rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

domingo, novembro 30, 2008

Sortilégio do mar-emigração

No mar-emigração também há ventos
Temporais, marés,também há sal,
São lágrimas vertidas no momento
Da saudade chorando Portugal.



No mar-emigração também há luz,
Também há sol, também raia o luar;
Quando há bonança, o mar também seduz
E o barco-amor também pode zarpar.



Na bruma da saudade, Portugal,
Imensidão de mar, com sal poesia
Reflecte bem a saga nacional.


Ó fonte inspiradora que nos cria
Agridoce ilusão, alto astral,
Ó mar-emigração universal.


Homenagem a todos os emigrantes que pelo Natal vêm matar saudades.

Terrorismo,paranóia colectiva!

Teocracia louca, dementada
Cultivando um fervor liberticida
Mensagem tão insana, alucinada ,
Terrorista pulsão,vil, homicida.




A fé cega, a doutrina do martírio
Caminho para o céu do fanatismo,
A paranóia à solta, o delírio
A submissão servil ao terrorismo.



Regrediu hommo sapiens, recuou
À barbárie mais tola, bestial,
O fundamentalismo obnubilou.


O mundo muçulmano, clerical,
Na madrassa corânica quedou
Cada vez mais ficou irracional.



In memoriam às
vítimas do massacre de Bombaim
Novembro de 2008

sexta-feira, novembro 28, 2008

IN MEMORIAM


Homenagem ao poeta vila-condense Dário Marujo, recentemente falecido.
Pintaste a lua, tão bem,
por amor, dizias tu,
um amor franco e tão nu
como a torre de Belém
o mosteiro dos Jerónimos
como o cais dos marinheiros
mesmo com os teus pseudónimos,
da alma veras roupagens,
trajando novas ideias
tecendo artísticas teias,
do tronco, simples ramagens,
cobrindo-te com mestria,
não deixando desnudar
esse afã de multiplicar
as faces da euforia
de pintor feito poeta
cultivando a preceito
a sublime arte e o jeito
na óptica de um esteta!

quinta-feira, novembro 27, 2008

Parabéns F.C. do Porto!


Bruno Alves esteve na base do 1º golo e foi influente na manobra global da equipa.
Ao vencer na Turquia (2-1) o F. C. do Porto apurou-se para os oitavos de final da Liga dos Campeões e será (a par do Sporting C. P.) um dos representantes lusos na prova.
Com dois golos de Lisandro Lopez (cada vez mais próximo do nível que atingiu na pretérita temporada) a equipa nortenha mostrou que está aí para as curvas. Lisandro, Bruno Alves, Meireles e Helton foram pilares numa equipa cada vez mais eficaz e demolidora.
O Sporting que logo defronta o Barcelona já está apurado e só se espera que almeje o primeiro lugar do grupo vencendo os espanhóis .

quarta-feira, novembro 26, 2008

Judite, a branqueadora!


Num país onde impera a promiscuidade por que não uma branqueadora de imagens?!
Ela lava mais branco que qualquer detergente...

A mensagem do pescador!


No mar tempestuoso vai plasmando

Hercúleas epopeias de heroísmo,

As eólicas fúrias enfrentando

Com coragem, bravura e optimismo.

Nem sempre é vencedor, essa megera,

A negra morte, o leva impunemente;

O mar é traiçoeiro e não tolera

Que alguém seja melhor e mais valente...

Ao pescador me curvo, respeitoso,

Monumento ao trabalho, à coragem,

Hino vibrante ao povo generoso.

Nesse mar de humildade, a mensagem

Deste pescador forte e vigoroso

É: saibamos viver à sua imagem!

terça-feira, novembro 25, 2008

ALERTA VERMELHO NA BANCA!

A notíocia de que o BPP (de João Rendeiro) estaria interessado em aproveitar 750 milhões de euros conforme o aval a disponibilizar pelo Estado, caíu que nem uma bomba nos meandros bancários!

Sabe-se que este banco opera sobretudo na gestão de grandes fortunas e está sobremaneira exposto à volatilidade que campeia no mercado de capitais. Ora, a ser verdade certo rumor existente no meio, a situação poderá estar já fora de controlo e poderá gerar incomodidade se for concedido tal aval na conjuntura actual.

Era bom que o Banco de Portugal pudesse investigar a fundo a situação concreta deste banco pois o panorama não é animador e poderá estar uma bomba armadilhada. Oxalá a prudência seja usada para que não se caia em situação penalizante para o erário público. Víctor Constâncio está sob fogo intenso de vários quadrantes. Oxalá não surja agora a estocada final ao seu periclitante prestígio...

segunda-feira, novembro 24, 2008

A voz da experiência...


A ministra da educação deve estar com o fígado afectado. Ovos a mais na sua dieta alimentar...
Manuel Ferreira Leite precisa de um Ferrari. Não, não para ela o conduzir, mas só para mostrar ao Luís Menezes que também tem um.
Sócrates, a continuar assim, talvez tenha o destino de Magalhães. Pode não dar a volta ao mundo, mas vai dar uma volta...
Carlos Queiroz tem de ir à bruxa! Ela lhe dirá certamente: «foi praga da Senhora de Caravaggio!»
Depois do ensaio-geral sobre um simulacro de terramotos Portugal já está preparado para um:
Grau oito na escala de Mota__ o Leixões ganhar o campeonato!!!

O «cancro da mama» já chegou à banca?!


Por detrás de uma aparência sedutora pode morar uma patologia bem maligna!
A proliferação de ramificações é notória! Há quem exija «cabeças» e responsabilidades!
Não se podendo extirpar a totalidade da «mama» há que reduzir ao mínimo os riscos de «contágio»! O PSD está com medo e já lançou o bisturi ao trabalho...
É caso para exclamar: MAMMA MIA!!!

sábado, novembro 22, 2008

Dias Loureiro, o último a saber!...

O Parlamento não o quis ouvir. Lá foi desabafar a Judite de Sousa. Será que a outra «Judite» não achará estranho tanta ignorância? Ele assinava de cruz? Ele é um ingénuo útil?

Ou, pelo contrário, ficará de fora, para apertar os calos aos amigos influentes a fim de ajudarem a resolver o imbróglio?
Invocou muitos anos de amizade com Cavaco Silva (subrepticiamente quis recordar certamente os montões de euros carreados para a campanha eleitoral... que deram até em excesso que teve de ser lançado borda fora!), quis fazer figura de «anjinho» imaculado, vestal do templo, pomba branca no meio de reles falcoaria!...

Este país vai de mal a pior! Menezes afinal saíu do PSD por causa de pressões relacionadas com este tema. Ele, coitado, queria a supervisão bancária, forte, intensa, necessária, mas os «mauzões» não queriam e ameaçaram-no... e ele cedeu, nada fez, nada disse então!...

Ficou tão cheio de MEDO, o cagarolas, que não permaneceu no posto e não deu seguimento ao que a sua iluminada mente preconizava: uma investigação profunda ao sistema bancário! Cedeu às pressões!

Vou-lhe contar um segredo, seu corajoso: um dia eu estava empenhado em investigar a fundo uma câmara municipal; recebi um telefonema de um antigo dirigente desportivo (muito implicado nas negociatas da dita câmara) a propôr-me um jantar para limarmos arestas; eu já tinha recusado um almoço proposto por um jornalista amigo comum (A.G.) e respondi-lhe que já sabia o que ele me iria dizer portanto não precisava de jantar nenhum; então ele (JRM) disse-me que não me queria comprar mas que era mais fácil seduzir outro escalão mais superior; referiu-me os próprios inspectores da SEAL ou até cúpulas do meu partido (PSD) que compreenderiam a necessidade de se ultrapassarem os preceitos legais dada a burocracia existente.

Não me intimidei. Continuei em frente. Fui honesto comigo próprio. Sabe o que aconteceu?!
Um alto dirigente do partido (S.P.), hoje deputado europeu, deu-se ao desplante de ir ameaçar o director de um jornal hebdomadário que estava a pegar no assunto dizendo mais ou menos isto: ou esse assunto é encerrado já, ou não haverá mais publicidade do Norte (?!!!) para aqui!!!

O director(Victor C. R.), timorato, agachou-se, meteu o rabinho entre as pernas e cedeu!!! Isto a ser verdade o que me disse o jornalista desse hebdomadário (AC) que, ele também, ficou enojado com tal despautério!

Eu continuei em frente! Bati com a porta no partido, não sem que antes tivesse denunciado ao então secretário geral (RR) a situação gravosa então protagonizada pelo dito (SP).

Quanto ao inquérito feito pela entidade de supervisão, deixe-me rir... ficou totalmente a leste dos casos mais melindrosos e tudo ficou como dantes, quartel general em Abrantes!...

Mas o Dr Menezes vem agora armado em vítima, procurando colher dividendos serôdios, quando, de facto, o que vem atestar soberanamente, é aquilo que toda a gente sabe: não teve estofo para seguir em frente, não tem um resquício de sentido de Estado, não tem estaleca para ser líder de nada! Ficou submerso pelas ameaças e nunca esclareceu nada, a não ser agora que dá jeito e é oportuno! GRANDE OPORTUNISTA!

Digno, digno, era demitir-se e divulgar publicamente as ameaças a fim de se poder
apurar toda a verdade no sistema bancário!!! Assim, foi mais um conivente! Outro Dias Loureiro!
Que a terra (política, entenda-se) lhe seja leve!!! Junte-se ao grande educador da Maia (SP) e vá publicando uns contos infantis para a gente se rir... Cambada de ...

sexta-feira, novembro 21, 2008

OU VAI OU RACHA!!!

Eis aqui um lúcido apontamento de quem já se apercebeu da magna questão que subjaz ao braço de ferro entre a ministra da educação e os sindicatos. É a jornalista do DN F. Câncio.

Vi ontem na SIC Notícias o Dr Dias da Silva e fiquei cada vez mais convencido da OBSESSÃO: ele antes de saber na íntegra as correcções que a ministra fez ao modelo de avaliação, já está contra!
É isto lucidez, é isto clarividência, será próprio de um professor mostrar tanta acrimónia e nem sequer se dar ao cuidado de analisar os novos dados para dizer logo que o problema não tem solução?!

Deus me livre! Chiça!, isto é mesmo falta de ética, de sentido crítico responsável, de vergonha!

Nós, cidadãos fora da redoma do ensino, já vimos há muito o cerne da questão: eles não querem avaliação, querem apenas protagonismo, aproveitamento político à custa de labregos que lá vão, cantando e rindo, bolçando palavras de ordem soezes, canhestras, desbragadas, elas próprias definidoras do nível a que chegou a profissão albergando no seu seio algumas «pérolas» de fino trato que são a quintessência de qualquer manual de achincalhamento ordinário, dignas de um carroceiro sem escrúpulos. É esta a imagem real dos professores de agora?!
Esta amostra não é definidora de um universo bem mais responsável, bem mais lúcido, bem mais consciente. Essa maioria silenciosa é que é o pilar da Educação!
É essa que eu respeito e que me habituei a admirar pois nela entronca o que há de mais sério e digno adentro desta profissão que já foi considerada um autêntico sacerdócio! A essa maioria tiro o meu chapéu!

quinta-feira, novembro 20, 2008

Mamma Mia!!!


Será que o burro sou eu?!!!
BRASIL 6 Portugal 2
O resultado é justo e perfeitamente normal. Define o grau de eficácia das duas formações. O nosso modelo de jogo, ingénuo e sem articulação, deu azo a toda uma série de facilitismos que redundaram numa goleada monumental.
Um ponta de lança sem grandes atributos físicos (Danny), isolado na área, foi um contraste flagrante com o jogo Portugal Espanha em sub 21 em que demos lição.
Há que substituír jogadores com rapidez: o guarda-redes e o defesa esquerdo estão a precisar de banco com urgência! Eles estão num banco de nevoeiro, tal a falta de tranquilidade que transmitem a todos...
Lembrei-me do Beto e do Braga do Leixões! Como é possível, depois do que têm feito até aqui, ainda não terem sido convocados?!
Queiróz anda à deriva. A equipa não tem rei nem roque. Ronaldo na selecção é uma sombra do Ronaldo do Manchester!...
O Brasil com um futebol simples e bem ligado, com defesa muito compacta e meio campo jogando com tabelas seguras e passes certeiros deu um festival de futebol simples e directo. Portugal perdeu-se em gongorismos enfadonhos querendo dar lições mas sendo humilhado pelos alunos! Queiróz, definitivamente, numa avaliação honesta, tem medíocre menos...

SOFIA ALVES, a doce flor do mar...


Uma flor sorrindo ao sol
Solarenga criatura
Actriz de primeiro escol
Da classe, vera figura.
Arrebata seu fulgor
Arrasa sua mestria
Beleza pura, um primor,
Tem perfil, tem fidalguia.
Entrega-se totalmente
Na tela é tão natural
Cativando toda a gente
Com seu pudor... integral!
Tem na ousadia o condão
Bem charmoso e delicado
De nos mostrar a razão
De ser rosto disputado...

quarta-feira, novembro 19, 2008

O telefonema secreto!...




As mulheres, mesmo quando de diferentes lados da barricada política, são solidárias. Tantos anos de luta para a emancipação feminina, agora que conquistaram a alforria, que lutam ombro a ombro com os homens em todos os domínios, sabem aliar-se em momentos oportunos...
Este contacto telefónico é paradigmático...
MFL - Senhora ministra, quero manifestar-lhe a minha solidariedade perante estes atentados de mau gosto e tão deselegantes que está a sofrer...
MLR - Agradeço este apoio mas gostaria que fosse tornado público. Assim, poderei contar com a sua solidariedade militante? Militantismo feminino, como é óbvio...
MFL - Tenho o dever de reserva, como diz Cavaco. Tenho de usar discrição senão sou acusada de «traidora» lá no partido. Eles, os homens, de tão traumatizados com a minha ascensão ao topo, andam mordidos de inveja e servem-se de todos os pretextos para me derrubarem...
MLR- Eu compreendo, se compreendo. Você tem aquela «lombriga» de Gaia que passa a vida a elogiar o ministro da economia e as obras que nos propomos efectuar, só para a criticar, só para enfraquecer a sua delicada posição. Tem que ter muito cuidado de facto...
MFL- Eu compreendo-a minha amiga. Você tem a «lombriga» Alegre, que vive à custa do partido-hospedeiro, mas sempre a vergastá-lo, sempre a morder a mão de quem lhe dá o pão, sempre a reboque dos maledicentes ... Temos que ter cuidado com estes «troca-tintas» que nos fazem a vida negra. Dizem gostar de mulheres, fazem jantaradas só com mulheres, mas quando as vêem no topo, passando por cima deles, soltam aqueles latidos furiosos onde impera a inveja e o ressabiamento mais desbragado...
MLR_ Como vê, estamos do mesmo lado da barricada feminina. Embora em partidos diferentes temos que lutar contra o «apartheid» que subrepticiamente ainda impera nestas mentes marialvistas impregnadas de um machismo doentio...mentes obnubiladas pelo ódio sexista mais retrógrado!
MFL_ Contra o machismo marchar, marchar!
MLR- E contra os troca-tintas pintar, pintar!!!
O pano cai, e as duas mulheres, com um balde de tinta e um pincel cada, lá vão escrevendo na parede: «MULHERES UNIDAS JAMAIS SERÃO VENCIDAS!»

Jardim, o Provedor do ensino!

«Eu cá na minha Córsega é que sei o que é bom. Professor é Bom, logo não se justifica avaliação! Quem precisa de ser avaliado é esse jornalismo maledicente que passa a vida a dizer mal de mim!... Quando eu conquistar o Contenente então a coisa vai fiar fino!»




AVALIAÇÃO É COISA DE MARXISTAS!!!
Não quero avaliação
Na Madeira, não se insista;
É tudo maquinação
Dessa escumalha marxista!
Eu sou avaliador
O «Provedor do ensino»
Leva «Bom» o professor
Seja menina ou menino!!!
Alunos? Tudo «Excelente»!!!
Avaliá-los, praquê?!
Só ministra incompetente
Nessa ideia 'inda crê...
Avaliar? Que tolice!
Professor é boa gente!
A ministra, eu sempre disse,
Tem visão deficiente!...
Mas que grande tonteria
Avaliar gente séria!
Ministra assim, só devia,
Ser ministra... na Sibéria!...

terça-feira, novembro 18, 2008

Os anarcas andam por aí!...

Numa parede escrito com letras garrafais este alerta que patenteia o estado de espírito de muita gente, preocupada com concorrência desleal e não só...

«NUNCA VIRE O RABO A UM CHINÊS. ELES MAL VÊEM UM BURACO ABREM UMA LOJA!!!»
Nota: Não, não é xenofobia, é sentido de oportunidade.

Guerra fratricida no Congo...

Tribalismo demente, mortandade
À solta, sem respeito por valores
O Congo é um vulcão de insanidade
Rios cheios de sangue, mar de dores...


Quem fomenta este horrendo fratricídio
Quem lança gasolina na fogueira
Quem é que está por trás do morticínio
De uma população simples, ordeira?


Abutres belicistas sem fronteiras,
Na mira do petróleo, só ganância,
Soltam do ódio todas as torneiras...


Terrorismo floresce na ignorância,
Sangue infantil já brota nas trincheiras...
E a ONU?!... Observando à distancia!...

segunda-feira, novembro 17, 2008

Jacinta Leite Capelo Rego...

«Sim, sim, já fui sondada para ministra da educação. Concordo com Jardim: professores todos com nota «bom». Alunos todos passados administrativamente com nota «excelente». Eu sou muito responsável e nada demagógica. Eu sou muito generosa: tenho tetas para todos: direita, esquerda e centro! a Dra Manuela Ferreira Leite já fez saber que não se oporá à minha ida para a pasta da educação... ela também é Leite... só que já não aleita!»

Neste país de mamões

Toda a gente quer mamar

Mas eu tenho três opções:

Tenho mama... a triplicar!

Esquerda, direita ou centro

Eu sou mesmo pluralista

Todo o povo está cá dentro

Não há ninguém que resista!

Tenho a mama executiva

A maior, mais sensual,

Também a legislativa

E a ... teta judicial...

Portugal lá vai mamando

Com sofreguidão sem fim

Todos se vão aleitando

Ninguém me aleita a mim!

Nota: O meu «facies» é muito mais sedutor do que o da actual ministra. Tenho argumentos muito mais convincentes. Comigo os sindicatos andarão sempre ao colo! eu sei bem que eles gostam muito de mama!...

domingo, novembro 16, 2008

O Fado da Recessão.


In jumento.blogspot, o fadista Durão Barroso em plena actuação...
Vem aí a recessão
Europa, toma cautela,
A crise não é balela,
Há que ter ponderação.
Confiança há que injectar
Nos mercados financeiros
Os responsáveis primeiros
P'lo que se está a passar...
O petróleo flutuando
Ora subindo ou descendo
E todos vamos sofrendo
Nesta crise mergulhando.
Vamos mudar esta aragem
Esta maré de insucesso
Há que inverter o processo
Precisamos de coragem!
Unidos, todos remando
Contra a maré pessimista
Um porto seguro à vista
Vamos todos vislumbrando.
A caravela europeia
Não vai parar, nunca mais,
Digo eu, o luso arrais,
Rumo a uma nova epopeia!

sábado, novembro 15, 2008

Santana Lopes debaixo de fogo...

Quem se expõe e mostra muita disponibilidade para cargos de notoriedade - para «ser feliz» na sua própria versão... - fica sempre na mira . A sua praxis na câmara de Lisboa deixou muito a desejar e agora aparecem esqueletos no armário!!!...

Os clientelismos são muito bonitos mas deixam sempre rastos... tal como os polvos; só que estes a natureza dotou-os de técnicas para os eliminarem... Será que também há homens-polvo?!

Torquemadas andam por aí!...



A Inquisição está viva, mas usa métodos mais sofisticados!...
Perversa Inquisição deixou resquícios
Práticas aberrantes, odiadas,
Tolices obsoletas, vis pulhices,
De novos fariseus ou Torquemadas!
Reis católicos, bestas sem cultura,
A cega intolerância mais demente,
Conduzinho à matança ou à tortura
Quem pensava ou agia... diferente...
Hoje mantemos essa espúria gente
Usando a fé, qual lança abominável,
Anatematizando impunemente
Quem quer ser livre, adulto e responsável.
Fanatismos arcaicos, vão bolçando
Comissários políticos servis,
Políticos retrógrados louvando
O povo ameaçando com ardis...
Na caça ao voto são também peritos
Usando o isco fácil da oratória;
No púlpito, apóstolos convictos,
Pulando a cerca estulta da vã glória...

F. C. do Porto SAD- Rumo à regeneração!

Um gesto nobre: a SAD do Dragão abdicou de prémios do segundo e terceiro lugares na Liga e só ficou o primeiro lugar como passível de prémio.

Era bom que fosse mais longe. Dado que o esforço para alcançar o primeiro lugar é mais de índole desportiva do que administrativa seria de bom tom que esse prémio para o primeiro lugar fosse distribuído por todos os atletas, técnicos e responsáveis desportivos directamente envolvidos. Assim, sim, era a regeneração total!

A Igreja Católica sempre atrasada no tempo...


Não sei o que se passa com a Igreja Católica mas afigura-se-me completamente ultrapassada e anquilosada a ponto de se poder dizer que vai sempre na cauda do pelotão...
Há tempos, na Argentina, um padre foi condenado a prisão perpétua por ter sido responsável pela morte e tortura de várias pessoas. Que fez ele? Serviu-se da confissão para colher dados e transmiti-los a torcionários da polícia que levaram avante o seu projecto assassino. Confessou tudo em tribunal. Foi um escândalo na Argentina e no mundo inteiro.
Em Boston um dos responsáveis pelos crimes de pedofilia, confessou que era no confessionário que começava o trabalho de aliciamento das vítimas. Em África, alguns padres foram acusados de violar freiras e confessaram elas que era no confessionário que começava o assédio.
Sabe-se que no tempo de Cristo não havia confissão nos moldes em que hoje existe (o vergar e ajoelhar perante um homem que pode ser mais pecador do que quem se procura libertar do pecado...). Esta prática remonta ao tempo da inquisição e destinava-se a controlar todo o universo familiar com fins altamente policiais e terroristas.
A Inquisição deu no que deu, os papas fartam-se de pedir perdão pelos abusos e excessos cometidos, no entanto, este resquício totalitário ainda persiste causando danos quotidianamente.
Pessoalmente devo dizer que me deixei dessa prática aberrante desde que vi um padre acusar uma pessoa de estar a «ouvir a confissão»!!!! Esse mesmo padre recusou a comunhão a uma senhora idosa, ofendendo-a publicamente e fazendo acusações que, estou seguro, se fosse levado a tribunal para provar aquilo que disse, não teria meios probatórios. A comunhão não passa de mero efeito placebo destinado a ser mais um sinal exterior de exibicionismo, devendo ser completamente reconvertido num acto mais virado para o simbolismo.
Era tempo de os padres se deixarem de usar a comunhão como arma de arremesso, para fins políticos (na grande maioria dos casos) ou de ostentação de poder pessoal (caciquismo teocrático). Era altura para que o papa, fazendo um Concílio, adequassse a igreja aos novos parâmetros do pensamento moderno, que a deixasse penetrar pela luz da ciência e da cultura a fim de que as teias de aranha reinantes fossem completamente retiradas da sua praxis.
Questões como o celibato dos padres, o uso do preservativo e outros assuntos de candente actualidade fossem discutivos. A OMS tem vergastado a IC de forma constante e justa, pois com o seu comportamento retrógrado e completamente alienante, tem contribuído para a propagação da sida e para um desbragamento demográfico em certos países, o que é causa de guerras e de disputas sem fim. Era tempo de uma viragem na IC.
Era tempo de mudanças de mentalidades pois essa é que é a grande revolução necessária para se ultrapassarem fundamentalismos doentios, farisaísmos patológicos conducentes à perversão e ao arbítrio.

sexta-feira, novembro 14, 2008

Fundamentalismos tolos!

Quase todas as religiões têm comportamentos dignos de meditação. A sua praxis é tão digna de comiseração que raia a cretinice mais absurda. Imagine-se que quem votou Obama (a maioria dos americanos) deve abster-se de comungar!!! Já houve quem fosse internado num manicómio por menos do que isto!!!

Marcadores:

Falta de supervisão ou calculismo?!

Não é fácil penetrar no âmago das consciências. Por vezes surgem conflitos de interesses que importa aprofundar para se perceber melhor os actos e omissões graves de quem supervisiona o regular funcionamento das instituições.

Assim, ao mostrar uma exacerbada preocupação com o estatuto dos Açores (coisa de somenos importância) e alhear-se completamente dos graves problemas da Madeira (tais como: inaugurações em plena campanha eleitoral, insultos graves ao órgão de soberania ARM- à qual apodou de «bando d eloucos», suspensão abusiva de um deputado do PDN) o comportamento do PR indicia pouca capacidade de supervisão.

A supervisão exige actuação firme e não passividade que poderá apontar para o calculismo e para a conivência, dois estados de espírito que não abonam o prestígio e não são susceptíveis de dignificarem o múnus de um presidente de todos os portugueses.

Será que ele receia actuar por recear perder votos na próxima campanha para a presidência? Se for, até onde irá este fazer ouvidos de mercador sistemático?

O PS Madeira, faz ouvir a sua voz com indignação! E, na minha modesta opinião, está pleno de razão!

O CDS queixa-se do mesmo! PCP e BE idem aspas...
Será que iremos continuar a assistir de forma duradoura a esta genuflexão de Cavaco a Jardim?

Já anteriormente, quando o PR fez certos comentários nos Açores sobre a autonomia (limites...) Jardim comentou de forma acintosa e quiçá ameaçadora: «Ele que não pense que na Madeira pode dizer o que disse nos Açores!»

Este comentário altamente acintoso, achincalhante mesmo, será que teve efeitos e é a causa da tibieza do PR?

O país aguarda com expectativa até onde irá este ajoelhar constante...

A CURA DA SIDA!

Um processo inovador, baseado no transplante de medula óssea poderá estar na génese da cura deste flagelo. Oxalá assim seja, de facto. Pode ler aqui!

quinta-feira, novembro 13, 2008

Compradores de almas!... andam por aí!!!

Estava num café da Póvoa de Varzim, e um conhecido advogado afiançava para o dono do café:«Macedo Vieira é igualzinho a S. Pedro!»
O outro replicou: «Também é chefe de uma Igreja?»
Que não, respondeu o outro, era apenas excelente pescador de almas...

Vem este intróito a propósito do divórcio de Madona. Ela e o cônjuge andam a tentar aliciar os empregados para serem seus defensores no processo, a fim de ficarem com a custódia dos filhos... após o divórcio.

Está em leilão o seu testemunho, e cada qual vai subindo a parada perante as exigêncios dos vendáveis empregados.

Em tempos houve um sujeito que se prontificou a «comprar jornalistas» para ajudarem na campanha de Carrilho para a câmara de Lisboa. Este contou que recusou liminarmente tão odiosa proposta. O certo é que o «comprador de almas» foi ofertar os seus préstimos ao adversário que viria a triunfar, na corrida à tal câmara!...

Consta que tal «comprador de almas» depois de ter sido responsável por determinado sector ligado ao Sporting Clube de Portugal, foi doar-se (vender-se) de alma e coração ao eterno rival, Benfica.

Consta agora, nos mentideros da tribo do futebol, que anda a encaminhar as suas generosas ofertas, com igual despudor, ao rival do norte...

Será uma nova forma de prostituição?!
Shakespear, se fosse vivo, mudaria aquela célebre asserção: «A vida é um palco e todos somos actores», para «A vida é um desfilar de prostitutas, mudando de prostíbulo consoante os incentivos monetários!»

E não querem lá ver que eu é que sou o burro, eu é que estou no caminho errado, eu é que sou o ingénuo, eu é que ainda não me adaptei?!!!

Quando vejo os padres de algumas paróquias a mudarem de camisola consoante o partido que está na mó de cima, quando vejo tanta coisa para subir na vida, ascender ao topo (na política, na profissão, na associação...) eu cada vez mais digo como aquele que mataram e pregaram na cruz: «o meu reino não é deste mundo!», ou , talvez melhor :«o meu mundo não é deste reino!»...
A chulice é quem mais ordena!

Avaliação de profs igual a marxismo!!!


Se o nonsense fosse ópera ele seria um Pavaroti!!!
A técnica, de tão gasta, de tão usada, já cheira mal. Mas continua a ser usada e abusada. Agitar um espantalho e depois arregimentar as massas atrás dele, qual Maria da Fonte, qual Napoleao das dúzias sempre à conquista de novos mundos na área do delírio e da desonestidade intelectual mais absurda.
Agora, vem dizer que a avaliação de professores é obra do marxismo! o «papão» marxista, o tal comunismo que come crianças ao pequeno almoço, está aí outra vez, capaz de arregimentar pacóvios e reavivar toleimas de todo o jaez.
Ele nasceu assim, ele cresceu assim, ele sempre foi assim! é o Jardim!
Se o processo de avaliação pode sofrer entorses, vícios, aproveitamentos (governamentalizações ou afins) diversos, acredito. Mas que intrinsecamente é uma medida justa, necessária, e capaz de acabar com o nivelamento pela mediocridade, isso sim. Agora que é fruto do papão marxista, santo Deus! Isto é a mais gritante falta de honestidade intelectual, isto define a estirpe de um demagogo em alto quilate!
Vem inclusive com a desfaçatez de invocar Salvador Allende para legitimar este assomo de pouca vergonha. Como é possível continuar esta insolência permanente à inteligência das pessoas normais?! Será normal?!
Há quem diga que é patologia... e das graves!
Ele tem sempre um sapato para arremessar seja a quem for: ao governo, às oposições internas, aos seus próprios fantasmas interiores, que os tem e muitos!
Para aprofundar a pathos veja o blogue pensaMadeira!
Só com esta criatura! imperdível!!!

quarta-feira, novembro 12, 2008

A paranóia de Maquiavel das Ponchas!...

O judeu Joe Spielberg, consagrado realizador cinematográfico, está na Madeira. Vendo e assistindo à realização da série «flor do Mar» da TVI, prepara os alicerces do seu novo filme!...

Embora ainda pouco conhecido em Portugal este conceituado cineasta judeu já é autor de uma vasta obra. Agora, de passagem para a Madeira, pudemos conversar um pouco com ele. É de uma capacidade dialogante fora do comum, para mais, anda empenhado em aprofundar a história recente do nosso país a fim de enriquecer o seu já vasto currículum.

R. de B. __ Então como se vai chamar o seu próximo trabalho?

J. S. __ Sabes, Rouxinol, a minha vida é ela própria um filme. Fui vítima do nazismo, perseguido e maldito lá nos States, tento fazer emergir na tela a minha sensibilidade, a minha experiência, para que através de hipérboles cinematográficas, a humanidade possa colher lições, possa aprofundar melhor as raízes dos totalitarismos... assim, o meu próximo filme intitular-se-á «A Paranóia de Maquiavel das Ponchas» e será feito na Ilha da Madeira.

R. de B.- Qual é o guião, ou a essência desse trabalho?

J.S. __ É um trabalho que aprofunda a mente, os labirintos quase insondáveis da patologia de um ditador. Tal como Hitler, que foi um cidadão respeitável até certo ponto do seu trajecto político, este «Maquiavel das Ponchas» começou muito civilizado, muito temente a Deus, muito "missas e ladainhas", mas depois degenerou... Passou a ver perseguições em tudo, passou a ter medo da própria sombra... Fazia o mal e a caramunha, tinha tiques totalitários profundamente coléricos, azedava com frequência...

R. de B. __ Tem similitudes com alguém em particular? Extraíu dados de algum líder conhecido?

J.S.- Não, nada disso. Ele é, ou melhor personifica, todo um conjunto de políticos que se servem da capacidade arregimentadora de populações ingénuas e timoratas para as condicionar. Ele agita espantalhos e provoca uma adesão espontânea, usando essa adesão para os seus propósitos menos lícitos e bem venais... Como ele há muitos, infelizmente, não só em Portugal... não se pode dizer que seja produto localizado no tempo e/ou no espaço...

R. de B. - Qual é a trama, a tecitura principal, o fio condutor da história?

J. S. - É óbvio que não lhe irei revelar tudo. Direi apenas que é um homem que é obcecado com a «Autonomia». Até chega ao ponto de a levar para a cama!...

R. B. - Tem pesadelos com ela?! É ela a causa da sua paranóia?!

J.S.- Nada disso. Ele tinha uma empregada doméstica que descobriu no seu quarto, em local bem escondido, uma boneca insuflável. Era linda, tão linda como uma Vénus. Tinha um nome: «Autonomia»! Tinha com ela umas «escapadelas» bem doentias...

R. B.- E então que fez a empregada doméstica?!

J. S. - Ela começou a fazer chantagem com ele. Ameaçou denunciar essa tara na praça pública, ameaçou divulgar tal fetiche na comunicação social, fazendo-o caír em descrédito perante a Igreja que era o seu sustentáculo político por excelência... a coisa complicou-se de tal sorte que não teve outra solução senão seduzir a empregada doméstica!

R. B. - E ela então calou-se?

J. S. - A encruzilhada final é quando a sua esposa, a legítima, descobre a dupla traição! Aí é que a porca torce o rabo!!!

R. de B. - O final é feliz ou dramático?!

J. S. - O final é hilariante e satisfaz todas as partes interessadas pois ele era capaz de «comprar» todas as consciências... Usou a poncha para fins eventualmente chocantes e foi-se safando... Até que um dia, um padre amigo, ao entrar em sua casa, descobriu toda a marosca. Aí, a «autonomia» foi finalmente desmascarada e ele caíu em desgraça. Foi a «queda de um anjo»!

Não foi possível colher mais dados sobre o filme que promete ser um èxito de bilheteira, tais os condimentos erótico-político-filosóficos subjacentes. Há que aguardar...

ORAÇÃO SENTIDA!!!


«Em verdade, em verdade vos digo, adquirir o Magalhães é um investimento na alma. Estão garantidas indulgências sem fim para quem adquirir este instrumento de libertação do pecado, este magnífico veículo que usa o céu para servir a terra.
Do sete aos setenta e sete, todos poderão usar esta caravela cibernética que sulca os céus sem precisar de combustíveis poluidores, sem causar ruídos ensurdecedores, e, até pode caír que não se danifica!...»
Pensando com os seus botões: «Vou ter mais dificuldades, na próxima cimeira, em vender aquele vinho do Porto que o Manuel António tem, lá na Casa do Douro, e que servirá para pagar a dívida ao Estado. Mas com Lula e Hugo Chavez, amantes da boa pinga, o meu discurso só terá que assumir uma vertente teológica (chamar-lhe-ei «sangue de Cristo Rei!...) e o efeito será conseguido! Com estas iniciativas vou tirar o país da crise, vou escoar os nossos stocks, vou criar um novo estilo de governação... vou ser um Delegado de Propaganda Lusíada!»

terça-feira, novembro 11, 2008

ABRIL NÃO VENHAS TARDE!!!

«Se não estivéssemos na Europa já há muito tinha surgido um golpe de Estado. Motivos não faltam!»
Há tempos não muito longínquos, disse Mário Soares


Não morro de amores por Mário Soares, mas li o seu «Portugal Amordaçado» e ainda o releio às vezes. Os tempos são similares. A História repete-se com demasiada frequência. A memória é um atestado da nossa consciência colectiva, um despertador, um detonador de alertas. Um sacrário de ideias, de valores, de sentimentos!
O estado a que chegámos é de molde a gerar graves desconfianças ao próprio regime que se diz democrático mas que está cheio de microclimas ditatoriais, impregnado de bolsas totalitárias, de czares, de sobas, de «bokassas» de trazer por casa...
O povo sai à rua com a maior das facilidades, não para levar em ombros os tenentes do poder, mas para os admoestar. Está criado um caldo de cultura propício ao deflagrar de vagas de fundo, ao eclodir tempestuoso e insubmisso, do tão apregoado «direito à indignação
Este poema tem por fim alertar os poderes públicos para o clima que predomina nos cafés, nas famílias, nas tertúlias mais comezinhas. Não, não é um apelo à revolta, mas tão somente uma tomada de consciência de que o sentimento de revolta está crescendo, galopando no prado da democracia...
ABRIL NÃO CEGOU! NÃO DORME, NEM SE DEIXA NARCOTIZAR!
Opacos interstícios da justiça
Que ocultais miseráveis cambalachos
Olhai que Abril não cega, não preguiça,
Abril vê mordomias, vê os tachos...
Justiça envilecida, sem pudor,
Esclerosada, usada e abusada,
Vergada ao vil metal, tão sedutor,
Manhosa criatura, viciada!
Reles caricatura, serviçal,
Tu punes a virtude pra louvar
O vício mais velhaco, mais venal,
Crês-te vestal, mas ... só de lupanar!...
Subjugas-te ao poder, sem ter pudícia,
Sem vergonha. De cócoras te vemos
Lambendo as mãos, as botas, com estultícia!
ABRIL VIRÁ DE NOVO! NÓS SABEMOS!
Nota: importa ressalvar os juízes probos e corajosos que ainda temos, que os há também. Neste conglomerado «justiça», há que incluír o legislador, ele também, responsável em primeira instância, pela injustiça que temos!...

segunda-feira, novembro 10, 2008

Esta injustiça que temos...

In «We Have Kaos In The Garden»
Era uma vez um regime que se dizia justo e incorruptível; mas era temente a Deus e a Fátima...

Qualquer dia vai para o céu... o regime, claro!... Os militares andam por aí!...

domingo, novembro 09, 2008

Será que roubaram o apito ao árbitro?!




Pilatos supervisor
Lava as mãos, lá na Madeira,
Vendo o cacique opressor
Não tira as mãos da algibeira!


Ali votos já pescou
E quer voltar a pescar
Por grande omissão pecou
E vai voltar a pecar...


No inferno da Madeira
Abril jamais pode entrar
A criatura brejeira
Só quer Maio... e ... Salazar...


Ouvidos de mercador
Faz o árbitro, sem ver,
Protegendo o infractor
Pensando os votos... colher!




Há que actuar sem demora,
O jogo está viciado
É batota a toda a hora
O juiz?! Olha pró lado!!!

O Silêncio de Conrado...


Às vezes pergunto a mim próprio a que se deverá o silêncio do PR sobre alguns desmandos observados na Madeira. Há quem opine que é calculismo. Não sei se por trás desta omissão de intervenção há o receio de perder os votos da Madeira num futuro acto eleitoral. Enfim, eleitoralismo oportunista de quem se afirmou «presidente de todos os portugueses»...
Em certos momentos há que cortar a direito, agir sem ideias pré-concebidas, ser isento, ser supra-partidário, ser íntegro...
Tem custos?!
Eu sei que tem. Tenho experiência disso. Mas quem estiver a olhar para horizontes eleitorais, para danos colaterais adjacentes, começa a ser conotado com o «SISTEMA»...
Esta palavra é um eufemismo que diz tudo sobre o Portugal de hoje. Basta saber ler...

Presos por ter cão... e por não ter!...

« Dentro de cada português há um pide! » _ disse Rui Zink, escritor português.
O zénite na capacidade autocrítica!...

Nós agora com o Magalhães podemos fazer a supervisão da conta bancária. Qualquer dia estamos no Banco de Portugal a fazer a supervisão do sistema bancário. O Vítor Constâncio
ou ainda não tem o Magalhães ou tem medo que lhe chamem o pide dos bancos...

Quem é pela frontalidade, pela transparência, pela não opacidade, é pide!

Quem é comedido, prudente, cauteloso, é um falhado, pois não tem capacidade de supervisão!

Neste país, e cada vez mais, é-se preso por ter cão... e por não ter!


sábado, novembro 08, 2008

Um Vício que alastra!...


Dizem que Hitler era muito trabalhador, metódico, organizado, corajoso. Só tinha um pequeno defeito: era viciado no poder!... cuidado com a droga!!!
O poder é vício forte
que embriaga e tolda as mentes
faz alguns perder o norte
por querê-lo eternamente...
Julga ser imprescindível
um ser quase omnipotente
vício tolo, incorrigível,
faz ser besta, alguma gente...
Diz ser insubstituível
Ter projecto divinal
o vício é reconhecível
menos... por quem tem o mal!!!
Resiste à cura, resiste,
nem sequer a gente estranha,
a pior coisa que existe
só a morte... o desentranha!...
O vício é bem letal
o viciado nem sabe
que é doente terminal
só teme que a droga acabe...
A droga pega-se a eito
é vê-los a envilecer!
no fuhrer ou no prefeito
é consumir... ou morrer!!!

sexta-feira, novembro 07, 2008

A voz da razão! Mas alguém lhe dará razão?!

A Dra Maria José Morgado está desfasada no tempo. Ela já há muito vem prègando no deserto e ninguém lhe presta atenção!

Os paraísos vicejam como joio em searas de trigo loiro. Paraísos fiscais é o que há mais!
A opacidade no seu mais elevado expoente! Ela tem razão, mas quem manda e está no poder não lha dá, pois iria pôr em causa interesses vários. Daí , ela estar condenada à perpétua pregação. Até que um dia...

JÁ NÃO HÁ LODO NO CAIS!


Eis aqui o imortal Marlon Brando quando preenchia as noites da «nossa» Lili Caneças...


...SÓ HÁ LODO NO SISTEMA!!!


Um bando de palermas sem craveira
Gentalha acanalhada sem perfil
Autocratas pacóvios da Madeira
Mais parecem canídeos ... num canil.


Máfia boa, segundo o seu dizer,
Tem no padrinho asnático o pilar;
Maquiavel parolo faz-nos crer
Que é só dele o direito de insultar.


Pesporrência mais tola, mais venal,
Ó palermocracia sem pudor!
Caricatura vil, irracional,
Deste neofascismo corruptor...


Regime que entroniza a parvoice
Que endeusa a paranóia mais boçal
Careta putrefacta da tolice
Não é democracia__ é lodaçal!!!


==============

===========

=========

ADIVINHA DIFÍCIL


Quer voltar a «ser feliz»
A ideia, ninguém lha tira...
Vê na mulher ... a perdiz
Sempre debaixo de mira...


Tem do poder a concepção
Do mais sincero hedonismo,
É pra dar satisfação
Ao seu notório egoísmo!


Sua vaidade exorbita
O limiar do bom senso...
Narcisismos regurgita
Adora o cheiro... a incenso!...


O poder é uma obsessão
Pois sem ele nada é
Fora dele está no chão
Com ele... fica de pé!


Moeda fraca, volátil,
Que circula no sub-mundo
É computador portátil
Só «computa»... lá no fundo!...


Paga «estudos» sem ter jeito
E sem qualquer «precisão»
Sempre aos amigos do peito
Lá virá o seu quinhão!...



É perito a aliciar
Empreiteiros e donzelas
A eles... obras quer dar...
Apartamentos... a elas!...


Despesismo galopante
Deixa por onde passar
É gastador militante
E... só treta... no palrar!


Comprador de horas... e anos...
De plumitivos também
Virgem floresta de enganos
Arbustos patetas tem!...


E quem não adivinhar
Não é grande português
E jamais ouviu falar
Nesse... «túnel do Marquês!»



Madeira, a «flor do Mar»...

Quando a nova novela da TVI procura enaltecer as virtualidades desta ilha maravilhosa, com potencialidades turísticas inquestionáveis, cenas caricatas voltam a surgir na Assembleia Regional. Um deputado (José Manuel Ribeiro) é impedido de entrar no parlamento da região por ter chamado «fascistas» a alguns elementos que não dignificam com a sua praxis a democracia local.

Tempos atrás o próprio líder do governo regional (Dr Alberto João Jardim) usou várias vezes a expressão «fascista» para achincalhar adversários políticos e nada sofreu, nem sequer um simples reparo; recordo que em tempos mais remotos chamou fascistas a algumas leis da República! ele mesmo, aquando da visita do Presidente da República (Cavaco Silva) disse que não era conveniente recebê-lo no areópago mais representativo da região, pois era um «bando de loucos»! a maioria eram deputados do seu próprio partido!!!

Tudo isto perante o silêncio (cúmplice?!) do timorato e conivente presidente da República!

Até quando assistiremos a este aviltante e comprometedor silêncio?!

Há silêncios que são ensurdecedores!!!

quinta-feira, novembro 06, 2008

Nova era na forja!

Como será a Era Obama?


A Era Bush foi de triste memória para todo o universo: guerras e mais guerras, agressividade constante, acirrando ainda mais os ânimos de um fundamentalismo doentio que ganhou asas com o bushismo...
Que se espera de Obama? Será que ele vai cumprir as nossas expectativas?
Oxalá o consiga, para bem da humanidade, do ecossistema, da economia, dos direitos hmanos, da liberdade tout court...
À ERA OBAMA
Nova Era na América a nascer
O mundo inteiro aplaude o simbolismo
Negro na Casa Branca pode ser
Sinal de liberdade e progressismo!
Cessem de Bush tolas aventuras
Precisamos de paz e de progresso;
Do ódio há que abolir as ditaduras
Erradicar o mal do universo.
O planeta precisa de respeito
Travar as emissões de poluentes
A camada de ozono 'stá sem jeito,
Tratar sem demora os efluentes...
O clima financeiro está precário
Bolsas num sobe-e-desce sem parar
Parece terrorismo incendiário
A globalização a imperar...
Nova era é preciso, hoje encetar
Mais solidária, justa, mais humana
Sã fraternidade urge implementar
Será essa a matriz da «Era Obama»?

Sporting em frente marche!

O Sporting ao bter o Shakthiar Nonetz conseguiu um feito digno de nota. Houve mérito indiscutível e é de louvar a postura da equipa tlvez moralizada com o êxito em Vila do Conde.
O Porto em Kiev não terá tarefa fácil pois o Dínamo em casa costuma ser intratável, enfim, faz jus ao seu Betão (jogador brasileiro). Mas tudo é possível.

O Benfica com o Galatazarai não vai ter tarefa facilitada mas acredita-se que a onda moralizadora dos últimos jogos possa servir de incentivo. Oxalá o consiga.

O Braga vai a Milão e vai cometer uma proeza : a Europa vai tirar-lhe o chapéu!!!

Com Jesus tudo é possível, até o «milagre da multiplicação dos golos»...

quarta-feira, novembro 05, 2008

Falhas de supervisão

É tema de candente actualidade. Todos ralham. Todos criticam acerbamente. Quando estiveram no poder a situação era similar, os mecanismos de controlo eram os mesmos, os resultados palpáveis quase nulos.

Agora, depois da casa roubada, trancas à porta.

Já há muito que se impõe um apertar da malha. Não só nos bancos, também nas autarquias se verifica uma malha muito larga por onde passam tubarões...

Não é com a demissão daquele que é também vítima do ordenamento jurídico vigente que se resolvem os problemas. Há que alterar o «sistema» (legislação vigente).

A supervisão se fosse mais intensa e a malha mais apertada era óbvio que os que agora clamam seriam os primeiros a berrar contra o sistema pidesco, o Estado policial, a política de intimidação, os atentados à «liberdade»...

Não se pode fazer tudo na perfeição. Os próprios fiscalizadores (do BP) podem ser ludibriados, ou até «aliciados»... A cúpula pode ser vítima também deste circunstancialismo...

A fiscalização por amostragem é falível. Ninguém pode fiscalizar tudo e todos...
Solução do problema: colocar Deus no lugar de Vítor Constâncio!...

O que se espera de Barack Obama!



Não sei quem vencerá as eleições americanas mas, salvo algum terramoto inesperado, tudo indica (e oxalá assim seja) que Barack Obama irá para a Casa Branca.

O que se espera dele?

Que saiba diluír aquela imagem belicista e arrogante de um Bush que se deixou arrastar por forças militaristas e por calculismos onde o cheiro a petróleo barato não se pode dizer que esteve de todo ausente dos seus horizontes presidenciais.

Que possa fazer vincar o seu «melting pot» cultural, a sua heterogeneidade cívica e anímica em ordem a olhar o mundo com mais humanismo, com outra visão onde a ganância esteja arredada e impere a justiça social, a equitativa distribuição de recursos (o «espalhar riqueza» que McCain tanto abomina...), uma sã aproximação aos árabes e simultaneamente respeito por judeus, asiáticos e todas as minorias por muito antiamericanas que sejam, pois tal postura dever-se-á também a um exacerbado afrontamento do seu antecessor.

Flexibilidade sem tibieza, diálogo sem capitulações, orgulho americano sim, sem ser à custa de mais sangue, mais guerra, mais belicismo estéril. Que o novo rosto americano seja prenúncio de pacificação e de progresso social balizado nos ditames da multiculturalidade e do respeito pelo outro. Que a própria América Latina possa inflectir um pouco o seu radicalismo podendo ser parceira e até aliada num esforço conducente à construção de um mundo onde haja mais paz, mais tranquilidade, alicerces indispensáveis para um crescimento económico mais sustentável, mais harmónico, mais justo e mais racional.

Que a ecologia seja também um dos pilares em que possa assentar a nova filosofia de acção do tio Sam, em contraponto com a política de Terra queimada e de destruição de recursos e da biosfera que foi a imagem de marca do seu antecessor. O mundo inteiro agradecer-lhe-á, sem dúvidas. A história irá bendizer este filho da cultura americana que é também um cidadão do mundo, um homem eclético que paira acima de ódios religiosos, de fanatismos racistas, de preconceitos de toda a ordem.

Que os mercados financeiros possam finalmente actuar como motores da economia e não como sabotadores dela.

Se fosse cidadão americano era nele que eu votaria. Assim, limito-me a aguardar com serenidade o bom senso do povo americano.

segunda-feira, novembro 03, 2008

O sonho de Camilo Castelo Branco

Ana Plácido (ou melhor, a talentosa actriz Catarina Furtado) foi o sonho (felizmente concretizado) de Camilo Castelo Branco. Naquela noite, na Estalagem das Pulgas, ele sonhou com ela...


Após a refeição frugal (Camilo comeu só uma sopa de nabiça e um pão com chouriço assado, enquanto que o padre Cícero devorou uma excelente truta acompanhada de grelos) os dois comensais tomaram o café e beberem um digestivo, ficando a tagarelar até tarde.
O padre desafiava-o a regressar ao «bom caminho», para seu próprio bem, dizia ele. Era um conselheiro persistente:
__ Abandona essas maledicências quase sacrílegas, tu para seres escritor de escol não precisas de te rebaixar nessas baixezas mundanas, só falas de sexo, de adultérios, de traições, de excessos libidinosos. Fala de santos, conta a vida dos nossos santos e santas, dos padres dignos e empenhados, que os há também, não fales só nas safadezas de alguns. Há trigo e joio em todo o lado. Fala mais no trigo. Faz crónicas de Bem Dizer, faz panegíricos aos reis, elogia o clero e a burguesia católica e temente a Deus. Tu tens talento, aplica-o no louvor a Deus. Louva os homens de bem, os governantes, os deputados... podes ter uma carreira de jornalista de sucesso!
__Padre, não me sinto um lambebotas cretino. Sei bem que vou ter dificuldades em editar. Andam para aí uns ricaços arvorados em poetas que passam a vida a incensar o seu próprio ego e o dos que lhes aparam os golpes. Eu sei que é preferível passar fome, sofrer humilhações, do que vergar aos poderosos, bajular esses cretinos que têm o poder na mão e julgam-se czares, donos da verdade, senhores absolutos da vida dos mais humildes. Eu não me vendo ao status quo dominante: ao sistema!
O padre bem tentou levá-lo para o reino dos acomodados, dos instalados na vida, mas não conseguiu. Camilo era teso e não vergava. Iria ridicularizar a Igreja, o Papa, as instituições monárquicas, os comerciantes abastados, mas ignorantes e prepotentes.
Pagou caro o desaforo, o afrontamento às instituições, o amor à liberdade de esrever.
Aquela noite sonhou muito. Debaixo de uns lençóis pouco higiénicos e de umas mantas toscas sonhou com a sua amada, sonhou que tinha fugido com ela para o Brasil e estava em pleno Amazonas, desfrutando a liberdade... O amor quando é autêntico é tão lindo, tem asas... não precisa de dinheiro para satisfazer as necessidades materiais mais comezinhas. Era este o amor de Camilo por Ana Plácido!
__Minha querida Ana, prefiro viver a pão e água do que perder-te para sempre naquela selva que é o Porto. Um amor e uma cabana, bem humilde, com janela para o céu...chega.
Ela, no barco improvisado, mostrava os dentes alvos e o sorriso descontraído de quem saboreava o prazer da liberdade. O cabelo negro esvoaçando por força da brisa morna da tarde, ela sussurava ao seu ouvido:
__Estar aqui no Amazonas é como atingir o céu. A minha vida era um inferno. Aquele seboso do meu marido fazia tudo o que podia para me humilhar aos olhos da sociedade. Eu era como se fosse uma peça de mobiliário. Talvez mais mal tratada do que algumas que lá existiam...
Dito isto o barco fez um solavanco e com medo que Ana caísse ao rio, Camilo levantou-se e foi em seu socorro! A brisa era intensa, um ventinho forte fazia a ondulação mais vigorosa. Até as roupas leves de Ana pareciam também esvoaçar deixando vislumbrar o recorte de um seio generoso e opulento. Camilo, com a ânsia de a proteger, caíu ao rio!...
Então, repentinamente, sentiu umas picadas fortes e insuportáveis nas pernas. Eram as terríveis piranhas!
Ana abeirou-se para o socorrer mas caíu também ao Amazonas! dulpa tragédia! era o fim dos seus sonhos!
Camilo deu um grito que ecoou pela Estalagem das Pulgas acordando toda a Junqueira! Caíu abaixo da cama de ferro que lhe serviu de cenário para aquela noite tão doce e com fim tão desagradável!
Mas do mal o menos... não, não estava no Amazonas! Estava na Estalagem das Pulgas, e havia lá muitas pulgas... a sensação de estar a ser comido por piranhas, afinal resultou da abundância de pulgas ... e nada mais do que isso!...Ana Plácido a esta hora no Porto, estava a bom recato...

domingo, novembro 02, 2008

Senhor Camilo, tenha maneiras!


Camilo e Ana Plácido (João Reis e Catarina Furtado...) uma dupla fantástica que recordou o inolvidável escritor e a saga amorosa que protagonizou...

__Senhor Camilo, tenha mais siso!__ disse o padre Cícero, o seu companheiro de mesa na Estalagem das Pulgas. __Abandone essa senhora sem demora. Está no caminho do pecado!
___Estamos no caminho de Santiago, essa é que é a verdade !__ retrucou Camilo, cofiando a bigodaça e emborcando uma caneca de tinto escarlate como sangue, típico da região dos vinhos verdes...
__Tenha maneiras, senhor Camilo! Não brinque com coisas sérias!__ insistiu na sua o bondoso padre Cícero. __Olhe que a cidade do Porto está toda contra si!
__Olhe padre Cícero, o Porto tem tantos beatos e hipócritas como pulgas tem aqui esta Estalagem. Não ligo a safadezas burguesóides, não alinho pelo diapasão dessa sociedade velhaca e impostora que só vive de aparências! Eu sou um homem livre e libertário! quero dar um exemplo de liberdade, quero libertar aquela jovem, a minha Aninhas, do jugo maquiavélico daquele canastrão! ela merece outro futuro! abaixo a canga matrimonial forçada!
__Mas é preciso temor de Deus e respeito pelas normas de conduta social. A sociedade não é
uma selva, nela é que os animais fornicam à vontade e não têm regras. O senhor mais parece um animal no cio, escravo dos seus instintos, da impureza da carne, do que um escritor prendado nesta sociedade moderna. O senhor dê-se ao respeito! Respeite a Santa Madre Igreja, os sacerdotes, as freiras, o catolicismo, essa força que liberta os homens do jugo chamado instinto!
__Eu devo andar em contramão, senhor padre! a Igreja é uma aliada da escravidão, ela está divorciada dos sentimentos, das palpitações do coração, ela é pelo jugo conjugal até à eternidade! Ao perfilhar esses princípios o casal sentir-se-á como um junta de bois debaixo da canga! Ana Plácido merece liberdade, merece ser tratada com meiguice, com amor autêntico, ela não é uma alimária doméstica!... O senhor seu marido faz dela uma coisa de sua propriedade, um objecto de uso doméstico!... Nem sequer é objecto de estimação... mas de fornicação apenas!
O padre desta vez sorriu com ironia. Coçou ligeiramente a anca e sentenciou:
__Numa coisa eu lhe dou razão! Não sei se há muitos beatos ou hipócritas lá no Porto, mas que há um exército de pulgas aqui entrincheirado nesta Estalagem, isso há, sinto-o com eloquência!...
Ambos sorriram com prazer. Um caneca de verde tinto, com aquela cor de sangue puro, mais o belo chouriço assado na brasa, foi o suficiente para se aplacarem os ânimos até aí um pouco exaltados... O selo da longa amizade permanecia incólume apesar das contradições ideológicas e vivenciais...
Lá fora chovia a cântaros. Os animais abrigados da intempérie também se iam desforrando no feno tenrinho e saboroso. Ao longe ia subindo as escadas aquele casalinho ternurento que andava em viagem de núpcias. Recolheu mais cedo ao leito. O sol já há muito tinho ido para os braços de Morfeu...
Junqueira, essa continuava a sua lide. Cães latiam, quais alarmes atentos e vigilantes, mostrando aos ladrões que a terra tinha dono. A chuva, essa não parava de enlamear os caminhos de terra batida cada vez mais lamacentos por causa das caravanas de almocreves...
Na igreja, o sino, pachorrenta e religiosamente, dava as horas... greve não era com ele...