segunda-feira, maio 25, 2009

Diálogos de caserna

«És um rapaz instruído
És um doutor, em resumo
És um burro que espremido
Não dá caroço nem sumo»
citando A.A.
Não sei se és burro ou camelo
Bossas não tens, eu bem vejo,
Rabo tens!, estou a vê-lo
A zurrar, dás um lampejo!!!
réplica
PEDIDO: solicito aos eventuais leitores deste blog o envio de quadras dando seguimento à desgarrada!... Acredito na vossa mestria!

10 comentários:

Gata Verde disse...

Posso pedir uma ajuda como nos concursos? Quadras não é o meu forte...

beijos

rouxinol de Bernardim disse...

Pense bem...


Na justiça há animais
Bem tolos e alienados
Manicómios-tribunais
Deviam ser ... encerrados!

Que tal?!
Assina por baixo?

Faça um esforço ou peça ajuda a alguém...

Hod disse...

Olá Rouxinol!! Agradecendo-lhe a Visita ao Olhar de Carpe Diem para o Século XXI e o comentário...
Muito bom os conteúdos de seus post...forte abraço!!

Hod.

© Piedade Araújo Sol disse...

nem a pensar já não vais lá
que o lugar há muito está ocupado
já faz tempo que na cadeira
coloquei cola para lá ficar sentado

lol

SILÊNCIO CULPADO disse...

Os burros dos verdadeiros
são aqueles que se julgam
senhores de muitos saberes
pelas basófias que pugnam.



Abraço

Desnuda disse...

Ai ai ai! Rouxinol rsrsrs. Bem fraquinha....Mas vamos lá!


Rabo à vista é burro
Se tem caroço é camelo
Se não tem bossas
È um tolo , em suma



Beijo!

*Elizabeth* disse...

Muito obrigado pela torcida !!!

Teresa Queiroz disse...

ok ... promrto voltar com mais inpiração :)

obrg pelo comemt ;)

teresa

rouxinol de Bernardim disse...

Muito obrigado pela genial colaboração!

Não podia deixar em claro os que me enviaram e-mails(jumafis@sapo.pt), pois fiquei espantado com a qualidade intrínseca de quase todos.


O Kim das Vacas Loucas (de Luanda) foi objectivo:


Gere o caixa o Intendente
Padre das Antas, subtil,
É Engenheiro (de)mente
Engenha subornos mil.

O Tony da Balboa (Guimaraes) foi incisivo:


Alguns dizem que é ... SOPRANO
Outros, Tigre de Papel,
CORLEONE lusitano
Prícipe Maquiavel.


O Francisco José da Nuca (Bairro Alto- Lisboa Antiga)


Não passa de um embuçado
Da Mulher... torturador,
Usa o Cachorro chanfrado
O Canídeo mordedor...


Da Dona Alfredina Vila Pouca (Gaia)

Quer ser visto qual Mecenas
Até Santo Taumaturgo
Lambebotas às dezenas
Conheço alguns... cá no burgo (o líder... é o maior lambedor)


De Lisboa, o Senhor Dr D. Afonso:


Cobarde, manda bater
Mas tem medo de apanhar
Incapaz de combater (já senil)
Na toca vai-se acoitar.


Duas quadras mandou

Marcelino Lanzerote (morada indisponivel)

No sub-mundo é o Rei
Tudo faz, tudo controla,
Do medo faz sua lei
Lei do bastão... da pistola!


Intendente de Intendentes
Anda sempre com cachorros
Armados até aos dentes
Com bastões, luvas e gorros...


O padre Basílio (s. João da Pesqueira) também quis molhar a sopa na criatura:


DE ALMAS É COMPRADOR
MAFARRICO SEM VERGONHA
VIL RÉPTIL RASTEJADOR
SUA ARMA: A PEÇONHA!


NOTA FINAL: OUTRAS TIVE QUE ELIMINAR POR FALTA DE QUALIDADE OU AGRESSIVIDADE POUCO COMPATÍVEL COM A ELEGÊNCIA DESTE BLOG.

Noblesse oblige!

rouxinol de Bernardim disse...

Embora com muito atraso veio uma mensagem de um tal L.F. Vieira (será o Luís filipe?) que reza assim:


Este burro nunca muda
Rapa sempre o mesmo tacho
Isto é um «Deus nos acuda!»
É «mula» e pensa que é... macho!...