rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

domingo, novembro 15, 2009

Eça, o divino Eça...


Eça, o divino Eça, seguia ali à minha frente, vinha do Grupótico, onde era antigamente a drogaria Monteiro, e trazia um livro . Com a sobrecasaca bem apertada, um lencinho a sobressaír, os colarinhos engomados, era a imagem fiel de um intelectual à moda antiga, sempre de pena acerada e sorriso mordaz. O livro dizia na capa: «Cortina de Fumo».
__Isto é bem melhor do que o Saramago__ disse-me ele, atirando um sorriso cúmplice. __ Este Silva Garcia vai ao cerne da questão, acerta em cheio na mouche. A choldra está retratada de forma magnífica, aureolada com aquele esplendor metafórico que importa enaltecer.
Neste Portugal moderno faz falta um bisturi assim, sem papas na língua. Este país de Jacinto Leite Capelo Rego, dos sobreirogate, da face oculta e do freeport,merece passar à posteridade.
__Mas então os grandes escritores por que não abordam os temas mais candentes? Por que será?
__Olha rouxinol__ rematou ele, cofiando o bigode altivo __ há muito medo de dizer verdades. Pior do que no meu tempo. Hoje, o «Crime do Padre Amaro» talvez nem visse a luz do dia. Os editores são tudo uma corja do piorio. Há honrosas excepções, mas alguns, basta olhar para o seu passado...
__Estais a referir-vos a quem?
_Não vale a pena mencionar nomes. Toda a gente sabe... Olha para a fumaça da comunicação social. Quem são os donos de jornais locais? Normalmente são empreiteiros à procura de visibilidade, engraxam o poder político instalado com a mira nas empreitadas de favor, nas mordomias que o poder político pode conceder. Alguns até têm empresas de sondagens...
_Mas há liberdade para isso, sois contra a liberdade?
__Não, sou a favor da liberdade. Mas esses canastrões dominam a comunicação social e a gente séria é marginalizada. Olhe, esse bastião de antigamente que agora passa a vida a engraxar, engraxar, engraxar... o caudilho e seus acólitos...perdeu a alma, o carácter, a erecção cívica!
__Que achais desse livro?__inquiri, curioso.
__É pena não haver mais como este. O país precisa de quem denuncie a fumarada que por aí campeia. As escutas são apenas um afloramento ínfimo, são a ponta visível do icebergue...Isto é apenas uma amostra mínima do dantesco universo que por aí campeia: financiamento partidário, financiamento clubístico, enriquecimentos ilícitos e imorais é o que há mais!
__Mas tendes preconceitos contra os ricos?
__Não, acho a riqueza ganha honestamente, intrinsecamente boa. Mas aquela angariada por métodos corruptos, por patos bravos sem escrúpulos, sem um resquício de dignidade, que, aproveitando-se de traficantes de influências sem vergonha na cara sobem vertiginosamente lesando a comunidade e dando uma imagem sórdida deste país cada vez mais grotesco, onde meia dúzia de vigaristas passando por imaculados anjinhos se vão governando à custa da boa fé desta pobre gente...essa, é digna de desprezo pela gente de bem. Esses figurões, em pedestais dourados, deveriam ser apeados.

Marcadores:

9 Comments:

Blogger As cores da vida said...

Bravo! Adoro Eça!! :)

beijinho**

10:02 AM  
Blogger maria teresa said...

Parabéns!
Belíssima "entrevista"!
Bj

12:00 AM  
Blogger Pena said...

Admirável Amigo:
Sempre considerei o Eça e os "Maias" um livro extraordinário, de crítica mordaz/necessária e incisiva na mensagem de crítica sócio/política repleta de verdade e intencionalidade que nada teme.
"...__Estais a referir-vos a quem?
_Não vale a pena mencionar nomes. Toda a gente sabe... Olha para a fumaça da comunicação social. Quem são os donos de jornais locais? Normalmente são empreiteiros à procura de visibilidade, engraxam o poder político instalado com a mira nas empreitadas de favor, nas mordomias que o poder político pode conceder. Alguns até têm empresas de sondagens..."

Um relato fabuloso do nosso Portugal de hoje.
Havia tanto a dizer, ímpar amigo...?
Olhe, prefiro o silêncio perante tantas verdades inequívocas que sente e todos nós sentimos.
Oxalá, se instale no nosso pais de sonho: a sinceridade, a verdade e a justiça que tanto falha agora e, que deu exemplos inalcansáveis e verdadeiras lições ao Mundo, rapidamente e sem aspectos indecorosos como os de hoje.
Parabéns sinceros pela preciosidade do seu pensamento.
Abraço forte amigo de enorme respeito e estima.
MUITO OBRIGADO pela simpatia e amabilidade deixadas no meu blogue que adorei.

pena

Excelente...!
Bem-Haja, grandioso e genial Amigo!
Incomparável.

12:32 AM  
Blogger Vivian said...

...aqui no Brasil não é
diferente.

e isso desde que eu me
conheço por gente.

rsrsrs

beijos

1:40 AM  
Blogger António said...

Deixei no meu blog esta resposta ao teu comentário:

Olá!
Parece que andavas um ano atrás de mim.
Curioso como descobriste este texto.
Tenho um escrito mais antigo dedicado ao Eurico Telmo Campos que foi o melhor professor que tive.
Alguns dos que referes não foram meus, como o Via Rápida, o Guimarães ou a Carolina.

Obrigado pelo comentário.
Manda sempre.

Abraço

3:26 AM  
Blogger António said...

O link no nome vai dar ao meu blog inicial do Blogger que já não uso.
Actualmente vou escrevendo no do Sapo.

António

3:28 AM  
Blogger RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO said...

Olá, Rouxinol de Bernardim!
Gostei do seu gosto e bom gosto do Eça.
Obrigada pelo carinho que jamais cansou de mim
Parabéns pelo blog
Muitos abraços e bons dias sempre,
Renata

4:34 AM  
Blogger Manuel CD Figueiredo said...

O livro em questão está a ser levado muito a sério, o que é bom sinal. Em pouco tempo o país vai conhecer, de boa fonte, como "trabalham" os corruptos, ao "serviço do povo".
Excelente este retrato!

5:42 AM  
Blogger SAM said...

Amigo,

esta frase de Eça de Queiroz é mesmo divina ( sendo ele divino por excelência!) e aliada a expressão citada no seu texto "engraxam o poder político"....É goiabada com queijo, como se diz aqui.

E tudo isso li ao som de : Onde Está a Honestidade?

Noel Rosa( 1933)

Você tem palacete reluzente
Tem jóias e criados à vontade
Sem ter nenhuma herança ou parente
Só anda de automóvel na cidade...
E o povo já pergunta com maldade:
Onde está a honestidade?
Onde está a honestidade?
O seu dinheiro nasce de repente
E embora não se saiba se é verdade
Você acha nas ruas diariamente
Anéis, dinheiro e felicidade...
...
Vassoura dos salões da sociedade
Que varre o que encontrar em sua frente
Promove festivais de caridade
Em nome de qualquer defunto ausente...



Beijos e excelente domingo!

6:25 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home