rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

sábado, setembro 27, 2008

AMOR À TERRA

A Terra tão maltratada
Pelas ruas d'amargura
Precisa de ser amada
Temos que lhe dar a cura!


Rios gemendo de dor
Já não suporto seus ais
Na agonia, no estertor
São doentes terminais.


Natureza-mar também
Flora nossa decepada,
Gritam, chamam por alguém
Vêem morte anunciada.


Terra Nostra vai chorando
O Homem não tem afectos
Aos poucos lá vai matando
Mar e rios com dejectos...


Os sinos dobram por ti
Terra!, morres sem clemência!
Já não há mais alibi
Há que inverter a tendência!

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home