rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

terça-feira, agosto 20, 2013

Entrevista com Salgueiro Maia... no Além...

Salgueiro Maia, veio receber-me, S. Pedro estava de férias...

Mal entrei no céu fiquei estupefacto, pois S. Pedro, com as suas barbas brancas, não estava, em seu lugar veio um menino sorridente, com cabelo curto, preto, de risco ao lado esquerdo, o lado do coração, e com  um grande emblema na lapela do casaco. Um emblema do Sport Lisboa e Benfica.

Perguntei-lhe:

__Então e o  S. Pedro? Porquê você para me receber?
Ele sorriu, com um sorriso aberto, franco, mostrando aqueles dentes imaculados brilhando abril e liberdades sem fim; pôs um ar mais sério e elucidou-me:
__S. Pedro foi de férias ao Egito, quer ver se acalma aquilo, a Irmandade Muçulmana está a dar cabo do país e ele quer ver se os inspira, se os incentiva à paz, à calma . A razão da minha presença foi a tua password. Quando te foi pedida a password tu meteste muitas e nenhuma acertou, mas como és persistente, lá conseguiste uma que foi aceite pelo sistema informático celestial...
__Já nem me lembro das que usei. Sei que digitalizei «Amen», «Graças a Deus», «Abre-te Sésamo», «Eureka» «OK» e nada dava certo. Finalmente meti «E Pluribus Unum» e a porta abriu-se...
__Tiveste sorte, era eu que estava de serviço e gostei dessa password por isso entraste e aqui estás para os exames iniciais. Já vi a radiografia da tua alma e podes entrar sem esforço. És parecido comigo, até no ADN.
__Então o céu é isto? é este relvado enorme, estas bancadas descomunais, tanta gente a aplaudir, os jogos não têm fim? Não há trabalho, só futebol ?
__ Acertaste em cheio. Os jogos são intermináveis. Nunca mais acabam. E  tu prepara-te que vais entrar a seguir. Vai-te equipar e vais usar o número nove, vais substituír o José Águas,  que já está cansado e fartinho de marcar golos...
Era demais. As emoçoes e as surpresas iam dando cabo de mim. Salgueiro Maia, aquela criança risonha a substituír o sisudo S. Pedro, que emoçao, que alegria... E então  entrar para o lugar do José Águas, o meu ídolo, a minha referência, que honra, que orgulho!!! Escolhi o número nove e equipei-me a rigor. Depois, vi um frasco com um líquido e abri-o. Dizia «Linimento Sloan». Cheirava mal. Esfreguei um pouco nas pernas e fiquei com uma força impressionante! Dei alguns saltos, o meu poder de impulsão era excelente. Salgueiro Maia entrou e disse:
__O público aguarda-te com expectativa. Lembra-te que a primeira impressão é a que mais conta. Vais ser o novo Águas aqui no céu. Porta-te à altura do nome. Remata com ambos os pés, de todos os ângulos, de surpresa, estamos a perder por 5-3 com o Purgatório! Na baliza deles está o Yashine, o Aranha Negra...Vai,  e dá a volta ao resultado. O céu te aclamará, já que na Terra não te deram oportunidades, aqui vais tê-la e não a desperdices!

 José Águas entrou no balneário, cansado, tirou as chuteiras e disse-me:
__ Vai e mostra a tua raça, o Purgatório será arrasado se tu quiseres.  Bebe um pouco...

Bebi duas goladas de um líquido verde, da cor da esperança. Era a Fé...
Entrei em jogo e marquei três golaços! O céu caiu-me em cima!