terça-feira, julho 07, 2009

DESGARRADA VILA-CONDENSE!


A fadista «lua-cheia» interpretando com rara mestria este fado que vai galvanizar Vila do Conde!
Vila do Conde vai a votos, assim este blog mantendo a equidistância que é seu apanágio, dá a voz às duas candidaturas: o rei-sol e a lua-cheia! Um armador de pesca e uma professora de matemática...
Oxalá o fado seja compreendido por todos. São dois candidatos fortíssimos e não quero tomar partido por nenhum. Entre les deux mon coeur balance, como diria o meu amigo Sarkozy...
Rei-sol
Tu és uma lua-cheia
De problemas, equações
Mas tenho cá uma ideia
Que não ganhas eleições!
Lau-cheia
Tu és rei-sol de arrogância
Julgas-te dono da terra
Farta da tua jactância
Já estou pronta prá guerra!
Rei-sol
Trazes raízes quadradas
Incógnitas, teoremas
São armas mais que emperradas
Jamais causarão problemas...
Lua-cheia
Vou-te mandar à falencia
Seu titanic da treta
Sou icebergue em potência
Comigo ninguém se meta!
Rei-sol
Não vejo em ti competência
Pra conduzir a cidade
O meu rumo é transparência
O teu é hilariedade...
Lua-cheia
O povo rirá no fim
Quando eu te mandar ao fundo
És submarino ruim
Num mar corrupto profundo...
Rei-sol
O meu mar é bem legal
É mar só de honestidade
Sou democrata e plural
Adoro a minha cidade...
Lua-cheia
A cidade não é tua
Esse é que é o grande mal
Vou mandar-te para a rua
Não passas de um... temporal!...
Rei-sol
Julgas tu que és bonança
O povo é quem o dirá
Serei sempre mar d'esperança
Ontem, hoje e... amanhã!
Lua-cheia
És um mar de prepotência
Com ondas de opacidade
Tens medo da transparência
És um mar... de falsidade!
Rei-sol
Sou honesto e vertical
Pescar votos é comigo
Pescador fenomenal
Pescar vitórias consigo...
Lua-cheia
Vais pescar uma derrota
Vais ficar triste, na fossa...
Só se fizeres batota,
Vais levar valente coça!...

6 comentários:

Alvaro Oliveira disse...

Olá amigo

Venho penhotadamente agradecer seu comentário em meu blog.

Como poeta e escritor deixo-lhe o meu apreço por este poema que li.

como cidadão comum, manifesto a
minha desilusão há já muito tempo sentida pela classe política
(das cúpulas), que considero gente
sem carácter, capazes de tudo para
atingirem os fins.

Um abraço

Alvaro Oliveira

Vivian disse...

...deixa estes políticos
e suas politicagens de
lado, e venha viver entre
os normais.
aqueles que nada sabem,
e por isso são felizes...rsss

vc ainda vai morrer enfartado
se ficar de olho nesta corja
de leões enlouquecidos pelo
poder...

bjbj, querido lindo!

rouxinol de Bernardim disse...

Alvaro oliveira.

No universo vivencial em que estamos inseridos desligar da política é alienante muito embora ela seja, de per si, alienatória...

rouxinol de Bernardim disse...

vivian:

Não vou chamar «anormais» aos políticos... mas que alguns o são, isso não duvido!

netp disse...

Simplesmente genial! Quem disse que a política não é romântica?

rouxinol de Bernardim disse...

netp:

Há que ter a coragem de ir ao fundo das questões!

Claro que depois apanha-se porrada... mas que remédio, há que
pôr os dedos nas feridas para curar as maleitas desta sociopatia congénita que nos vai atormentado há anos...