rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

terça-feira, setembro 19, 2017

VERDADES E SEGREDOS!!!

Portugal onde a corrupção é o maior cancro , está nas bocas do mundo. VER AQUI.
A compra de "brinquedos" caríssimos visa alimentar as elites dirigentes e dar comissões ocultas. A eficácia é coisa que não se vislumbra. O país está a arder todos os anos e a Força Aérea nem sequer está autorizada a combater os fogos. Há negociatas que se impõem. Os submarinos comprados aos alemães foi um bom negócio para os alemães. Nós ficamos com dois elefantes brancos que não servem para quase nada...

Os americanos cortam-nos na casaca e pelo que vemos com carradas de razão. O país vive aflições atrás de aflições e  somos dirigidos por uma elite que tem apenas no "carreirismo" silencioso e calculista a mola propulsora de tudo.  A ambição mesquinha, o egoísmo, o espírito de ganância são os leit-motivs desta pseudoelite que nos vai atirando para o pântano do subdesenvolvimento.

Corrupção e mais corrupção (à esquerda e à direita, valha-nos Deus, ela é omnipresente!) como pano de fundo.  Como sair desta engrenagem diabólica que tudo devora e tudo corrompe?!
Nem um golpe de Estado se pode fazer pois as Forças Armadas estão narcotizadas e capturadas pelo clima calculista e mercenário dominante. Enfim, Portugal afunda-se aos poucos e tudo de mãos atadas...

E os próprios magistrados falam de medo e de "alçapões"!!! VER AQUI

quinta-feira, setembro 07, 2017

Quem ganhará?!!!!


A corrida eleitoral em Vila do Conde está renhida. Depois da saída de cena dos independentes Luis Vilela e  João Amorim, ficaram cinco. A CDU e o BE têm reduzida implantação no concelho e tudo indica que o voto útil poderá fazer-se sentir.  Assim, restam as três principais candidaturas: NAU (liderada pela Dra Elisa Ferraz), PSD/CDS (liderada por Constantino Silva e PS (liderada por António Caetano).

Não será uma disputa fácil e o vencedor  não se descortina com facilidade. Sabemos que o PS tem um forte apoio, contudo, o candidato, pelo seu passado ligado a posições ideológicas da área comunista, poderá ter alguns anticorpos, num município onde a Igreja  Católica tem forte implantação. Reconheço que são anticorpos preconceituosos mas existem de facto. O próprio Engº Mário de Almeida pelo papel pouco ético desempenhado no passado recente (VER AQUI) poderá ser não um cartaz de propaganda,  mas, à contrario sensu, mais um camartelo demolidor  desta candidatura.

A candidatura da atual Presidente, Dra Elisa Ferraz,  tem patenteado grande vitalidade e mostra que gerou simpatias e apoios em todo o concelho devida a uma atuação discreta onde a vertente financeira foi muito aplaudida, pois reduziu substancialmente a divida (de 57 para trinta e seis milhões) conseguindo diminuir o esforço financeira dela resultante, por uma inteligente manobra de diluição no tempo. O apoio da Igreja Católica e das instituições de solidariedade social,  também é notório,  atentas as suas  simpatias nesta área. Tem carácter, espírito aguerrido e uma vitalidade sempre em alta. O não enfeudamento a nenhuma força partidária dá-lhe liberdade e autonomia em relação a lóbis e grupos de pressão sempre susceptíveis de engendrar focos de corrupção e compadrio.

O Engº Constantino Silva tem tido alguma dificuldade, mas é uma pessoa simples, honesta, dinâmica,  e poderá surpreender. Muito embora a sua popularidade não se equipare à dos outros dois, pode subir,  se for mais determinado e assertivo nas suas intervenções. Não precisa de ser populista, mas em termos de acutilância e capacidade argumentativa tem de ser mais ágil e arguto. Só assim conseguirá ultrapassar este dificil obstáculo.
Zurzir no PR __quando está com a popularidade robusta__ pode agradar aos radicais mas nunca aos independentes, que são segmento decisivo nos momentos de decisão final. Não deve temer falar do futuro, nem do passado (alguns temem-no,  e sabe-se bem porquê).

Que ganhe o melhor são os meus votos.

terça-feira, setembro 05, 2017

ATÉ O NERO VAI PARA O CÉU!!!

Oração e agradecimento ao Papa Francisco (Ficção):

«Bondoso e magnânimo Papa Francisco,

Quero testemunhar o meu agradecimento em meu nome pessoal e do meu fiel amigo, o Nero,  pois ficamos satisfeitos pela notícia que revelaste ao mundo. Sim, o mundo acordou alvoroçado, já nada é como dantes. Agora, segundo a tua santa doutrina os animais vão para o céu. O meu Nero, que tanto adoro, como se fosse um familiar próximo, irá direitinho para o céu. Acredito em ti, na tua infalibilidade, na tua honorabilidade, no teu imenso saber, na tua quase omnisciência.

Dantes eu tinha medo de o perder para sempre. Agora não, até na eternidade terei a sua companhia. E sem condições! É formidável, ele não precisa de ir à missa, não precisa de se confessar ou de ir à comunhão, nem pagar côngruas. Ele vai direitinho para o céu Fácil, barato, uma dádiva divina!


Mas, pensando bem, os crentes nas outras religiões__ todos animais__ irão também para o céu, segundo a tese que publicitaste urbi et orbi...

Quando a esmola é grande o povo desconfia, diz um ditado português.
 Não foste longe demais?! Não irá contra certas regras, certos  dogmas, certas idiossincrasias?
É que há quem diga que a religião se transformou num gigantesco negócio... será que os negociantes aceitarão de bom grado esta tua filosofia de braços abertos, estilo São Francisco de Assis?!»

Ramos de Barros
(escritor)

Novo Hitler ou exibicionismo tolo?!



Todos  os líderes que procuram eternizar-se no poder usam métodos patológicos para concretizarem esse desiderato. O medo de perder o lugar cria obsessões paranoicas capazes de desencadear fenómenos onde o delírio persecutório é o denominador comum. O líder norte-coreano (e não só) ostenta todos os sintomas dessa patologia. Aquele sorriso escancarado é uma forma de exorcizar o medo, medo terrível de ser apeado do poder, pois sabe as malfeitorias que tem protagonizado, sabe o ódio que semeou e  teme os reflexos. O povo, com medo de ser mal interpretado pelo líder e da sua entourage, bate palmas, sorri, endeusa o chefe com frenesim.
Já Hitler fazia a mesma coisa no seu tempo. Ai daquele que não batesse palmas nos seus comícios, ou manifestasse uma atitude indiferente, era logo retirado  de cena pelos SS que o interrogavam de seguida. Diz-se que Saddam Hussein também atuava assim. Usava o terror para se impor e ai daqueles que não manifestassem um sorriso, uma vénia, um salamaleque,  na sua presença. Um dia chegou a uma aldeia,  de surpresa. Foi surpreendido por um grupo musical para o homenagear. Quis saber quem, fora o autor da "proeza". O responsável, desconhecendo que Saddam  detestava  que se anunciasse a sua presença (com receio de atentados), levantou o braço, sorrindo. Esperava ser alvo de um gesto de gratidão.

Recompensa?! Um tiro. Sem qualquer explicação! Abatido logo ali, a sangue frio,  perante a surpresa  (e o terror) dos circunstantes.

Enfim, todos os ditadores sofrem de patologias similares fruto do ambiente gerado  por manobras assassinas,  e sabem que a qualquer momento a sua presença pode ser motivo para um ataque. Motivos não faltam, e eles sabem bem disso...Daí...

Agora este cretino  norte-coreano anda a lançar  mísseis capazes de transportar ogivas nucleares. Está a mostrar um potencial bélico inimaginável para exibir  ao povo que é temido no mundo inteiro, e quer ser motivo de orgulho. Tal qual alguns autarcas que passam a vida a fazerem  queixinhas ao tribunal por alegados abusos de liberdade de imprensa, para mostrar à populaça que são temidos, "respeitados", têm "poder"!!!

A mesma filosofia intimidatória, o mesmo modus operandi, muito embora  os meios usados sejam de índole substancialmente diferente. A escala é menor, mas a simbologia é similar.
O mesmo denominador comum: intimidar, mostrar que se tem "prestígio" pelo medo inspirado, exibir  de forma doentia o poder de fazer gastar dinheiro e causar embaraços aos cidadãos comuns...
Enfim, o mundo vive em estado de alerta por causa de um louco. Penso que é mais para consumo interno, para desmobilizar aqueles que teimam em resistir e derrubar o monstro assassino. Mas pode não ser só isso. Pode querer ficar na História (outro sintoma da mesma patologia) e dar início a uma Guerra Mundial só para saciar a sua ânsia de protagonismo, o seu ego inchado de vaidade, o seu narcisismo paranoico.