rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

sexta-feira, abril 01, 2011

Entrevista com o Zé Povinho

Se Oriana Falaci fez a sua célebre «Entrevista com a História», nos anos setenta, por que não eu fazer uma entrevista com o «nosso» Zé Povinho?!


__Zé, que achas do momento político actual?!


__Dizer que é grave é pouco. Não temos governo, não temos instituições, não temos clima de confiança...Tudo faliu, até a justiça...


__Isso não será pessimismo? __Não, não é. Julgo que Cavaco Silva vai convocar eleições. É um erro crasso. Nada resolve. Vai agravar ainda mais a situação... Eu se fosse PR, faria como fez o general Eanes numa altura difícil, nomeava um governo de iniciativa presidencial. O parlamento, onde os partidos ditam, criou a actual situação, bloqueou o prosseguimento de uma governação apenas pelo aspecto formal, a não apresentação na AR do PEC antes de o levar a Bruxelas, daí...


__Mas isso vai contra a democracia formal, o semi-presidencialismo, o respeito pela AR. __Estamos numa situação pior do que quando Eanes nomeou Mota Pinto. Os eleitoralismos são tão exacerbados que danificam a estrutura económico-financeira. Nascem godinhos, mecenas que depois vão cobrar o esforço na campanha. Quem paga? O Estado obviamente, o Zé, em última instância. Ora, neste momento difícil, era preciso criar um governo forte, sem olhar a sondagens, sem se preocupar com votos, sem ter que pagar/prestar vassalagens a hipotéticos mecenas. De salvação nacional, de mãos limpas e mãos livres...


__Zé, tu falas bem, mas aceitarias ser primeiro-ministro?!


__Claro que não. Pertenço à maioria de otários... não sou digno de ir para Belém, não pago favores, não dou prendas, não tenho «listas» para gratificar ao fim do ano...Sou um pobre Zé, simplesmente Zé!

6 Comments:

Blogger Cata- Vento said...

Concordo com o Zé!Veria de bom grado um governo de iniciativa presidencial. No momento actual, não acredito nos partidos nem nas políticas por mais promessas "bonitas" que ousem fazer.

Bem-hajas, Rouxinol que tão bem cantas.

Abraço fraterno

6:27 AM  
Blogger O Puma said...

Os Zés estão abandonados

Secretamente votam nos que os analfabetizam

10:45 AM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Cata-Vento:

O zé tem sempre razão... é como o cliente...

11:36 PM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Puma:

zés deste país unidos... jamais serão vencidos!

11:37 PM  
Blogger Zé Povinho said...

Este Zé talvez não fosse o mais inteligente e mais bem preparado para o lugar, mas no Brasil e na Polónia também foram chamados senhores que não eram doutores nem inginheiros, e a coisa andou.
Eu prefiro ser mais um Zé, mas a classe política que temos tido não merece nenhuma credibilidade.
Abraço do Zé, sem pretensões a mais.

12:24 AM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Zé Povinho.

Muita honra em receber este comentário, bem fixe por sinal.

2:59 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home