domingo, março 01, 2009

HAJA CORAGEM!

Rouxinol, pelo que fizeste merecias nota vinte! Mas como és «extra-terrestre», não competes no nosso campeonato, dou-te um zero!
Sim Rouxinol, fizeste isso?! E depois, qual o resultado? Foste perseguido, marginalizado , és ostracizado na comunicação social... olha, tiveste sorte! Podias ter sido internado como louco perigoso!

Devo dizer-te Rouxinol que o que fizeste foi indigno. Atitudes dessas não são próprias de um cidadão que respeita o sistema. És um pária nesta sociedade!


Rouxinol de Bernardim, és tu? Ainda não foste extinto? Não faltará muito, espera... verás!

Hoje em dia os políticos falam tanto em coragem, em frontalidade, em transparência, mas não são praticantes. São como Mário Soares quando meteu o socialismo na gaveta. Prègava, prègava, mas cansou-se. Meteu a moral, a ética, o socialismo, entre parêntesis e assobiou para o ar!...
Eu não fiz isso. Fui longe demais reconheço-o.
Pedi um inquérito a mim próprio! a quem? À Alta Autoridade Contra a Corrupção!
Escrevi mais ou menos isto:
Há um indivíduo, que escreve no jornal «Voz do Ave» e diz cobras e lagartos da câmara. Que não faz concursos públicos para empreitadas de grande porte, quando a lei o exige, que em concursos limitados contempla quase sempre os mesmos empreiteiros, que nas admissões de pessoal usa critérios que são publicamente denunciados como favoritismo, pela generalidade dos partidos da oposição. Mais: há empreitadas que foram adjudicadas por determinado valor e o custo final disparou para o triplo!
Enfim, este indivíduo diz isto e a câmara não o desmente. Se é verdade, é grave e precisa de ser investigado. Se não é, esse indivíduo precisa de uma punição!
Depois assinei o meu nome nos itens «Denunciante» e «Denunciado»...
O presidente da câmara em vez de rebater as acusações limitava-se a ataques pessoais a mim próprio: que não tinha credibilidade, que era um traumatizado, enfim, pouco faltou para me chamar louco varrido!...
O que fez a Alta Autoridade? Talvez para me comprometer (embora não possa dizer que foi esta, de facto, a intenção... daí alguma reserva) fez chegar às mãos do presidente parte da única carta manuscrita que lhe enviei. Como não lhe foi presente a minha assinatura (foi truncada) até se poderia acusar de ser carta anónima, mas não era, pois eu fiquei com o registo dela e tinha aposto o meu nome e morada, bem como o cargo que politicamente desempenhava: deputado municipal.
Essa carta foi usada para me perseguir judicialmente. Como deputado municipal não o deveria ser, mas fui.
Acontece que essa carta tinha alguns adjectivos inofensivos mas que o juiz considerou muito graves, na sua óptica. Eram a adjectivação compatível com a gravidade dos fenómenos em equação. Coisas como: «onde pára o dinheiro?» ou «crime de lesa-economia»...«ambiente maquiavélico»...«repressão sindical fascizante»...
Enfim, chinesises. As ausências de concurso público foram confirmadas amplamente. Mais ainda: todas as empreitadas que requeriam concurso público foram submetidas a concurso limitado. Numa empreitada não havia sequer propostas. Foi dito que elas tinham sido dadas por telefone!!!
Acontece que neste momento queria sugerir ao senhor primeiro ministro o seguinte:
Creio que está totalmente inocente no caso Freeport. Contudo, fruto de uma miserável e ignóbil campanha negra o país começa a ficar toldado por uma nuvem negra de suspeição envolvendo a figura do primeiro-ministro. É lógico: era ele que então tinha o poder decisório, o processo a partir de determinado momento acelerou-se de forma súbita, a suspeita ganha foros de verosimilhança na opinião pública!
Logo, o meu alvitre: como o senhor primeiro-ministro nada tem a ver com aquela trapalhada, está totalmente isento de culpas, seria pedagógico fazer o que eu fiz! Peça um inquérito a si próprio ao Senhor Procurador Geral da República, apresentando-lhe as suas contas bancárias e todos os fluxos financeiros que o envolvem directa ou indirectamente!
Seria um bofetada de luva branca nesta oposição mesquinha e medíocre que o anda a enxovalhar na praça pública.
É que, a posição da senhora procuradora encarregada do processo dizendo que o senhor não é suspeito daí não o investigar, quando a onda de suspeição vai alastrando, qual tsunami, por esse país fora, é altamente comprometedora para si: é (ou pode legitimamente ser) olhada como proteccionismo!


10 comentários:

Maria de Fátima disse...

Viva!
Gostava de recolher opiniões sobre este texto
agradeço e desejo um bom domingo

Dimas Maio disse...

Pois é, Caro Rouxinol. Eu bem lhe digo pra não se esquecer que está metido na gaiola social. Não é um passarinho livre, como gostaria.Tem de ter um pouquito de manha que se poderá traduzir por cautela, dentro desta depravação, mais ou menos generalizada.
Se Sócrates fizesse como diz, era certo e sabido de que o iam acusar de ter preperado um plano. Que, previamente, teria acautelado as provas que o incriminariam .Inventariam uma jogada de antecipação Os mabecos farejariam os locais onde teria limpo os dejectos, etc. e tal.

Não, meu caro. Infelizmnte,só lhe resta aguardar que tudo se esclareça.
Os perseguidores só se renderão se Sócrates se tornar mais forte pela sua acção política bem sucedida, o que eu anseio que aconteça.
Entretanto, meu caro, que não lhe falte, nunca a alpista. Metáoricamente, já se vê.

Saara Senna disse...

Olá!

Passando para desejar uma ótima semana e agradecer pela visita!

Beijo grande :)

rouxinol de Bernardim disse...

Maria de Fátima:

Bom fim de semana!

rouxinol de Bernardim disse...

Prof Dimas Maio:

Obrigado pelo desejo formulado.

Quanto ao resto, há que aguardar...

Mas as ondas especulativas também desgastam a rocha da personalidade!

rouxinol de Bernardim disse...

Saara:

Boa semana para si, também!

Que o «deserto» seja para os outros... o oásis pra nós!

Carla disse...

assim é a política neste recanto à beira-mar plantado...cheia de vícios e corrupções que em nada dignificam uma classe que devia representar-nos
boa semana

Angela disse...

Belo blog o seu,vou voltar e ler com calma;
passando para desejar uma otima semana e agradecer a visita.
Beijo

rouxinol de Bernardim disse...

carla:

Pergunto só: até quando?!

rouxinol de Bernardim disse...

Angela:

Seja bem-vinda e divirta-se!