rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

terça-feira, março 10, 2009

ÉTICA? Sim, obrigado!...

ÉTICA



Sem ÉTICA não há democracia
Respeito, dignidade, humanismo;
Ela é alma, matriz, cidadania,
Símbolo de carácter, de civismo.



Liberdade plural pressupõe ÉTICA,
Premissa e alicerce da verdade,
Crença numa visão quase profética
De uma vivência humana na bondade.



Um mundo novo temos que erigir
Balizado no amor sem fronteiras,
Urbi et orbi pujante no sentir




Com ÉTICA a plasmar metas cimeiras
Para que a paz se possa construír
Tornando ainda mais sãs pátrias inteiras!




O país e o mundo inteiro precisam de ética como de pão para a boca. Democracia sem ética é populismo desbragado, clientelismo balofo, mediocracia.

O que vemos por aí?

Um PR que deveria ser um observatório atento e interventivo, tem sido mais decorativo do que imperativo. Fez caír o Carmo e a Trindade por causa do Estatuto dos Açores e depois nem sequer o levou ao Tribunal Constitucional, para fazer vingar a sua tese, o seu alarmismo sensacionalista destinado a consumo de ingénuos úteis.

O que fez na Madeira? Uma vergonha! um pactuar silencioso e cúmplice com um abuso de autoridade, um insulto à democracia autêntica, uma blasfémia ao espírito de Abril!

Que tem feito para incutir no espírito dos agentes políticos uma maior disciplina e respeito pela legalidade, uma legalidade alicerçada nos valores e enfrentando esse cancro da corrupção cujas ramificações vão conduzindo à anemia, à inanição totais.

Nada faz nesse sentido, limita-se a uns discursos estratégicos, em datas simbólicas, preenchendo o vazio que é a sua intervenção de fundo na sociedade.

Onde esta´a magistratura de influência onde o império da ÉTICA se deveria sobrepôr ao império da corrupção?

Na redoma doirada de Belém vai assistindo impávido e sereno ao desbobinar de um filme de longa metragem cujo final é desolador e pouco cor de rosa. O abismo na economia dá as mãos ao descalabro social, ao arbítrio nas autarquias, ao regabofe em certos sectores governamentais (não me posso esquecer daquele pagamento de trabalho jurídico não feito mas pago pelo ministério da educação...), mais virados para a calendarização eleitoral do que para uma vivência autêntica no quotidiano dos portugueses.

É a precariedade, a pobreza subreptícia, a gatunagem desenfreada, a criminalidade ostensiva e desenfreada, o laxismo nas grandes empreitadas e fornecimentos (poder central e local...), gerando uma perspectiva de desânimo, de resignação na opinião pública farta de ouvir piedosas intenções não corroboradas com actos concretos no terreno.

Os órgãos de supervisão e fiscalização são alvo de pressões descaradas e até de sanções (por tribunais mais ao serviço da nomenklatura do que da verdade!), quem quer pôr ordem na casa é levado a tribunal por «excesso de linguagem», ou por «atentado ao respeito» de algum Capone de baixo perfil moral e intelectual mas grande na venalidade, no esbulho, na ganância!

A ÉTICA faz muita falta! um novo paradigma moral e cívico, uma nova cidadania virada para a correcção de abusos, um novo estilo de governação a nível local e central. Sem o espavento dos carrões a ostentar uma dignidade que não condiz com a falta de dignidade no desempenho dos seus utentes! Sem a parafernália de liturgias cultuando um poder alicerçado na venalidade, no capricho, na corrupção mais doentia!

ÉTICA, seja bem-vinda e venha para ficar! eu estarei, como sempre estive, ao lado dela!

E que Deus a deixe ficar por muitos e bons anos! Já estamos fartos da corruptofilia!

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home