rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

domingo, novembro 19, 2017

Escândalo nacional!

 
Uma escandaleira das antigas. Manuela Moura Guedes, sem papas na língua,  diz que José Sócrates é um "psicopata" e que devia receber tratamento psiquiátrico!

Enfim, um homem que continua a ser venerado por tanta gente, que continua a merecer as honras de telejornais, com homenagens aqui e ali, a ser tratado desta forma é intrigante. Será que a vai processar?!
Creio bem que não. É que o país inteiro já compreendeu que se está na presença de alguém com uma "coragem" tão insólita que atinge as raias da patologia. Nas páginas 23,24 e 25 do semanário "I" ela aprofunda o seu raciocínio e convence realmente do grau de patologia que enferma o visado. O seu bizarro comportamento é de um psicopata de envergadura. Bipolaridade? Pior, muito pior!
Enfim, fazer aquilo que se sabe, agora, através da comunicação social, é algo digno de meditação. Primeiro a nítida convicção de que se julgava acima de qualquer suspeita. Fazer aquilo que alegadamente fez, é de uma ousadia e de uma irresponsabilidade óbvias. Então aquilo de mandar fazer um livro para ser ele a pavonear-se como sendo o autor, é o máximo. Um cidadão endinheirado qualquer, ainda se admitiria, agora um ex-primeiro-ministro, alguém que se sabe poderia a qualquer momento ser alvo de chantagem da pessoa que fez o trabalho ou próximas...E o mandar comprar livros para ficar no topo das vendas é de uma personalidade tão megalómana, tão megalómana que entra nos domínios da patologia. Grave patologia!
Vale a pena ler e meditar. O país nunca assistiu a tais perversidades (e ingenuidades) da parte  de um ex-governante. Mesmo sabendo que poderia ser alvo de escutas (e ele usou linguagem codificada, nalgumas circunstâncias, admitindo-se isso...),  ele foi longe demais, ele foi ingénuo, a ambição desmedida e o sentimento de impunidade perpassam aos olhos de toda a gente, ele tinha consciência   de que dominando a comunicação social, tendo amigos poderosos, nada de grave lhe aconteceria. Contudo, apareceu-lhe pela frente um Juiz a sério (o Dr Carlos Alexandre) e tudo se desmoronou, tudo se volatilizou. Aquele criticismo à justiça, aquele bradar aos céus que é tudo "um embuste", "um romance" "uma encenação" é de alguém tão vil, tão baixo, tão ignóbil que deixa até os seus mais acérrimos apoiantes preocupados com a sua sanidade mental...

VER AQUI
  e AQUI