rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

sexta-feira, maio 15, 2009

Cavaco: economista ou político?

O discurso populista nem sempre é bom conselheiro...


Antes de enveredar pela carreira política, Cavaco Silva, então professor de economia, tout court , escreveu um artigo no EXPRESSO verberando os políticos, por oposição aos ecomnomistas. Dizia que os políticos falavam em função de conjunturas eleitoralistas, em função de critérios levianos pouco sérios dando prioridade ao impacto imediato das suas palavras e não à realidade profunda.
Pelo contrário, os economistas, eram mais sérios, diziam a verdade, independentemente de ser popular ou não, de criar bom impacto no eleitorado ou não.
Depois, foi político. Agora, pergunto se é político ou economista?
A sua viagem à Turquia e o discurso que lá proferiu obrigam-me a meditar.
Num contexto de pauperização progressiva, com tantos jovens desempregados, tanto desenraizamento e tanta criminalidade à solta, sobretudo nos grandes aglomerados urbanos e bairros periféricos, envolvendo problemas de rejeição e de não adaptação de algumas comunidades estrangeiras e de grupos vivendo a marginalidade como profissão__ isto em toda a Europa __ eu pergunto se a entrada de um país com a especificidade da Turquia não será inoportuna?
Na Grécia, na França, na Alemanha, na Inglaterrra e na Holanda (sobretudo, mas não só), as comunidades árabes (não só...) pela sua idiossincrasia própria, têm criado problemas multifacetados. A Turquia, com o elevado número de desempregados jovens, com uma taxa de natalidade em crescendo, conflitos internos (como o problema curdo) de feição problemática, com uma mentalidade onde impera um ódio ao mundo cristão (veja-se o que disseram alguns cidadãos quando interpelados se queriam aderir à UE, recusando liminarmente a ideia e acusando-a de ser um clube de «cristãos»...), será, no actual contexto, uma coisa boa a sua entrada no seio da União?
Creio bem que não. Creio que o PR usou a máscara de político, enterrando na areia a sua formação académica. Diplomacia sim, mas demagogia não! Para o mal-estar já basta assim!

2 Comments:

Blogger Maria Clarinda said...

Pois....
Jinhos

11:36 PM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Os economistas são «bons»... mas quando enveredam pela política...
há que ter cautelas...

7:27 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home