rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

sábado, dezembro 06, 2008

QUE DE PESSIMISMO!!!

«Ele é um céptico!», disseram eles. E o negócio de Porto Rico lá avançou contra o parecer do céptico...
As ligações de Dias Loureiro ao libanês Abdul el-Assir não deixavam antever grande prosperidade. Jordão bem tentou impedir o negócio, mas foi considerado um céptico e o negócio concretizou-se. O Banco Português de Negócios era a arena onde Dias Loureiro e Oliveira e Costa se moviam com uma perícia digna de enguia. Os contactos, eufemismo que Dias Loureiro usa com demasiada frequência, lá estavam, no local certo, para o negócio certo.
Abdul El-Assir é figura de proa e velho conhecido de Dias Loureiro estando presente até em casamentos e festas muito in. O seu mundo é de outro mundo. Mais sub-mundo que outra coisa!...
O país devia estudar estes casos e estas ligações perigosas para saber a nata que nos desgoverna ou desgovernou. É este país onde se insulta o pobre, o pequeno, o humilde, e se louvaminham sinistras criaturas que eram dignas de figurar na filmografia de Fellini. Neste país são levados a tribunal deputados municipais, vereadores, que emitem pareceres negativos sobre os Corleoni que por aí pululam. Neste país de brandos costumes, as TV 's e as revistas cor-de-rosa se encarregam de branquear as imagens de tais nefandas criaturas, enquanto os tribunais se esquecem de quem, no regabofe nacional, se banqueteia forte e feio com o beneplácito de «surpevisores» (não me refiro só a um, há vários...) medíocres (ou domesticados...) que abocanham alguma fatia do bolo, degustam com afã o «bolo-rei» da mega-corrupção!
Pobre país que precisa de uma vassourada a sério! a cleptocracia de colarinho branco campeia e tem o «aval» de «augustas eminências» (mais pardas que os excrementos), tem o aplauso dos media sempre atentos, veneradores e servis,
perante tais suprassumos de moralidade e de civismo!
Depois, chamam «bando de loucos» a quem tem a coragem de chamar os bois pelos nomes, a quem não verga, não se acobarda, não se põe de cócoras perante o «bando de predadores» que vão levando a Pátria à falência, vampiros que sugam o erário público até ao tutano!
Pobre país que tais vampiros gera, pobre país que tais sanguessugas deixa parasitar no seu bojo!
Haja dignidade meus senhores!!!
O país precisa de uma «Operação Mãos Limpas»! Mas que seja alguém de «Mãos Limpas» de facto, a fazê-la! Se não, chame-se o juiz Baltazar Garzon!...

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home