terça-feira, fevereiro 17, 2009

O charme discreto da burguesia...


Alguns suam... eles transpiram...
Os pobres cagam... os ricos evacuam...
A gentalha embebeda-se... os ricos etilizam-se...
Os pobres casam-se... os ricos consorciam-se...
Os pobres peidam-se... os ricos largam ventosidades...
Concordo plenamente! Eu não menti à comissão de Inquérito na Assembleia da República. Apenas posso ter faltado à verdade por amnésia lacunar eventual...
NOTA FINAL: Vale a pena ler a excelente nota do advogado de defesa de Dias Loureiro, no JN. Impagável!

3 comentários:

Manuel CD Figueiredo disse...

Não me lembro de ter sido designado Conselheiro de Estado, terá dito Dias Loureiro...
E terá ainda acrescentado: e "isso" é o quê? se for uma empresa, compro já!

rouxinol de Bernardim disse...

Será que o Estado também não tem memória?!

Poderemos dormir de consciência tranquila tendo gente assim, sem memória (ou de «má memória!»...) na cúpula do Estado?!

Marieke disse...

Olá Rouxinol
Estavas inspirado com esta poesia popular muito ao estilo do Aleixo...sabias que a escreveste quase quase no dia em que fazia 100 anos que ele nasceu?
Se calhar passou-te a veia para ti
Um abraço
Marieke