rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

quarta-feira, novembro 05, 2008

Falhas de supervisão

É tema de candente actualidade. Todos ralham. Todos criticam acerbamente. Quando estiveram no poder a situação era similar, os mecanismos de controlo eram os mesmos, os resultados palpáveis quase nulos.

Agora, depois da casa roubada, trancas à porta.

Já há muito que se impõe um apertar da malha. Não só nos bancos, também nas autarquias se verifica uma malha muito larga por onde passam tubarões...

Não é com a demissão daquele que é também vítima do ordenamento jurídico vigente que se resolvem os problemas. Há que alterar o «sistema» (legislação vigente).

A supervisão se fosse mais intensa e a malha mais apertada era óbvio que os que agora clamam seriam os primeiros a berrar contra o sistema pidesco, o Estado policial, a política de intimidação, os atentados à «liberdade»...

Não se pode fazer tudo na perfeição. Os próprios fiscalizadores (do BP) podem ser ludibriados, ou até «aliciados»... A cúpula pode ser vítima também deste circunstancialismo...

A fiscalização por amostragem é falível. Ninguém pode fiscalizar tudo e todos...
Solução do problema: colocar Deus no lugar de Vítor Constâncio!...

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home