rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

sábado, maio 16, 2009

LISBOA, MULHER-GAIVOTA


Aos que petiscaram hoje no Restaurante Amarantinho (Amarante), vindos de diversos pontos do país, (com o M.S.A. no coração), dedico este fado que tem Lisboa como pano de fundo...
Lisboa, gaivota bela,
Que não pára de voar
Polícroma caravela
Que o Tejo teima em guardar!
Bela gaivota alfacinha
Ama o sol, toda ternura,
Nada no Tejo, nuzinha,
Amor sadio procura...
Lisboa, gaivota nua
Se ofertando ao vento norte
Nas asas do amor flutua
Ao sabor do vento sorte...
O prazer da liberdade
Ela aspira com paixão
Gaivota, terna cidade,
Lisboa... do coração!
Gaivota! Tu és Ary
Carlos do Carmo ou Mariza
Amália cantou pra ti
És Fado... que se eterniza!

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home