rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

domingo, janeiro 04, 2009

DICOTOMIA REDUTORA...

Ó Henrique, ainda falta uma: os maledicentes! O país está cheio de cubanos, invejosos do que se passa na Madeira, sempre a dizer mal da minha forma de fazer política, tão elevada, tão cheia de transparência e sem aquelas promiscuidades que caratacterizam os corruptos e ambiciosos do Cont'nente!
Este país tem duas categorias de pessoas: os ambiciosos e os invejosos!

Henrique Granadeiro dixit!

Este país tem figuras que com suas boutades na comunicação social têm a pretensão de tudo catalogarem com a sua pseudo-eloquência. Por vezes, motiva-os o branqueamento de situações muito próximas do limiar da corrupção, o aligeirar de cargas pejorativas sobre a forma como conduzem as coisas nos lugares onde exercem ou exerceram funções.

Henrique Granadeiro, ex-seminarista, ex-governante no tempo da outra senhora, passou-se de armas e bagagens para esta senhora e esteve sempre na crista da onda. Encostado a figuras com alta influência na esfera política, e com mérito intelectual também, reconheça-se, lá foi por aí fora alçapremado ao topo, usufruindo de todas as mordomias inerentes ao seu estatuto.

Vir a público, fazer uma afirmação destas, cheira a proteccionismos a alguém em maus lençóis.

Quando vemos altas corrupções na banca e em certos segmentos da administração, justamente chicoteados por certa comunicação social atenta e não promíscua, a quem se dirigirá o remoque de «invejosos»?

Às vezes vemos alguns presidentes de câmara usarem tal epíteto para achincalharem adversários, dizendo que só querem protaganismo, que têm ciúmes do seu êxito, fica-se a pensar nesta estratégia já tão gasta mas ainda colhendo dividendos em certa arraia miúda sem capacidade de discernimento para aferir o real significado desse linguajar.

Quando as fiscalizações e as supervisões falham redondamente, perguntar-se-á: será que têm medo de serem considerados invejosos?

Quem fiscaliza e detecta casos graves pode ocultá-los ou fazer vista grossa, por medo de retaliações dos visados, ou por aliciamentos diversos. Há quem use certos conhecimentos para chantagear e não cumprindo o seu dever de denúncia, use os conhecimentos obtidos para caçar mordomias e obter dividendos. Há tantos casos por aí: na banca, nas seguradoras, nas finanças, nas autarquias...

Tanta gente que subiu na vida por ter protegido algum corrupto em lugar influente! Tantas mordomias «douradas» se obtêm por calar, silenciar, encobrir, a omertá está viva e cheia de saúde neste Portugal cheio de padrinhos e afilhados!...



2 Comments:

Blogger O Profeta said...

A humildade da água
Uma folha solta no vento
Cai sobre o mundo um manto de fino orvalho
Cada gota aprisiona um pensamento


Que o ano de 2009 seja a chegada aos teus mais
verdadeiros sonhos, que a tua alma encontre as mil cores
do feliz pensamento…


Que os nossos caminhos se juntem no espaço intermédio
entre a ternura e o tempo da viajem.



Abraço

1:39 AM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Só um profeta pode ter palavras tão sábias!
Registo e agradeço!

Bem hajas...

5:58 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home