rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

terça-feira, fevereiro 03, 2009

Correntes d'Escritas! Póvoa no pedestal!

Dizer mal por dizer não é o meu lema. Há que dizer bem do que está bem. Assim, as minhas humildes homenagens a quem edifica esse monumento às letras chamado Correntes de Escritas que leva a Póvoa deVarzim aos confins do planeta e onde alguns indígenas se deixam alçapremar a níveis de mediatismo jamais alcançados. É o seu momento de glória, o seu minuto de clímax, o seu apogeu, quiçá a sua entrada no olimpo. A Póvoa torna-se ícone, baliza incontornável, marco indelével.

Há quem sobressaia nesse frenesim , há quem se dedique de alma e coração para que nada falte nos eventos colaterais, para que tudo brilhe ao mais alto nível.

A minha homenagem a essa alma-mater que está sempre no olho do furacão!



Lá no topo já fulgura
Essa estrela refulgente
Expoente da cultura
Esse facho incandescente
Diamantina-criatura!




Cessem de Camões os feitos
Cessem de Ronaldo os golos
É o maior entre os eleitos
Sobressai entre os parolos
Sol... p'ra todos os efeitos
...



Quando bota faladura
O mundo queda, rendido,
Eloquência da mais pura,
Ofusca o sol, não duvido,
Eça ri, na sepultura!


Gigante, este arqui-pigmeu...
Discurso pode ser pícaro,
Bem vulgar, como Lineu,
Mas ganha asas, qual Ícaro,
Sobe ao céu... qual Prometeu!...(1)


Cita frases, pensamentos,
De gente que fez História,
Cita fontes, documentos,
Enfim, percorre a memória
Exibindo seus talentos.


Rendida (ou farta...) a plateia
Espeta-lhe farpas-palmas;
Vê nele o farol, candeia
Que ilumina obscuras almas
Emoções desencadeia...


(1) Prometeu foi o tal que ousou subir ao céu para trazer o fogo para a terra. A humanidade deve-lhe essa conquista imorredoira... esse capital de valor incalculável...todos nos curvamos em seu louvor!

1 Comments:

Blogger Dimas Maio said...

Caro Rouxinol

O seu canto,desta feita, é cáustico q.b.
Eu já tive, por cumprimento dum cargo na minha profissão, de avaliar esta joia por lapidar, não chegou a ser brilhante. Tive, poém, em conta a máxima latina,
"labor improbus omnia vincit" E, como se pode constatar, é esse trabalho aturado que leva referido "diamante" a ser bem sucedidonos nos seus empreendimentos.Não devia era meter faladura

12:31 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home