rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

sexta-feira, outubro 19, 2007

A CARNE É FRACA - Reconversão do Talho Moderno!




Conto moderno...
(Ficção pura)
Foi em Vale do Aço que tudo começou. A cabeleireira, a simpática Genoveva, era um encanto de pessoa. Todas as senhoras gostavam dela: simples, afável, empreendedora e muito comunicativa...
Ali no seu cabeleireiro (Salão das Divas) falava-se abertamente de tudo: dos divórcios, das perfomances sexuais dos maridos, das aventuras de cada uma, nas suas actividades profissionais ou até na própria alcova... Dir-se-ia que para ser uma psicanalista a Genoveva só faltava o divã.
Tinha todas as características para isso.
Entretanto, com a crise a agudizar-se, a emigração dos homens para Espanha, sobretudo, foi um facto não despiciendo. A desertificação deu cabo de muitos negócios. É disso que fala a D. Engrácia, amantíssima esposa do dono do Talho Moderno, sito no lugar de Vilar de Coelhas...
__ Nem imaginas querida Genoveva, o meu marido passa a o dia a ler o jornal já não vai ninguém ao talho...
__A coisa há-de melhorar D. Engrácia. Há que ter espírito positivo. Eles dizem que está para aí a chegar aquela coisa da "retoma" ou o diabo a quatro, espero bem que venha cedo... já não suporto esta maldita crise.
__Nem eu! __ ajuntou ladina e atenta, a D. Filomena, queixando-se das longas ausências do marido lá pata terras de Espanha. __Imaginem lá que até já tenho "teias de aranha", desabafou ela, com ar infeliz...
Enfim, a vida ia de mal a pior. Só se safavam meia dúzia de grandes empreiteiros que financiavam as campanhas eleitorais e andavam sempre atrás do presidente da câmara. Esses sim, viviam nas suas mansões, com carros de luxo, frequentando os melhores locais de Vale do Aço e redondezas. Até que um dia... a novidade chegou ao salão das Divas como bomba de neutrões!
O caso não era para menos. O Talho Moderno fora encerrado! foi reconvertido...
A curiosidade crescia como se fora água em fervedura!, as gentes andavam intrigadas. O marido da D. Engrácia, o popular Macedo das Bexigas, colocara um reclamo luminoso onde se podia ler
"Pecado da Carne" e mais abaixo, em letras miúdas: "A carne é fraca!"
Toda a gente andava intrigada. O negócio corria de vento em popa. Cochichava-se que poderia estar a vender carne de contrabando. "Carne chinesa" diziam uns. "Brasileira" diziam com ênfase outros mais confiantes e com certa ironia no olhar...
Durante o dia o movimento era pouco, mas à noite, sobretudo, era enchentes de clientela. Vinham de freguesias vizinhas. E, sobretudo, homens...
D. Engrácia não cabia em si de radiante.O marido sorria e mostrava boa disposição permanente. A crise tinha sido habilmente ultrapassada. Até se mostrava mais elegante e leve...
A explicação para esta "leveza" foi dada por uma vizinha:
__D. Engrácia, tenha cuidado que o seu matido anda a "saltar a cerca"...
_"Pular a cerca", o meu marido?! Não pode ser...
Mas, para tirar as dúvidas, foi espiá-lo ao talho, à noite... Ficou deslumbrada. Explicou então, no cabeleireiro, a natureza do negócio:
__Olha Genoveva, eu nem queria acreditar. O Talho Moderno agora funciona sem carne. O negócio é simples. Há umas brasileiras semi-despidas que se agarram a um ferro a fazer ginástica, e os homens, de copo na mão e a olhar pasmadinhos da Silva para aqueles exercícios engraçados. Depois, elas (outras mulheres...) vão às mesas e fazem massagens às carteiras deles para irem mais aliviadas do stress.. eu não me importo com elas, só sei é que desde que o talho foi reconvertido o negócio aumentou muito. O que importa, como diz o nosso presidente da câmara na altura das eleições, o bondoso Dr Simplício, é ganhar! ganhar! ganhar! "Os fins justificam os meios", "a mão direita não olha ao que faz a mão esquerda"...
Era toda alegria e entusiasmo. E rematou com este desabafo:
_Olha, tu não digas nada, mas vi lá todo entusiasmado com uma brasileira, o padre Luís, ele usava uma barba postiça e fez-me sinal com o dedo no nariz para não o denunciar... claro que não o farei... nem ao juiz, o Dr Furibundo, que lá estava num canto bem escuro, escondido atrás de um bigode postiço a fazer umas massagens a uma brasileira que se queixou de ter dado com as nádegas no ferro dos exercícios... tudo gente da alta, nem imaginas...
O "salto tecnológico" de que o governo falou, teve aqui, nesta "reconversão", neste "salto em frente" um exemplo de sucesso. Enfim, desta forma original chegou a tão famigerada "retoma" a Vale do Aço... Razão tem o Dr Simplício, o presidente: "o que importa é ganhar! ganhar! ganhar!"

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home