domingo, dezembro 31, 2017

Personalidade do ano: A Inveja!!!

__D. Inveja, você é a pessoa  mais famosa em Portugal neste ano de 2017. Muitas pessoas famosas acusadas de  crimes graves dizem que a culpa é sua. Os magistrados são uns invejosos, os jornalistas de investigação têm inveja ,  as denúncias são motivadas por si. Será que a D. Inveja não tem vergonha?!
__Olhe meu caro, eu sei bem que não tenho culpa. Esses, que  me acusam são os que dizem dormir sempre com a minha amiga, a Consciência Tranquila. Já falei com ela e não é verdade. Ela disse-me que se todos dormissem com ela, não teria lugar na cama para tanta gente!!!

__Mas será possível tanta mentira? Quem é que diz que dorme com a sua amiga?!
__Olhe, o José Sócrates, o Ricardo Salgado, o Armando Vara, o Godinho das sucatas,   o Toni Carreira dos plágios, o  Granadeiro da PT,  enfim, há tanta gente a afirmar perentoriamente que dorme com ela que acho que todos mentem...

__Uma pergunta: se isso é mentira, porque é que a sua amiga , a Consciência Tranquila,  não processa esses caluniadores?
__Não vale a pena, os juízes, também dizem que dormem com ela!!!

quarta-feira, dezembro 20, 2017

NOVO PARADIGMA

A jornalista Ana Leal,  uma sentinela da democracia. O presidente Marcelo Rebelo de Sousa  um oásis refrescante num deserto de ideias anteriormente instalado em Belém...

Temos de reconhecer que o país mudou desde a entrada do professor Marcelo   Rebelo de Sousa para Belém. Mudou para melhor.  Assim possa continuar no futuro, dando sempre uma aura de pedagogia e de intervenção cívica ao seu discurso, sem, contudo, violar o princípio da separação de poderes.

Tal como o Papa Francisco, mudou o paradigma. Tornou-se um presidente aberto ao diálogo, participativo e acolhedor, sem perder a dignidade do cargo. As suas observações sobre o escrutínio do jornalismo autêntico não caem em saco roto. Ana Leal, uma jornalista de intervenção e de investigação tem mostrado a faceta regeneradora e saneadora que deve ser apanágio de um jornalismo autêntico. Quando a justiça começa a erguer-se do pântano em que vegetou, e as verdades começam a vir a lume, não ocultando gestões danosas, os tráficos de influências e as promiscuidades entre a banca e o setor empresarial, o jornalismo ergue-se também, dando um rosto vertical, uma imagem de isenção e de seriedade que importa enaltecer.
Não, não é perseguição aos instalados, é escrutínio, é fazer incidir os holofotes mediáticos no cancro que se vai espalhando por todo o lado, ameaçando a saúde das instituições e a própria dignidade do Estado.
Ana Leal tem dado provas de honradez, de verticalidade, de coragem cívica. que ninguém duvide dos méritos imediatos e diferidos da sua atuação. Os prevaricadores, sabendo que podem estar sob os holofotes mediáticos ou sob a alçada de uma justiça atenta e não capturada, começam a temer, o poder dissuasor destes dois poderes (judicial e mediático) pode contribuir para uma maior democraticidade  e uma maior lisura de procedimentos. Já basta de laxismo e vista grossa...

Era bom que o PR, no seu magistério de influência, na sua sageza intrínseca, começasse  a condecorar gente séria e atenta aos problemas do país e deixasse de alçapremar ao pódio os falsos mecenas, que,  com uma mão delapidam o Estado e com a outra, dão pequenos pratos de lentilhas para branquearem a imagem degradada. Vimos, in illo tempore, Al Capone fazer o mesmo: era o mentor do assalto a bancos e crimes hediondos, contudo, ostentava com exuberância a faceta caritativa, visitando asilos de velhinhos  e orfanatos,

Temos por cá algumas criaturas com este  perfil. O Papa já denunciou aqueles que com uma duplicidade chocante, delapidam os recursos do Estado, esbulham o erário público, favorecendo
amigos,   assumindo por vezes  contornos de "fiduciários" ou "testas de ferro", e,  aparecendo aos olhos da turba como mecenas, ou dadores de incentivos ao futebol, ao ciclismo ou à própria Igreja.

Este Papa e este Presidente da República, têm muito em comum, sobretudo  no carácter  desmistificador do seu discurso, na desenvoltura da linguagem, na proximidade com os mais desfavorecidos, na denúncia das perversões, tantas vezes acobertadas pelo manto diáfano do mediatismo capturado pelo vil metal.

Há que correr com os vendilhões do templo. Há que expor na praça pública os corruptores e os corrompidos, para que os cidadãos não tributem honrarias a falsos messias, apenas endeusados pelo mediatismo também corrompido e serviçal.

Honra seja feita aos jornalistas como Ana Leal, José Rodrigues dos Santos, e aos juízes como Carlos Alexandre. É com esses que a nau lusa pode suportar as vagas alterosas da corrupção, expulsar a pirataria que abocanhou lugares de destaque, e chegar a porto seguro, sem temer os adamastores da venalidade  que andam por aí usando o vil metal como narcótico ou isco.
José Manuel Figueiredo leite de Sá

terça-feira, dezembro 19, 2017

CASCAIS







O sol brilhando, um sol quente, estival;
Mão na mão, Elvis Presley entoando
Love me tender, ao fundo, no areal;
E o mar os nossos sonhos embalando...



Abril dava os primeiros passos, rindo,
Saltitando, feliz, tão satisfeito
O céu, o azul marinho refletindo,
E o Tejo dormitando no seu leito...

Cascais, um paraíso multicor,
A singela alquimia do amor
O milagre do sol,  torrando o mar...

Cascais, sublimação, hino ao Senhor
A prenda abençoada que vou dar
A quem quiser o astral alevantar!

José M. Leite de Sá



sexta-feira, dezembro 15, 2017

A GRANDE CABALA!

http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2017-12-14-Paula-Brito-e-Costa-continua-a-trabalhar-na-Rarissimashttp://sicnoticias.sapo.pt/pais/2017-12-14-Paula-Brito-e-Costa-continua-a-trabalhar-na-Rarissimas


Depois da polémica das viagens ao Rio d e Janeiro à custa da RARÍSSIMA

Paula Brito e Costa diz que está a ser vítima de cabala e que continua a dormir com a consciência tranquila...

As fotos tão comprometedoras deviam ser a prova inequívoca dos pecados mortais que praticou. Quem permitiu que desfrutasse tanto tempo deste cenário idílico devia também ser responsabilizado. A democracia deve ser impoluta e deve trajar de branco!!!

Trabalha em casa e quer que lhe levem o trabalho...

E sabe-se que vai pedir indemnização e subsídio de desemprego para variar...CRETINOMANIA A RODOS!!!

Será que o ministério ainda não tomou uma medida radical que se impõe: a demissão do próprio ministro!!!

Jorge Coelho, que se demitiu após a tragédia de Entre-os-Rios foi o único que assumiu responsabilidades políticas de imediato! Honra lhe seja feita. Este só irá cair de podre depois de queimado em lume brando! A ver vamos... Ficou muito mal na fotografia!
                                                            

                                                          ORAR  É PRECISO

                                                 Vemos tantos navegando
No mar da prosperidade
A teta estatal sugando
À sombra da impunidade!

Ó Senhor da Boa Esperança
Isto é uma calamidade
Alguns, na eterna bonança
E o Povo?! Só tempestade!!!


A Dra Manuela Ferreira Leite acrescenta: VER AQUI

E se em vez de um BMW de luxo ela usasse o carro do Papa Francisco?
Será que se sentiria desprestigiada?!


domingo, dezembro 10, 2017

ESPOSENDE: Gaivota Feliz!


Sole Mio por DALIDA


O Cávado repousa em teu regaço
Moribundo, no mar entrega a alma...
Doce leito deixou, a vida calma,
Vai em paz, nessa tumba de sargaço!

Esposende, mocinha preguiçosa,
Qual gaivota feliz, filha da praia,
Sentindo o gosto a mar, até desmaia
Clímax de amor sem peias, donairosa!...

O vento bem reclama liberdade
Não quer prisões, amarras ou tutelas,
Penetra os corações destas donzelas...

Tostando ao sol na areia, na verdade
Fruindo com ternura a mocidade
Tão pura e mais brilhante que as estrelas!



Nicoletta

sexta-feira, dezembro 08, 2017

Um tsunami vem aí?!!!

 
 
 
 
 
 
 

A minha memória ainda não deliu as saborosas crónicas assinadas pelo brilhante jornalista Artur Portela (Filho) no Jornal Novo e na revista Opção. Há figuras imorredoiras que ainda hoje rebusco nos escaninhos da memória e povoam num lugar de destaque o meu imaginário literário. Artur Portela era o meu ídolo, confesso. Atacado à esquerda pela nova nomenklatura e à direita pelos velhos senhores, ele esgrimia argumentos  carregados de ironia e de eloquência, era uma espécie de Eça de Queiroz do período revolucionário. Marcial Ribeiro Souzela e Valença de Navalho eram dois astros emergentes,  que ele fustigava com ironia, elegância, e desassombro. Lia e relia aquelas passagens e sorria. Ele e Natália Correia foram alicerces da minha formação, direi até, pilares do meu carácter.
No tocante a Valença de Navalho  ele zurzia sem clemência e ainda recordo uma descrição fabulosa que ele faz do seu primeiro contacto com o conhecido empresário dos cimentos. Digno de antologia. A revista Opção onde também colaborava Margarida Marante, era uma delícia em termos literários. Guardei anos a fio uma coleção encadernada contendo trechos memoráveis, dignos de um escritor de alto gabarito; enfim, fui na revolução um "sem-abrigo" partidário e sofri com essa postura íntegra e independente. Era um não-alinhado, um ingénuo quimicamente puro. Andei pela Avenida da Liberdade a colher assinaturas aquando do "saneamento de alguns jornalistas do DN".

Agora, passados tantos anos, ao ler uma entrevista de Manuela Moura Guedes ao "I", em que acusava Proença d e Carvalho de ser o novo "dono disto tudo" fiquei de sobreaviso. Era um sinal inequívoco do que estaria para vir. O caso com o procurador Orlando Figueira e as revelações desassombradas por ele proferidas, dizendo que o seu silêncio fora "comprado" por Proença de Carvalho deixam antever uma série de episódios eventualmente chocantes, uma longa metragem de alto gabarito, dadas as altas instâncias em que se move o referido advogado e toda a envolvência mediática que isso poderá gerar. Ele lidera a Global Media e isso diz muito.

Enfim, esta criatura que andou sempre na crista da onda, foi presidente da RTP, foi ministro, e está a administrar tantas empresas, tem do poder a noção de quem está num patamar superior, que paira acima das nuvens da mediania, que está acima do vulgo, enfim, comunga da aura dos ungidos por Júpiter. Um vero deus no nosso olimpo doméstico . O futuro dirá algo sobre o carácter deste homem. E não creio que seja bom. Pelo menos, pela aragem...
Bem sabemos que possui um exército de "generais prussianos que nunca se amotinam" e o defendem até aos limites do racional, até `a exaustão. Essa "muralha de aço" numa democracia autêntica poderia não valer de nada, mas nós bem sabemos que vivemos num regime plutocrático, e, pior, a corruptofilia é a nova praga que ataca a vinha democrática, uma espécie de filoxera implacável. Não é um regime confiável,  tal como não era o Estado Novo...

Artur Portela era muito bom a fazer diagnósticos de personalidade. Creio bem  que muito verniz irá estalar, muitas comadres dirão algumas verdades, e as arcas encoiradas, quais caixas de Pandora, abrir-se-ão perante o espanto do cidadão vulgar de Lineu.

José Manuel   F. Leite de Sá

LER E MEDITAR
VER MAIShttp://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/proenca-de-carvalho-acusado-de-negociar-perdao-para-empresa-suspeita-de-fraude-fiscal-233415
SABADO

terça-feira, dezembro 05, 2017

Mário Centeno

                                                 Mário Centeno, Presidente do eurogrupo

Conforme era expectável o Dr Mário Centeno, o tal a quem já chamaram o Cristiano Ronaldo das finanças foi eleito por unanimidade presidente do eurogrupo.

É óbvio que se trata de um lugar prestigiante, é mais um português em lugar de destaque. Oxalá na sua nova tarefa consiga gerar os consensos indispensáveis para que o dinamismo e a coesão sejam a moda corrente nesta Europa fustigada por ventos nem sempre favoráveis.
Que ninguém espere milagres para Portugal, o trabalho de consolidação orçamental terá de continuar e as reformas continuarão no nosso horizonte quotidiano.

sexta-feira, dezembro 01, 2017

Empate no classico F. C. do Porto vs Benfica

 
 
O clássico redundou num empate a zero. Cenas lamentáveis sucederam e mancharam um grande espetáculo. Ambos poderiam ter vencido mas o empate aceita-se pois ambos os contendores deram o melhor de si, Parabéns aos atletas, treinadores e ao público normal. Censura aos anormais...http://www.record.pt//multimedia/videos/detalhe/confusao-junto-do-banco-do-benfica-ate-um-adepto-portista-meteu.html

quarta-feira, novembro 29, 2017

O MAL DO MUNDO...



Homo  sapiens, um deus tolo e narciso,
Da Natureza vil destruidor;
Perdeu o tino, não tem mais juízo
Dá cabo do planeta, um  predador.

Destrói a economia,  e o bem estar
Suga recursos, sem medida justa;
Por Deus,  é bem capaz de assassinar
Animal tão feroz ... que a Deus assusta!

Mas diz que vive em paz co'a consciência
Tudo é mentira vil, maledicência,
Que o mundo é cruel, não vê  seu talento.

Animal predador, sem sapiência,
Imoral criatura;  só lamento,
Dos inocentes, tanto sofrimento!

J Leite de Sá

domingo, novembro 19, 2017

Escândalo nacional!

 
Uma escandaleira das antigas. Manuela Moura Guedes, sem papas na língua,  diz que José Sócrates é um "psicopata" e que devia receber tratamento psiquiátrico!

Enfim, um homem que continua a ser venerado por tanta gente, que continua a merecer as honras de telejornais, com homenagens aqui e ali, a ser tratado desta forma é intrigante. Será que a vai processar?!
Creio bem que não. É que o país inteiro já compreendeu que se está na presença de alguém com uma "coragem" tão insólita que atinge as raias da patologia. Nas páginas 23,24 e 25 do semanário "I" ela aprofunda o seu raciocínio e convence realmente do grau de patologia que enferma o visado. O seu bizarro comportamento é de um psicopata de envergadura. Bipolaridade? Pior, muito pior!
Enfim, fazer aquilo que se sabe, agora, através da comunicação social, é algo digno de meditação. Primeiro a nítida convicção de que se julgava acima de qualquer suspeita. Fazer aquilo que alegadamente fez, é de uma ousadia e de uma irresponsabilidade óbvias. Então aquilo de mandar fazer um livro para ser ele a pavonear-se como sendo o autor, é o máximo. Um cidadão endinheirado qualquer, ainda se admitiria, agora um ex-primeiro-ministro, alguém que se sabe poderia a qualquer momento ser alvo de chantagem da pessoa que fez o trabalho ou próximas...E o mandar comprar livros para ficar no topo das vendas é de uma personalidade tão megalómana, tão megalómana que entra nos domínios da patologia. Grave patologia!
Vale a pena ler e meditar. O país nunca assistiu a tais perversidades (e ingenuidades) da parte  de um ex-governante. Mesmo sabendo que poderia ser alvo de escutas (e ele usou linguagem codificada, nalgumas circunstâncias, admitindo-se isso...),  ele foi longe demais, ele foi ingénuo, a ambição desmedida e o sentimento de impunidade perpassam aos olhos de toda a gente, ele tinha consciência   de que dominando a comunicação social, tendo amigos poderosos, nada de grave lhe aconteceria. Contudo, apareceu-lhe pela frente um Juiz a sério (o Dr Carlos Alexandre) e tudo se desmoronou, tudo se volatilizou. Aquele criticismo à justiça, aquele bradar aos céus que é tudo "um embuste", "um romance" "uma encenação" é de alguém tão vil, tão baixo, tão ignóbil que deixa até os seus mais acérrimos apoiantes preocupados com a sua sanidade mental...

VER AQUI
  e AQUI

Monte e Praça, olhos de Vila do Conde



O Monte e a Praça são
Os olhos da nossa terra
Dão `a gente uma visão
Do melhor que a vida encerra.
 
Comunhão tão fraternal
Uma sã rivalidade
A dançar dão festival
São dois sóis, nesta cidade.
 
Cada qual tem sua história
Vão ao mar, com devoção;
A dançar, palpita a glória
De um fraternal coração.
 
Braços ao alto!, Maria,
Perna ligeira!, Manel,
Canta e dança, é alegria
Cada um com seu papel.
 
Há fogueiras na cidade
E no coração da gente,
Arde em fogo a mocidade
É pulmão incandescente.
 
Os ranchos são a centelha
Os vulcões de lava ardente
Gente nova, gente velha,
Monte e Praça... Luz, somente.
 
S. João dança também,
Perde a cabeça, outra vez
O luar só lhe faz bem
É luar, tão português.

ver aqui

e aqui
 

sábado, novembro 18, 2017

Era uma vez o "Rei-Sol"...



Zéfiro vai soprando com vigor
As folhas já caducas vão caindo
Até o Rei-Sol lá vai no sol pôr
No horizonte, lesto, submergindo...

sábado, novembro 04, 2017

JUIZES & CORRUPÇÃO

                             Juiz  Carlos Alexandre, um símbolo da justiça séria e honrada


Vemos tanta miséria envergonhada
E há tantos marajás, vivendo à larga,
Fruto da corrupção desenfreada
E o povo é quem mais sofre, mais amarga.

Quanto sofre um juiz honrado e sério
Soltam-lhe os cães, jagunços mediáticos
Bolsam um ódio cego, vitupério,
Plumitivos servis, tristes asnáticos.

Também há jornalistas verticais
Que não lambem as botas ao poder
E, felizmente, cada vez há mais
Gente de uma só fé, de um só querer.

Vamos remar, unidos, sem ter medo
Contra os chacais malditos, sem pudor,
Há que apontar  as víboras, a dedo,
Ao país nós devemos o favor.


Há tantas sinecuras bem obscenas
E tantas mordomias, nos jornais,
Que a nós, uns  simples Zés, só  resta apenas
Gritar a nossa náusea: é demais!

José  Leite de Sá  O PÂNTANO DOS PÂNTANOS!!!

VER AQUI      O MARAJÁ E A  CORTE FAMILIAR!!!
                             e AQUI

FERNANDA CÂNCIO TAMBÉM SABIA   
USA CÓDIGO

domingo, outubro 22, 2017

CAMÕES NO PANTEÃO!


Perguntei ao Camões, se gostava do banquete no Panteão.

Respondeu assim:




Vindes ao Panteão comemorar
Esta vida tão bela, mas finita;
Aqui a lei da glória mais bendita
Nos abre o apetite p'ra manjar!


Aqui estão os heróis tão portugueses
Alguns, passaram fome toda a vida;
Ao sentir a fartura aqui servida
(Dirão): 
«Deixai algum p'ra nós, vinde mais vezes!»

A tridimensional árvore da vida:
Uns comem, a livros dão guarida,
Outros comem na terra, são raízes...
Todos comem e todos são felizes!
 

sábado, outubro 21, 2017

HAJA TRANSPARÊNCIA


 
 
 

Tal como Eça de Queiroz o vila-condense que os poveiros "roubaram",  sou apologista da verdade,  nua e crua,  em todos os domínios. Quer seja no âmbito político, quer no desportivo, quer no religioso, quer no social. Que se descubra a verdade total é o meu apelo. Agora, este caso dos emails,  está na berlinda o Sport Lisboa e Benfica. Tenho simpatias pelo Luís Filipe Vieira, que ergueu  a nau rubra  dos escombros, após a era ominosa do consulado de Vale  e Azevedo, contudo, o que veio a lume é altamente reprovável, logo há que investigar a fundo.
 Como é possível um país tão carenciado, tão cheio de austeridades, dar-se um mau exemplo de gestão fazendo sair fundos para um alegado bruxo da Guiné?! E os "bruxos" portugueses ficam no desemprego?
Não se faz!, outrora a equipa benfiquista era só constituída por lusitanos puros (mais os puros das ex-colónias), agora, está tudo abastardado. Saem divisas para fora e o país arde em dívidas por todo o lado. Assim, não, meu caro Luís Filipe.
Como contabilizaram esses serviços de bruxaria?
E Nossa Senhora da Luz, que tem um santuário próprio, o que é feito da Fé desta brava gente?
Recordo que Scolari o treinador da seleção recorria à Senhora de Caravaggio e obteve bons resultados. Agora nós, com o centenário de Fátima aí, a concitar as atenções do mundo inteiro, e fazem isto? O SLB desceu ao terceiro mundo ou quê?
Que se investigue a fundo, emails, computadores, latrinas, relvados, bruxarias, tráficos de influências e tudo o que possa afetar a verdade desportiva. E que Nossa Senhora da Luz ilumine os senhores inspetores da PJ, são os meus sinceros votos. Que a VERDADE (nua e crua) venha à tona!
Contudo, por vezes, muitas vezes, as montanhas parem ratos...
 
José Leite de Sá
 

quarta-feira, outubro 18, 2017

Insultar a justiça, de forma leviana...


Os indícios apontados e divulgados amplamente pelas escutas telefónicas aos principais arguidos da Operação Marquês eram convincentes e não deixavam dúvidas. A justiça não estava a cometer nenhuma perseguição, nenhum crime de natureza política,  ou a incidir numa  obsessão  pessoal. No entanto, como já vai sendo vulgar nestas criaturas apanhadas com a boca na botija, os insultos e dichotes sobre a maldade  intrínseca dos procuradores eram constantes. Tudo seria desmistificado na hora certa, era melhor mandar arquivar que não havia provas nenhumas, clamavam eles,  era tudo um "embuste", uma "cabala", um "lamaçal de vitupérios", enfim, a comunicação social afeta a este personagem tudo fez para intoxicar a opinião pública. É óbvio que alguns politicamente gratos, alguns beneficiários colaterais deste esquema, iam fazendo suas as dores alheias e engrossavam o caudal de críticas à justiça.
Agora, finalmente, surgiu a acusação e  os principais visados não esclarecem nada, limitam-se a usar frases herméticas denotando uma falta de argumentação que impressiona. Dizem apenas: «é tudo falso!», «tenho a consciência tranquila», «tudo um romance com muitas páginas»!

As cassetes habituais nestas circunstâncias. e isto vai durar uns anos até que a verdade límpida e cristalina possa surgir aos olhos de todos. Vamos ter estas cenas hilariantes, com  livros publicados que mais não são do que pretexto simplório para botar faladura, usar o megafone mediático com ostentação  até à náusea!
 
PS:    A mais  subtil instrumentalização de outros (ministros do seu governo) para atingir fins ilícitos. Um malabarista perfeito! VER AQUI

domingo, outubro 15, 2017

Rui Rio, o líder natural do PSD, como é óbvio







Rui   Rio aparece como o candidato natural à liderança do PSD e tudo indica que será o futuro líder. Santana Lopes tem vários handicaps. Aquelas "petites histoires" de rabos de saia, mesmo em circunstâncias escabrosas, não largam a sua aura. Aquela célebre tirada  do Herman José : «Ó Pedro tu comeste a Torloni?» ainda paira no imaginário coletivo dos portugueses que não esquecem o seu apetite por coisas cor-de-rosa descurando muitas vezes o cinzento que deve ser apanágio da sobriedade administrativa. Jorge Sampaio, apesar de ser leão, como ele, não lhe perdoou os excessos, muito embora com severidade excessiva reconheça-se...Talvez mais fama que proveito...

Dois "sóis" em luta empenhada, mas o sol nortenho leva vantagem. Além do mais acresce o facto de no norte haver maior número de militantes, o que, em termos estatísticos, conta e muito.

O "nervos de aço", tem já tarimba suficiente para não ser considerado um novato e está naquela idade da afirmação plena. Tem dado provas de gestão serena e sensata, sobretudo na câmara do Porto, muito embora  haja algumas críticas,  sobretudo na área da cultura. Sabemos bem que quando há que cortar,  esta área é uma das primeiras a ser o alvo preferencial. Santana, pelo contrário, tem na cultura a sua imagem de marca. Contudo, navegou noutras eras, onde havia desafogo e os condicionalismos financeiros não eram tão intensos. Ficou célebre aquele desaguisado entre Rio e Menezes a propósito dos festejos sanjoaninos. Isso diz bem da sua matriz austera e do seu carácter frugal. Menezes o despesista convicto, Rio, o sensato, o prudente.
Assim, tudo leva a crer que, salvo uma qualquer calamidade, Rui   Rio  venha a ser o eleito. Pela amostra em Aveiro, e pela aragem, há um triunfo (robusto) e convincente  na carruagem social democrata...Como observador atento (outsider, mas sempre inside) admito que me possa enganar, mas tenho dúvidas...

José Sá

sábado, outubro 14, 2017

Prémios e luvas, serão sementes de corrupção?!



Há dias lia o comentário de um conhecido escritor a tecer considerações pouco lisonjeiras sobre quem desanca em Sócrates, Zeinal Bava  e Ricardo Salgado. Recebeu prémios,( com mérito ou sem mérito não discuto) e achou que ficava bem ser grato e proteger os dadores desses prémios. A cultura instrumentalizada pela corrupção?! Pelo menos as aparências não iludem...

Todos sabemos que o chamado "sistema" funciona em bloco. Um indivíduo intrinsecamente honesto, um puro, não pode merecer o aval dos gangues que nos governam. Fernando Pessoa era "mal visto" pelo anterior regime. Sofreu o ostracismo e humilhações diversas. Só emergiu plenamente no pós 25 de abril.
Vemos alguns deuses de pés de barro que, creio bem, cairão no olvido rapidamente,  pois são um subproduto desta corrupção globalizante que tudo  controla e tudo premeia.

Algumas câmaras  municipais dão prémios literários. Será que dão prémios a quem combate frontal e honradamente a corrupção que está instalada? É óbvio que não. Os dadores de prémios usam estratagemas para escolher júris cuja afinidade ideológica é óbvia e indiscutível. Logo, os premiados terão uma costela política e um lado afetivo bem delineado, senão, nada. Só os ingénuos acreditam na honestidade pura e cristalina destes jurados...

É a governamentalização da cultura. Quem dá prebendas quer ser compensado (ou já foi anteriormente) pelo que qualquer observador minimamente atento( e isento )sabe que o jogo cultural está viciado. Vemos escritores a viajarem à custa de fundações e serem promovidos por quadrantes políticos que ajudaram a endeusar. Agora, caem em desgraça alguns desses mecenas mas têm sempre um qualquer  artista da pena  politicamente grato , culturalmente enfeudado (engagé como dizem nas terras gaulesas...) a adoçar os comentários,  e, pior ainda, a zurzir ferozmente contra os isentos, honestos, verticais.

Gratidão e corrupção andam  vestidas da mesma forma e isso não passa despercebido aos realmente atentos ao fenómeno. Basta ouvir algumas escutas feita pela PJ para se aquilatar o grau de servilismo de alguns...
«Esse, deve tudo o que é a mim. Peça-lhe para não aceder àquela pretensão. Esse, foi colocado lá, na direção do jornal, por minha indicação expressa, ele fará tudo para que os seus fiéis leitores não tenham acesso a toda a verdade...»

Qualquer dia estamos como no tempo da outra senhora. Para saber verdades de cá há que recorrer à BBC e outras...

Post Scriptum: o PR pede aos jornalistas para escrutinarem os poderes. Mas eles vivem de "pratos de lentilhas, " de "prebendas", de "sinecuras", será que têm coluna vertebral para o fazerem?!
https://www.dn.pt/portugal/interior/os-jornalistas-so-tem-poder-se-nunca-se-vergarem-aos-poderes-diz-o-presidente-da-republica-5602183.html VER AQUI

sexta-feira, outubro 13, 2017

terça-feira, outubro 10, 2017

ESTÓRIA COM MORAL AO FUNDO...



Ele era um grande  empresário vila-condense. Forte, em tudo, até no espírito folgazão. Muito devoto de Santo Amaro e da Senhora de Fátima a quem responsabilizava pela sua longevidade.
Tinha uma grande  oficina do ramo automóvel, no centro de Vila do Conde. Na sua casa da Junqueira fazia muitos convívios, sobretudo no verão.
Num desses dias, à porta dessa casa,  contou-me esta estória que jamais esqueci.
Dizia-me ele:
__ Eu tenho orgulho em ser de direita. Sou mais CDS do que PSD, confesso. Mas uma vez fiz uma mudança de camisola artificial para me livrar de uns canalhas...

E foi por ali fora contando o episódio, digno de   figurar nos anais da nossa estória trágico-cómica  local.

Há já muitos anos, durante um longo período, constatava que à entrada da referida oficina apareciam uns cagalhões dignos de figurar no Guiness! Aquilo era obra de mais do que um cavalheiro, afiançava ele, pois o "calibre" dos resíduos fecais era variável. Como terminar com aquele suplício? que mal teria feito ele para merecer aquelas prendas nauseabundas?
Pensou, isto é política local. Só pode ser.
Vai daí,  engendrou um plano para acabar com aquela provocação diária.
Começou a falar com os viciados na droga que por vezes ali passavam e confessou-lhes que tinha mudado de cor política. Agora era "vermelho",  e até passara a ser assinante da "folha de couve" , um conhecido jornal de um partido local. E punha-se à porta, ostensivamente,  a ler o referido jornal,  pelo qual não nutria simpatia nenhuma. Era uma estratégia. Era apenas um teste para ver se acabava com aquela pouca- vergonha. Todos os dias ter de mandar limpar excrementos humanos,  era demais. E o que é demais é erro!
Mas o certo é que a estratégia resultou!
Nunca mais se viram dejetos humanos à porta da oficina! Remédio santo!

MORAL DA ESTÓRIA: Se queres acabar com o mal, procura a origem!!!

segunda-feira, outubro 09, 2017

NAU - VITÓRIA DE ABRIL

A NAU ENGALANADA DE ABRIL
Em outubro vejo abril
nesta aragem outonal
o céu veste de azul anil
a liberdade é plural
a NAU sorri, satisfeita
o mar é todo bonança
e à noite a lua se deita
a sonhar em nova esperança
reconfortada e serena
nova etapa se inicia
a vida, assim, vale a pena
nova era assim se cria;
de mãos dadas, par em par,
progresso e democracia
a nossa terra a singrar
com altivez, fidalguia,
nova imagem, bem marcante,
sustentável e sadia
esta imagem triunfante:
VILA DO CONDE, eu diria,
é NAU livre, sem amarras
é livre a tripulação
libertou-se das cigarras
e dos... ratos do porão!

jose sá

OS MISERÁVEIS...








«Amigo José, esse é que é o caminho! vamos fugir da miséria para sempre!" Outros lá cairão, é a lei da vida!»

ANGÚSTIA DO FIM DO MÊS

O gás está mesmo a acabar
P´rós remédios já não há
Pão e água p'ró jantar
Este viver já não dá.

A reforma já não estica
Testas de ferro?! Nem vê-los!
Não posso ir ver o Benfica
A vida está pelos cabelos...

Sócrates deu cabo disto
E há tantos por aí
Corruptos, é como o cisco
Praga destas jamais vi!

Sanguessugas é o que há mais
Trambiqueiros há a rodos
Meu Deus, porque dormitais?!
Este inferno é p'ra todos.

Neste inferno vive a gente
Já não há pesca nem caça
É triste comer somente
O pão que o diabo amassa!

jose m f l sá

quarta-feira, setembro 27, 2017

TENHO VERGONHA!



Quase todos os políticos têm uma certa aversão aos mecanismos legais. Alguns até chegam a invocar o seu desconhecimento para praticar o contrário do que a lei propõe.

Antes de haver normas jurídicas havia um conjunto de noções colhidas na Bíblia e em certas religiões ancestrais no sentido de conduzir os cidadãos à prática do bem. O castigo de Deus, o inferno ou o céu eram utilizados para conduzir a sociedade pelos trilhos do bem.
Hoje em dia há como que um horror à lei, ela é tantas vezes acusada de ser um empecilho, um travão, um obstáculo. Vemos políticos afirmarem que não fizeram concursos porque era muito urgente, era uma coisa de tal forma necessária que não dava para esses formalismos. Depois, a obra sobe em espiral e as pessoas interrogam-se para onde foi tanto dinheiro, sem controlo, sem um mínimo de explicação credível para tais excessos.
O que pensa o legislador?
Este, prudente e sabedor, conhece a mente humana, a ambição desmedida de certos decisores, a falta de ética e de escrúpulo. Por isso, a partir de certos montantes impõe mecanismos de controlo, de supervisão, a fim de evitar abusos, enriquecimentos ilícitos, cambalachos entre decisores políticos e agentes económicos.

As leis para serem credíveis precisam de sanções para quem não cumprir. Contudo, essas sanções são por vezes tão insignificantes que convidam à sua violação.

Fazem-se fortunas do pé para a mão. Criam-se empresas de um dia para o outro para abocanharem certas obras alegadamente urgentes. Enfim, o chicoespertismo assentou arraiais e o vale tudo impera.

Já ouvi políticos tidos por sérios e honrados a dizerem que a fiscalização do Tribunal de Contas (visto prévio) sobre obras e fornecimentos de serviços é uma ingerência abusiva do poder central sobre o poder local!



Que o Provedor de Justiça é uma força de bloqueio, uma figura decorativa, um papão«...

Enfim, que certas leis são um empecilho,  um espartilho que ata as mãos de homens pragmáticos   e cheios de iniciativa. Outros dizem que as leis foram feitas para serem violadas, como as mulheres!!!

É o desaforo, o cretinismo e  a impunidade mais clamorosa. Então ao nível autárquico já ouvi tanta barbaridade que quando vejo fazerem-se elogios a certos autarcas eu coro de vergonha por saber que eles são os maiores sem vergonha deste país! alguns, claro, nem todos.

sexta-feira, setembro 22, 2017

FUTEBOL & NEOFASCISMO...



O futebol potencia o florescimento de fenómenos onde o populismo, o culto de personalidade, o vedetismo, o tráfico de influências,  se mobilizam e formam um caldo de cultura explosivo e pouco democrático, gerando caciquismos autárquicos baseados apenas no alegado  carisma  consubstanciado  na generosidade excessiva de uns tiranetes que dão tudo,  desde que haja contrapartidas efetivas na hora da caça ao voto. Ou seja, o dirigente desportivo terá de se portar como uma marioneta, um reles jagunço,  do líder partidário que o apoia,  senão, não terá essas benesses. Lacaio sempre fiel, senão...
Vemos o fenómeno a repetir-se em todo o lado sem que o público, e até os fazedores da consciência coletiva, manifestem  sinal de alarme.
Vemos agora Fernando Gomes, tarde  e a más horas,  alertar para o ódio. Fala pela rama, este ódio acentua-se no período pré-eleitoral pois as claques tantas vezes são convidadas a apoiar alguns candidatos. Caciques desportivos por vezes tornam-se caciques autárquicos e vice-versa.
É preciso acabar com esta vilanagem.
 Desporto é desporto e política é política. O político muito "generoso" que caça votos à custa desse excesso de generosidade é normalmente um indivíduo maquiavélico que visa os fins sem olhar aos meios.  VER AQUI

Há que apontar o dedo a esta promiscuidade que a Dra Maria José Morgado já denunciou com plena acuidade e conhecimento de causa.
Fernando Gomes não vai ao âmago do problema. ele aflora apenas a parte visível do icebergue. É preciso que os sociólogos, os pedagogos, os psicólogos de massas façam o seu trabalho e denunciem este abastardamento democrático que contém potenciais explosivos  antidemocráticos óbvios. O ódio viceja nas claques, nalguns comentadores, nalguns jornalistas desportivos. Analisem-se em profundidade os casos de Gondomar e  Braga (com Valentim Loureiro e Mesquita Machado). Davam para um mestrado!
  Haja coragem, meus senhores.

terça-feira, setembro 19, 2017

Santo Sudário!!!

Já se sabia (através de testes carbono 14) que o chamado Santo Sudário (de Turim) nunca poderia ser a imagem de Jesus Cristo. Agora novos estudos revelam algo de misterioso
VER AQUI

quinta-feira, setembro 07, 2017

Quem ganhará?!!!!


A corrida eleitoral em Vila do Conde está renhida. Depois da saída de cena dos independentes Luis Vilela e  João Amorim, ficaram cinco. A CDU e o BE têm reduzida implantação no concelho e tudo indica que o voto útil poderá fazer-se sentir.  Assim, restam as três principais candidaturas: NAU (liderada pela Dra Elisa Ferraz), PSD/CDS (liderada por Constantino Silva e PS (liderada por António Caetano).

Não será uma disputa fácil e o vencedor  não se descortina com facilidade. Sabemos que o PS tem um forte apoio, contudo, o candidato, pelo seu passado ligado a posições ideológicas da área comunista, poderá ter alguns anticorpos, num município onde a Igreja  Católica tem forte implantação. Reconheço que são anticorpos preconceituosos mas existem de facto. O próprio Engº Mário de Almeida pelo papel pouco ético desempenhado no passado recente (VER AQUI) poderá ser não um cartaz de propaganda,  mas, à contrario sensu, mais um camartelo demolidor  desta candidatura.

A candidatura da atual Presidente, Dra Elisa Ferraz,  tem patenteado grande vitalidade e mostra que gerou simpatias e apoios em todo o concelho devida a uma atuação discreta onde a vertente financeira foi muito aplaudida, pois reduziu substancialmente a divida (de 57 para trinta e seis milhões) conseguindo diminuir o esforço financeira dela resultante, por uma inteligente manobra de diluição no tempo. O apoio da Igreja Católica e das instituições de solidariedade social,  também é notório,  atentas as suas  simpatias nesta área. Tem carácter, espírito aguerrido e uma vitalidade sempre em alta. O não enfeudamento a nenhuma força partidária dá-lhe liberdade e autonomia em relação a lóbis e grupos de pressão sempre susceptíveis de engendrar focos de corrupção e compadrio.

O Engº Constantino Silva tem tido alguma dificuldade, mas é uma pessoa simples, honesta, dinâmica,  e poderá surpreender. Muito embora a sua popularidade não se equipare à dos outros dois, pode subir,  se for mais determinado e assertivo nas suas intervenções. Não precisa de ser populista, mas em termos de acutilância e capacidade argumentativa tem de ser mais ágil e arguto. Só assim conseguirá ultrapassar este dificil obstáculo.
Zurzir no PR __quando está com a popularidade robusta__ pode agradar aos radicais mas nunca aos independentes, que são segmento decisivo nos momentos de decisão final. Não deve temer falar do futuro, nem do passado (alguns temem-no,  e sabe-se bem porquê).

Que ganhe o melhor são os meus votos.

terça-feira, setembro 05, 2017

Novo Hitler ou exibicionismo tolo?!



Todos  os líderes que procuram eternizar-se no poder usam métodos patológicos para concretizarem esse desiderato. O medo de perder o lugar cria obsessões paranoicas capazes de desencadear fenómenos onde o delírio persecutório é o denominador comum. O líder norte-coreano (e não só) ostenta todos os sintomas dessa patologia. Aquele sorriso escancarado é uma forma de exorcizar o medo, medo terrível de ser apeado do poder, pois sabe as malfeitorias que tem protagonizado, sabe o ódio que semeou e  teme os reflexos. O povo, com medo de ser mal interpretado pelo líder e da sua entourage, bate palmas, sorri, endeusa o chefe com frenesim.
Já Hitler fazia a mesma coisa no seu tempo. Ai daquele que não batesse palmas nos seus comícios, ou manifestasse uma atitude indiferente, era logo retirado  de cena pelos SS que o interrogavam de seguida. Diz-se que Saddam Hussein também atuava assim. Usava o terror para se impor e ai daqueles que não manifestassem um sorriso, uma vénia, um salamaleque,  na sua presença. Um dia chegou a uma aldeia,  de surpresa. Foi surpreendido por um grupo musical para o homenagear. Quis saber quem, fora o autor da "proeza". O responsável, desconhecendo que Saddam  detestava  que se anunciasse a sua presença (com receio de atentados), levantou o braço, sorrindo. Esperava ser alvo de um gesto de gratidão.

Recompensa?! Um tiro. Sem qualquer explicação! Abatido logo ali, a sangue frio,  perante a surpresa  (e o terror) dos circunstantes.

Enfim, todos os ditadores sofrem de patologias similares fruto do ambiente gerado  por manobras assassinas,  e sabem que a qualquer momento a sua presença pode ser motivo para um ataque. Motivos não faltam, e eles sabem bem disso...Daí...

Agora este cretino  norte-coreano anda a lançar  mísseis capazes de transportar ogivas nucleares. Está a mostrar um potencial bélico inimaginável para exibir  ao povo que é temido no mundo inteiro, e quer ser motivo de orgulho. Tal qual alguns autarcas que passam a vida a fazerem  queixinhas ao tribunal por alegados abusos de liberdade de imprensa, para mostrar à populaça que são temidos, "respeitados", têm "poder"!!!

A mesma filosofia intimidatória, o mesmo modus operandi, muito embora  os meios usados sejam de índole substancialmente diferente. A escala é menor, mas a simbologia é similar.
O mesmo denominador comum: intimidar, mostrar que se tem "prestígio" pelo medo inspirado, exibir  de forma doentia o poder de fazer gastar dinheiro e causar embaraços aos cidadãos comuns...
Enfim, o mundo vive em estado de alerta por causa de um louco. Penso que é mais para consumo interno, para desmobilizar aqueles que teimam em resistir e derrubar o monstro assassino. Mas pode não ser só isso. Pode querer ficar na História (outro sintoma da mesma patologia) e dar início a uma Guerra Mundial só para saciar a sua ânsia de protagonismo, o seu ego inchado de vaidade, o seu narcisismo paranoico.

terça-feira, agosto 29, 2017

Esposende


O Cávado repousa em teu regaço
Moribundo, no mar entrega a alma...
Doce leito deixou, a vida calma,
Vai em paz, nessa tumba de sargaço!

Esposende, mocinha preguiçosa,
Qual gaivota feliz, filha da praia,
Sentindo o gosto a mar, até desmaia
Clímax de amor sem peias, donairosa!...

O vento bem reclama liberdade
Não quer prisões, amarras ou tutelas,
Penetra os corações destas donzelas...

Tostando ao sol na areia, na verdade
Fruindo com ternura a mocidade
Tão pura e mais brilhante que as estrelas!

Eu tive um sonho!

Não, não recebi nenhum telefonema. Mas tive um sonho.

Era ela, a Madonna muito infeliz a dizer que se sentia uma freira em Lisboa.
Pediu-me para eu fazer um fado para ela cantar e poder divulgar o que lhe ia na alma. Face a esse pedido (onírico, aviso já) eu deitei mãos à obra.


FADO MADONNA


!
...

Sou uma freira em  Lisboa
Passeio ao sol co'os meninos
Nenhum macho me abalroa
Já não há machos latinos.



Portugal, nem sei o que diga
Este Fado é tão tristonho
Quero um Homem que me diga:
«És minha!, És o meu sonho!»



Quero um Ronaldo qualquer
Um lusitano bem puro
Quero sentir-me Mulher!
Quero ser feliz, eu juro!



Quero amar este país
E outro Fado tentar
Quero amar e ser feliz
Um macho quero adotar!



Sinto-me virgem aqui
Neste país singular
Noite a sério ainda não vi
Eu quero aqui ancorar!



Cantarei ao mundo inteiro
Que descobri Portugal
Um país de corpo inteiro
Paraíso sem igual!


Ramos de Barros


VER AQUI MADONNA EM LISBOA