rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

segunda-feira, agosto 07, 2006

Agosto!... Matar saudades da Pátria-Mãe!


Ditosa Pátria, amada e tão querida,
Anda alegre ao rever os filhos seus
De regresso de vida bem sofrida
Mãe querida, é tão triste... novo adeus!

Saudade!, rude espinho na garganta,
Mai-lo garrote, rente ao coração!...
Este mês a moral nos alevanta,
Vai de férias também... a solidão!

Agosto!, um abraço salutar,
Uma torrente amiga e tão feliz
Oásis!, no deserto de emigrar!

Saudade é fogo a arder, o povo o diz,
E fogo... será sempre... p'ra apagar!
Este povo é... bombeiro de raiz!

Rouxinol de Bernardim

47 Comments:

Blogger alfazema said...

E dizes muito bem, em Agosto a mãe-pátria prepara-se para receber os seus estimados filhos. Aqueles que saíram de casa à procura de melhores condições de vida e vêm cá depositar o dinheirinho ganho com suor e lágrimas...de saudade.
Beijinhos rouxinol

8:09 PM  
Blogger .*.Magia.*. said...

Agosto é um mês especial para muitas aldeias do nosso país...
Moribundas durante todo o ano, ganham vida com a chegada dos nossos emigrantes...

Há uma mistura de sentimentos quando se fala em emigração...saudade, alegria, tristeza, encontros e reencontros...

Bonita poesia falando de saudade!

Agradeço as palavras que deixaste no meu espaço...também ele saudoso!

Beijo Mágico

8:58 PM  
Blogger pintoribeiro said...

triste povo...bom dia,

9:46 PM  
Blogger Miguel said...

Ah Poeta ...!

Boa semana!
Bjks da Matilde

10:11 PM  
Blogger MentesSueltas said...

La mentira no vence los recuerdo, los distorciona con la imaginación... el tiempo siempre nos devuelve la verdad. Si no es así, la mentira nos daña, inevitablemente.

Un abrazo

MentesSueltas

11:03 PM  
Blogger Paula Raposo said...

Agosto o mês da visita à Pátria Mãe, é verdade. Beijos.

11:19 PM  
Blogger Andreia do Flautim said...

Nesta altura as aldeolas por aí triplicam a população e depois não há água para todos... :S

2:14 AM  
Blogger Claudia Perotti said...

Gostei!
Boa semana!
Beijinhossssssss

2:16 AM  
Blogger Lídia Amorim said...

jitos e uma boa semana!!!!

3:06 AM  
Blogger Cláudia said...

Gostei!
Não tive oportunidade de ver o blog...gostei :)
Beijinho

3:09 AM  
Blogger Pé de Salsa said...

Bela poesia sobre um tema sempre actual.
Agosto e Dezembro, dois meses normalmente escolhidos pelos nossos imigrantes para matar saudades.

Muito bonito!

3:26 AM  
Blogger Supergirl said...

Que linda poesía!!
Te mando un beso y muchas gracias por tu visita a mi blog, espero leerte muy seguido. (aunque lo haga con diccionario en mano)
Besos

3:52 AM  
Blogger Desassossego said...

Sempre actual...
Olha os meus pais foram emigrantes, eu nasci em França e Agosto era sempre o melhor mês do ano... as férias em Portugal eram a cereja em cima do bolo...
Eu tenho por habito dizer que tinha saudades de Portugal sem saber o que Portugal era... Bendito Agosto...

Xi Rouxinol....

4:27 AM  
Blogger vida de vidro said...

Absolutamente actual, o tema do teu poema. É de facto o mês em que as terras de Portugal voltam a ver os que partiram. Depiis, há que voltar novamente... já com saudades. **

5:57 AM  
Blogger de Matos said...

e sao muito bem vindos, que cheguem com saude e em segurança :)

abraço e boa semana

6:05 AM  
Blogger BuLaXa MaRiA said...

obrigada por ter passado no meu blog.....
gostei do tema escolhido....
realmente é bem verdade....

6:40 AM  
Blogger Pedro Ferreira, Visconde de Cunhaú said...

Agosto meu lindo Agosto! Mas é sempre saudável ver vilas e aldeias a engalanarem-se para receber aqueles que tiveram que procurar reconhecimento além-fronteiras.

8:00 AM  
Blogger orianah said...

Liiiindo!
(como sempre, aliás!)

Beijinho, Rouxinol! :)

9:34 AM  
Blogger topas said...

Boa...!!!!!!

http://maistopas.blogspot.com/

10:26 AM  
Blogger MalucaResponsavel said...

Olá,
realmente esse título está magnifico.. e verdadeiro, pq uma coisa n implica obrigatoriamente a outra... :) eu vivo em Lisboa, mas passo férias numa aldeia pequenina e com meia dúzia de habitantes durante o ano, até que no mês de Agosto quintiplica (nem sei se esta palavra existe ou se é assim que se diz/ escreve, mas pronto, é segredo, não contes a ninguém). bj

9:14 PM  
Blogger Joshua said...

O país verdadeiro, populacionalmente gordo nos filhos dos seus filhos, é só em Agosto, quando somos bem mais de dez milhões.

Povoa-se de novo o interior. O litoral é ainda mais atafulhado de automobilice e uma prosódia contaminada de franciú ondula nos nossos ouvidos: «FantastIíco», ouvimo-los.

Saem a falar o português transmontano e regressam com o português dos Açores.

Sejam bem-vindos, portanto.

10:50 PM  
Blogger incondicional said...

Gracias por visitar mi blog y dejar tu huella.

Para mí significa vuelta a la vida normal después de las vacaciones, ah , la saudade del mar.

Tu primer comentario es de mi amiga Alfazama :-).

Un abrazo.

11:21 PM  
Blogger Nilson Barcelli said...

Este povo é bombeiro de raíz...!

Gostei do teu poema e o último verso é brilhante, dado que ele encerra uma série de coisas importantes acerca de nós. Boas e más...

Há dias cheguei ao aeroporto do Porto e deparei com um gesto interessante: à espera dos passageiros / emigrantes (e também turistas) havia grupos musicais a actuar e petiscos bem portugueses. Soube bem, chegar e sentir uma golfada de ar totalmente português.
Não sei se foi de propósito, mas as malas demoraram meia hora a sair...

Abraço.

11:24 PM  
Blogger Gatto said...

A Colômbia também é preparada para várias coisas. Neste mês de
Agosto.

Uma boa semana

1:35 AM  
Blogger Eva said...

Pena mesmo nesta época de verão, são os fogos reais! por muito que se diga e pouco que se faça, todos os anos nos deparamos com este triste cenário!:(

3:23 AM  
Blogger tb said...

sim, uma homenagem bonita aos nossos compatriotas que pelo mundo se espalham e convergem à mãe-pátria no mês de Agosto..
Beijo

3:35 AM  
Blogger SA said...

Temos trovador!

6:38 AM  
Blogger Ana S. said...

Agosto é o mês preferido para passar ferias em portugal mas embora a saudade seja muita, não nos devemos esquecer dos cuidados a ter. beijos

9:16 AM  
Blogger VEM SONHAR COMIGO said...

Olá:

Saudade é fogo
E fogo é o Amor
Agosto é quente
Plantamo-nos por esses oásis
Onde o sol sorri com ardor

Agosto...Agosto é mês de Amores
Uns ficam,mas outros vão!....

Beijinho Doceando

11:02 AM  
Blogger alfazema said...

Vim matar a saudade do teu canto, rouxinol."Matar" um bocadinho do fogo desta amizade.
beijinhos

6:12 PM  
Blogger Xica said...

Quem não tem um familiar um pelo menos um conhecido emigrante? Poucos certamente. Em Agosto, os mais velhos, principalmente, enchem o coração com a alegria de verem os seus filhos e netos todo o ano tão distantes. Gostei. Parabéns.

9:19 PM  
Blogger elkinha said...

saudade mesmo!!!

lindo poema doce rouxinoul!

=T

11:59 PM  
Blogger Cherry Blossom Girl said...

Um óptimo dia para ti
Beijinhos
***

12:41 AM  
Blogger keridalindinha said...

Olá, obrigada pelas visitas ao meu cantinho e pelas mensagens. Olha desculpa não tenho tido muito tempo,mas assim que pude passei por aqui e concordo Agosto é o tal mês!! Aqui na minha zona são mais os "Portufranceses", aqueles que foram para França e já se consideram franceses vêm para cá falam francês e fazem de conta que já não conhecem os "amigos" portugueses, de repente chateiam-se e lá sai o palavrão em Português!!! Desculpa o desabafo mas estas situações irritam-me muito, principalmente os que só dizem: "a ue ãh"!!!
Beijocas.

1:31 AM  
Blogger Little Girl said...

lindo Post...como eu fico feliz quando chega o mês de Agosto, pois é quando posso ver os meus pais, eles são imigrantes, e só podem vir a Portugal no mês de Agosto, e eu acho que é o mês que passa mais rapido, nem sei bem porque....:(

Também terás o teu lugar no meu cantinho e voltarei...

Beijocas

3:18 AM  
Blogger yoymimismo said...

Gracias por visitar mi blog. Sobre tu escrito, recibe mis bendiciones para tí y para tu patria...que sean escenarios de luz y paz para todos los hombres.

Isaac

5:47 AM  
Blogger anirac said...

é bom:) fica bem***

8:35 AM  
Blogger Kafé Roceiro said...

Belo beijo!

4:09 PM  
Blogger Ariadne said...

O reboliço do Verão...são vários reboliços, todos rebolando uns nos outros.

Namasté

5:52 PM  
Blogger yole said...

Gracias por tus palabras...Me quedo a pasear despacio por tus letras, aunque el humo de los incendios que nos asolan haga que nos lloren los ojos y nos duela el cuerpo.

Saludos desde aquí al lado.

8:04 PM  
Blogger Marco Magalhães said...

Porque será que quem foge de casa fica com mais saudades dela.

Os que estão cá, ao contrário querem fugir.

Quero matar a saudade na Pátria alheia.
rsrsrsrsrs
Um abraço meu amigo

9:27 PM  
Blogger Jesus da Terra said...

Bom dia.
Obrigado pela sua visita, passarei a visitá-lo também.
abraço

10:33 PM  
Blogger gabriela said...

poco entiendo el portugues, pero lo intentare para tener la dicha de leerte. Amo brasil!!!!, amo su mar y este año no pudimos encontrarnos...

11:08 PM  
Blogger Rosario Andrade said...

Bom dia Rouxinol!
...pois, e estou entre os milhares que ruma a lusa patria em Agosto...isto é se nao houver problemas com os voos, que isto por aqui anda complicado!
...bombeiro de raiz! muito bom!
bjico!

1:36 AM  
Blogger 1entre1000's said...

Gostei!

12:28 AM  
Blogger Mitsukai said...

Ai agosto agosto,
Regressa a emigrantada para desgosto,
Françugueses, Luxemburgálios,
Que belos topos de gama nos trálios,
Tunings, azeiteiros,
Que mijam entre os carros no hipermercado,
Metem os seus bedelhos,
Berram noutra lingua com o desgraçado,
"Jean, viens ici, que te vou partir os cornos",
Metem-se na esturreira ao sol,
Comem churrasco de fornos,
Acham aquilo camarão,
Tudo porque não há carcanhol,
Gastou-o todo na casa de férias e no carrão,
Vivem à grande cheios de dividas,
Vêm com ar de patrão, não passam de escravos,
Trolhas, padeiras, foram sempre as suas vidas,
Tem saudades do 25 de abril e dos cravos,
Mas fugiram, deram à soleta, procuraram melhores dias,
Nunca serão portugueses, mas também nunca do país onde vivem,
E tu meu amigo, diz-me lá o que vias,
Naquelas belas putas adolescentes que de lá de fora vêm,
Mostrar os seus piercings e tatuagens,
Já muito rodadas lá na zona,
Não passam de desertos, aragens,
E só têm meita na cona!!!

3:36 AM  
Blogger Mitsukai said...

Porra...isto é o que eu chamo de improvisar um poema sem querer!!

3:41 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home