rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

quinta-feira, dezembro 18, 2008

CIGARRAS NO PODER LOCAL...

Vós formigas sois umas estúpidas! Eu arranjei uma reforma «Dourada», passo a vida na farra, enquanto vós andais aí a trabalhar, trabalhar... parece que não sabeis fazer outra coisa. Ides ver como ainda vou a presidente de câmara ...
Aqueles que honesta e corajosamente apontavam os despesismos excessivos, o cultos das festas e festarolas, o clientelismo desbragado, eram apontados a dedo como «maledicentes»... Agora, a crise aí está, como corolário lógico de roubalheiras sem conta, despesismos fúteis, satisfação de favores a amigalhaços, criando sinecuras sem necessidade...
Agora é hora de apontar o dedo. Sim, a esses que enchiam a boca de «maledicentes», «ressabiados», quando não «invejosos», agora assumam as suas responsabilidades e deixem os cargos que aviltaram com malabarismos sem conta, com artimanhas contabilísticas destinadas a saciar gulas de politicamente gratos...
Parece que ainda estou a ouvir aquele despesista-mor de Gaia a apontar o dedo ao rival da outra margem dizendo que o seu fogo de artifício era melhor, a sua festa era mais gigantesca... gigantesco, gigantesco é o buraco orçamental que ele (e outros como ele!) vão fazendo crescer, crescer, a ponto de deixarem hipotecar para o futuro, para as novas gerações, o resultado desta volúpia gastadora sem rei nem roque.
Nós, os que avisámos a tempo e horas, fomos castigados pelos media vendidos, e sempre de cócoras sugando migalhas da mesa orçamental, temos o dever de os colocar no pelourinho, de os pendurar na figueira tal qual foi feito ao Iscariotes...
Será que os hipócritas virão dizer agora que nós, os que apontámos o dedo ao despudorado despesismo, à orgia gastadora, ao regabofe inter-comadres, é que temos a culpa?!
Fazer o mal e a caramunha é a arte destes «artistas» no trapézio da política!
P'ra alguns a vida é tormento
permanente trabalhar
tenho cá o sentimento
que anda injustiça no ar...
Alguns são como a cigarra
a vida é forrobodó
só sabem andar na farra
curtindo o traró-laró.
Reformas antecipadas
e mordomias a rodos
ganham dinheiro às carradas
e rapam os tachos todos...
É vê-los, grandes carrões,
ridentes com tal fartura
nós, a contar os tostões
eles... contam sinecuras!
Nós somos o formigueiro
em trabalho permanente
e a cigarra no poleiro
ainda goza co'a gente...

3 Comments:

Blogger Andreia do Flautim said...

:)

10:33 PM  
Blogger Marieke said...

Os teus textos de leitura assídua e obrigatória são deliciosos...inveja de quem escreve assim..
Feliz Natal
marieke

12:51 AM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Olá Andreia e Marieke:

Bom Natal com bom humor e com rabanadas de optimismo!...

1:17 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home