rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

segunda-feira, junho 09, 2008

Camões, as musas e os tempos...

«Sou filha de Nereu e de Dóris vivo no fundo do oceano, venho à superfície para incendiar paixões, inspirar os vates, alimentar a chama do sonho e da beleza. O estro poético precisa de mim, sou o combustível, que aliado ao comburente inspiração provoca a ignição e deflagra paixões».
«Nós os poetas vivemos uma relação biunívoca com as ninfas. Há uma interacção dialéctica permanente entre o amante e o objecto amado. Tágides ou nereides (1) com o seu sortilégio e o seu fascínio lá andam à nossa volta como borboletas entontecidas. Sempre foi assim e assim será. Vede esse poeta dos relvados (Cristiano Ronaldo) a criar sonetos perfeitos, odes magníficas, hinos épicos de galvanização nacional... lá estão as nereides com a sua galhardia a fazer atiçar ainda mais a tocha da genialidade.»
Todo o universo é feito de mudança
A vida é permanente convulsão
Novos tempos o tempo já alcança
O presente é passado... em embrião...



Às ninfas quero e voto o meu afecto
Tantas nereides enchem o meu ser,
Meu ego marciano está repleto
De tágides, de Vénus, podem crer!


Mas Portugal me inflama o coração
Me veste de coragem e moral,
A alma carregada de emoção!



Ninfas, nereides, «doping» sem igual,
Frenesim, pundonor, motivação,
Enfim, todo o esplendor de Portugal!!!




1) Tágides, ninfas do Tejo; nereides, ninfas do oceano, filhas de Nereu e de Dóris.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home