconderam a mão. JMF, do Público,  ficou com a batata quente não mão, sobretudo depois de Mário Crespo ter dito, na TV que o fingidor  havia conseguido um consenso nacional contra si, com a explicação dada no day after!!!

E o meu sósia foi digno de anedotário quando afirmou que os seus conselheiros o mandaram falar e nada dizer!!! 
E ele, em vez de verberar o carácter ,  a falta de honestidade intelectual e de frontalidade dos seus conselheiros seguiu à letra o conselho!!!
Depois de prometer, em plena  campanha eleitoral,  que diria tudo sobre o assunto  após as eleições, a montanha pariu um rato!!! e que ratinho, meu Deus!

Enfim  o meu sósia foi longe demais! O político mais em destaque nos últimos trinta anos, de forma hábil (esperta ou astuta...) atribuía sempre a culpa aos "políticos", como se ele não fizesse parte do rol. E saía-se bem nessa arte de fingimento. Sócrates,  se esteve tempo demais na governação, a ele o deve. De facto, a não realização de certas obras faraónicas deveu-se à massa crítica do país, à oposição e aos independentes lúcidos. O meu sósia habilmente apropriou-se disso. Enfim, falar do BES ou das acções do BPN era melindroso e expunha as suas feridas. 

Sócrates tratava-o com desdém e astúcia, se bem me lembro, ao ser apanhado ao telefone dizia mais ou menos isto:«dá-se uma rádio ao genro e o avozinho fica em casa a brincar com os netos!"

Não deram uma rádio mas o BES contribuiu, e de que maneira, para a dádiva do Pavilhão Atlântico! e o avozinho só dizia bem, só cantava hossanas, só tecia loas à  instituição que estava na falência e no descalabro. Fez  panegíricos  e esgrimiu argumentos favoráveis e laudatórios  (induzindo em erro tantos portugueses, os famosos "lesados do BES") até ao último suspiro do embuste!!!

Eu, Acabado Silva, sinto-me também lesado e o meu bom nome e honra  foram usados para se pavonear. Razão tinha Nuno Brederode dos Santos, que, num excepcionál artigo no Expresso, intitulado "a explicação do pássaro" põe a nu de forma magistral,  as contradições e as manhas da criatura....
Nunca se assumiu como "político", ele, era apenas e tão só,  um lúcido e clarividente "economista" que, no dizer sabujo e calculista de Luís Delgado,  era tão competente e tão sabedor que até adivinhava os ciclos económicos!!!

quarta-feira, fevereiro 15, 2017

J, Narciso anda aí no facebook!!!

Ele anda por aí. Sempre com a imodéstia do costume, a linguagem petulante e rebuscada que o tipificam e  lança no ar baforadas de presunção. Ele é o inconfundível J. Narciso. Nasceu na terra X mas agora, na terra Y, já absorveu por osmose as virtualidades das suas gentes e gaba-se da sua coragem e da sua generosidade. Dá-se ares de sábio, um quase-génio, no limiar da  luminária. Não usa gravata, contudo, utiliza palavras engravatadas que busca, com a volúpia de um cão pisteiro, nos escaninhos encardidos da memória. Para impressionar papalvos, para se autoincensar. Sim, ele considera-se  um mestre na sabedoria, na prudência, na coragem. Pela noite fora, já meio alucinado pelos vapores de Baco, para impressionar plateias, começa a telefonar para este e para aquele, dizendo banalidades, com o único fito de chamar a atenção dos presentes para a sua constelação de amizades. ele é o jogador, X, o treinador Y, o maestro Z, a apresentadora M, o actor C, o presidente da câmara B..
Enfim, põe-se em bicos de pés e atinge o ridículo com frequência. Liga a Fulano  a pedir opinião sobre o título do próximo livro: «que achas, Monte de Vénus será aliciante»?  Cloaca de Pandora, será mais apelativo? Buceta de betão armado não atrairá mais leitores?Depois, sempre tendo por finalidade última impressionar a plateia, liga ao Zé do Talho, a perguntar se poderá contar com o seu voto na próxima campanha eleitoral! Para P.R., claro. Dentre as suas megalomanias sobressai esta,  di-lo com inusitada frequência! e os amigos galhofam sem que  ele se aperceba do ridículo!
É assim o brejeiro e pitoresco J. Narciso. Pertence  àquela esquerda caviar que apregoa certos princípios mas  que pratica precisamente o contrário. Gaba-se de ter isto, ter aquilo, exibe a marca do carro a  toda a gente,  mostra recordações de hotéis que visitou, fotografias de gente da alta, para exibir estrelato, postura de estrela, aura de génio! Estilo "encosta-te às estrelas, serás uma delas"!
Enfim, no  vasto rol dos exibicionismos patetas inclui figuras sonantes da  política, do teatro, da bola, do jornalismo, enfim, o populismo numa expressão bizarra e sui generis do termo.
Por vezes tem atitudes patéticas. Quando se refere ao seu órgão sexual diz:«a minha águia pesqueira". Pendura-se nas instituições como aquelas ervas daninhas ou as trepadeiras que parasitam as árvores de grande porte para melhor sobreviverem e medrarem. Pede aos amigos para lhe comprarem os livros e sugere que metam na contabilidade como despesas disto e daquilo...
Enfim, um cromo na plenitude abrangente do termo. Tem uma obsessão: quer que o tenham na conta de macho! Tem complexos e medos que procura colmatar exibindo de forma exaustiva e já fastidiosa jovens  beldades que se julgam promovidas por tal exibição ao lado do cromo da moda. Muito embora diga odiar a pedofilia tem um fraquinho pela corruptofilia. Enconsta-se a alguns, na mira de colher dividendos, cobrindo-os de virtualidades, fazendo invocar de forma inusitada a gratidão que nutre por eles. Havendo uma bebida espirituosa à mão, não é parco em elogios, em salamaleques, em discursos absolutórios, em louvaminhas sabujas, em loas grandiloquentes...
Não, não se considera vaidoso, isso são os outros,  os que ele considera invejosos,ele só tem aquela noção exata de autoestima, aquele sentimento de superioridade rácica  que fez dos nazis aquela máquina de triturar seres humanos. Ele, J. Narciso, gosta de malhar forte e feio nalguns__às vezes fá-lo a troco de dinheiro,  ou simples sinecuras, já o confessou__ contudo, diz que gosta muito de gente...Cuidado, o que seria se não gostasse...

terça-feira, fevereiro 14, 2017

Entrevista com Deus Baco!




Não tenho preconceitos. Já fui ao céu entrevistar pessoas (almas), porque não ir ao Olimpo? Eu acredito na existência dele. Camões escreveu sobre  os deuses e ainda hoje é venerado numa pátria católica apostólica, romana. Enfim, o olimpo existe nem que seja no nosso imaginário coletivo. Ora, o deus Baco, ainda hoje com tantos cultores, deve ser um bom entrevistado. Não me enganei. Ouçam-no de viva voz: Ele sabe-a toda!

__Então Baco, Vossa Divindade tem muito sucesso aqui no olimpo?
__ Nem queiras acreditar! Tenho sido venerado por todos e por todas as almas aqui gozando do esplendor da luz perpétua! Sou o deus mais popular!
__Mas Júpiter, o deus dos deuses, Marte, o deus da guerra, Vénus, a deusa do amor, são menos populares do que Vossa Divindade?!

__É óbvio que sim! Eu tenho o condão de fazer esquecer e isso é cada vez mais necessário neste nosso universo carregado de maleitas e de más notícias...Alguns dizem que eu sou o deus da alienação, mas eu sinto que sou motivação, sou exaltação, sou plenitude espiritual!
__Na Terra ainda sois venerado e tendes seguidores?!

__ Se tenho, sou usado nos principais eventos, nas festividades mais exaltantes, nas vitórias políticas, nos êxitos desportivos, nos festivais de música, nas festas de aniversário, até nas festas religiosas da Igreja Católica eu sou omnipresente!Festa religiosa sem mim__ seja S~.João, S~. Pedro ou Santo António__não é festa , eu sou a Verdade, o Bem, a Virtude!

__Então eu julgava que hoje em dia  era preciso avivar a memória, que isso era uma forma de identificar e unir os povos em torno dos seus feitos, as famílias em redor dos seus antepassados, mas essa de alienar, esquecer, é muito curiosa...Dantes falava-se em assuntos que relevavam a importância da memória: «A História é a mestra da vida», «povo com memória curta é povo sem carácter», «cesteiro que faz um cesto faz um cento», «todas as causas nas mesmas circunstâncias produzem os mesmos efeitos», «A História repete-se!», enfim, o apelo à memorização era uma virtude, mas agora essa do esquecimento deixa-me de pé atrás...

__Olha, os políticos são especialistas nisso. querem a memória para avivar os seus feitos, as suas obras, os seus momentos grandiosos, mas precisam também de mim para alienar as massas, esquecendo os seus pecados, as suas manobras eleitoralistas, as suas diabruras para enriquecer e sonegar o produto do saque ao erário público com mestria...Coitado do juíz Carlos Alexandre que nunca mais vai descobrir as diabólicas teias dos dinheiros da operação Marquês envolvendo tantos e tão sofisticados trambiqueiros.  Depois, quando acabar o seu  fadário, vai ter de esquecer, de apagar o stress, vai ter de recorrer a mim, para esquecer o trabalho quixotesco em que se envolveu. Um povo com memória curta vai esquecer este homem de honra e  de carácter, certamente, talvez endeuse os  salafrários que levaram Portugal à ruína e ainda se arvoram em vítimas...

__Conheço um  político que está sempre a pedir aos adversários que esqueçam as suas malfeitorias, as suas mentirolas, os seus tiques de soba, de cacique manhoso, mas, pelo contrário, faz um apelo sistemático e já fastidioso,  à memória,  para se endeusar com os seus feitos, as suas grandiosas obras, as suas faiscantes  condecorações, as suas colossais entrevistas...Obrigado Baco, percebi a essência da tua mensagem. Guardá-la-ei na memória! Para sempre! Há coisas que nem Baco faz esquecer!

sábado, fevereiro 11, 2017

RIO AVE


Foi  miserável o caudal de suspeições lançado sobre o brio e honestidade dos atletas do Rio Ave F.C, só porque um apostador chinês resolveu apostar forte( no jogo PLACARD) na vitória do Feirense no fim de semana passado... Foi deliberado anular esse jogo para efeitos de apostas pelas suspeições levantadas. O Feirense de facto viria a ganhar por 2-1...

Foram tresentos mil euros que o chinês perdeu (apostou cem mil euros) !

Imagine-se que agora, no início de nova ronda, alguém se lembra de apostar forte no Arouca que vai à Luz defrontar o Benfica? E se os montantes forem elevados?!
E se o volume de apostadores fordigno de causar suspeições?!
E digo Benfica porque nada existe ao acaso. Jonas o  seu melhor marcador foi aliciado por um clube chinês para emigrar para lá auferindo um vultuoso ordenado, cerca de cinco milhões por ano. O Benfica terá tendência a travar o negócio pois só receberá pelo passe cerca de cinco milhões.
O jogador, que tem sido o abono de família das águias (o ano passado foi o melhor marcador) pode entrar desmotivado e preocupado com as lesões.
Depois, há jogo europeu na pr´oxima semana, ninguém se quer lesionar.
Enfim uma mistura explosiva que poderá dar asas aos arouquenses!
O emnpate ou a vitória dos arouquenses vale bom dinheiro!!!

O Rio Ave F.C. vai defrontar o Marítimo que não é pera doce. o empate é o resultado mais provável. contudo, uma vitória do Marítimo, que com o vila-condense Daniel Ramos ao leme  tem tido uma aura vencedora  poderá fazer surpresa.

quinta-feira, fevereiro 09, 2017

OBSCENIDADES!!!

Na argentina há uma polémica  efervescente. A lei proibe obscenidades. A polícia entende que mulheres na praia apanhando sol em topless é obscenidade! Os juizes estão divididos!
Elas vieram para a rua manifestar o direito a exibir os mamilos tal qual os homens o fazem! é um direito natural!
O preconceito e o fundamentalismo estão a emergir. Elas vieram à rua e segundo o Diário de Notícias manifestaram-se de forma pacífica mas humorística! VER AQUI!

Pergunta: Se uma mulher muito magra, subnutrida, com os peitos ressequidos e pendentes, os exibir na praia, será obscenidade?!
A maior obscenidade é a injustiça social, a miséria, a fome. Políticas e práticas de corrupção que levam os países à miséria e não são devidamente punidas é que são OBSCENIDADES!!!

terça-feira, fevereiro 07, 2017

Isto é uma República!!!



Tanta volúpia mamária
Pode ser um mau sinal
Seja a mama camarária
Ou a mama nacional.

Tão grande mama é chocante
Dá do país  falsa ideia:
P'ra uns, só quarto minguante
P'ra outros,  é lua cheia!

Mama assim não dá p'ra todos
Já dizia a minha avó
Uns, é só dinheiro a rodos
Outros, pobreza de Job!

Mama a todos por igual
É democracia pura
Por este andar, Portugal
Caminha p'rá ditadura!

terça-feira, janeiro 24, 2017

IRONIAS DE JANUS





O país anda atónito. O povo estupefacto. A estranja olha para nós com um misto de indignação e de comiseração...
E o caso não é para menos.
Então não querem saber que se descobriu um novo surto de terrorismo, tendo  origem cá em Portugal?
Ameaça alastrar e gerar efeitos pandémicos. Há que travar já o flagelo, como se fosse uma peste negra.
Este afloramento tem contornos sui generis: é o terrorismo justicialista, aliado ao terrorismo jornalístico! Aquele dá o mote, este, amplia-o, dá-lhe contornos catastrofistas, virais, infernais!
Uns juízes cinzentões, estilo manga de alpaca, funcionários públicos sem alma, atrevem-se a enxovalhar banqueiros e políticos com insinuações absurdas e concatenações diabólicas, só por inveja, por ódio.
Nada de concreto, nada de substancial, apenas fazem umas extrapolações, umas conexões maldosas, para extrairem conclusões apocalíticas que ferem a honra e bom nome de pessoas de bem, que se dedicaram à causa pública de alma e coração. Imagine-se que até.
 a generosidade (excessiva, segundo os tacanhos juizes) é contestada em moldes completamente iníquos! Ajudar mulheres carentes onde foi crime?!Cristo não ajudou Maria Madalena, perante a ira dos fariseus? Passa-se agora o mesmo cenário! Ipsis verbis!
Pessoas honestas, com carradas de honra,  prenhes de  bom nome, veneráveis e venerandas,  a serem postas em xeque por ignóbeis criaturas cuja imaginação delirante as perturba e dá azo a insanidades sem conta. Os jornais (alguns, entenda-se) parecem cães de fila, farejando rastos e pistas lançadas pelos imprudentes  juizes. Outros, não, pois são superiormente liderados por pessoas de bem, com respeito, autênticos generais prussianos que nunca se amotinam por mais trapalhadas que surjam no horizonte.  Estes sim,  são fiéis, os outros, infiéis,  no limiar da mais ominosa criminalidade. Patológicas criaturas ombreando com os seus mentores, os juizes! Dá que pensar! A inveja é a mãe de todos os vícios!
Que fazer? Perante este cenário dantesco e   podendo estar  em causa a saúde mental da população, __as instituições ameaçam colapsar, o próprio regime, poderá (como aconteceu com o Estado Novo) entrar em implosão,__ há que tomar medidas enérgicas sem medos nem tibiezas! é uma calamidade pública!
A questão é gravissima!  com a saúde pública não se brinca. A saúde mental da população começa a estar em jogo. Há que tomar medias. Pôr em tratamento psiquiátrico esses juizes e esses jornalistas que são vítimas de esquizofrenia aguda  e, isso sim, são uma ameaça para a estabilidade, são fonte permanente de crispação. O PR já alertou para isso...A crispação é fonte de instabilidade, causa danos colaterais, inibe o investimento estrangeiro, agita os mercados financeiros...

Homens bons, que patrocinaram com rios de dinheiro o futebol, essa religião sacrossanta que anima o povo, que prendaram escritores de bem, com respeito, muito respeito ao poder e às instituições, são agora, vilipendiados, enxofrados de forma vil, com uma devassa insana ao seu modus actuandi em prol de engenharias financeiras modernas  onde a generosidade sem fronteiras impera.  
A inveja, essa erva daninha precisa de ser erradicada, já, antes que alastre a outras profissões. O ódio, um ódio visceral ao que é moderno e ao que é sofisticado, manifesta-se nesses indivíduos que visam única e exclusivamente o terror para intimidar, paralisar. Mas jamais cederemos ao terror, jamais capitularemos perante o ódio, nem nos deixaremos abater por tais criaturas sem alma, sem carisma, uns cinzentões armados em estrelas refulgentes. Só conseguem fama__ essa ambição desmedida é norteada pelo desejo  insano de serem famosos, já se vê.__ .à custa do ataque miserável a pessoas de bem, gente com passado, que fez coisas. Que fizeram eles até agora? Nada, de nada, só mexem e remexem em papeis, em computadores, em telefones e gravadores. Nunca fizeram estradas, nem pontes, nem piscinas, nem campos de futebol. Uns parasitas, uns invejosos num estado demencial. a precisarem de tratamento e internamento urgente.!!!
Contudo, o povo é fixe, é sereno, o  povo não se deixará contaminar. Já deu a sua decisão: juizes e jornalistas para otratamento psiquiátrico
Banqueiros e políticos, que sejam condecorados, louvados em estátuas e livros, muitos livros, onde o seu carisma e o seu fulgor mediático sejam enaltecidos e que o povo os guarde para sempre no esplendor da sua  eterna gratidão!

R. de Barros
Nota: para ler com óculos de ironia...