segunda-feira, julho 31, 2006

O rato político e... o político rato!



Às costas do povo poisa
Político que é rato
E só pensa numa coisa:
Dele fazer gato-sapato!
Às costas vai carregando
Este finório ratão
Que se vai banqueteando
Co'o orçamental quinhão!
O povo vai suportando
O chico-esperto ratinho
Gordo, lá vai devorando
O queijo que é do Povinho!
Neste rio que é a vida,
Há muita ratice à vista,
Há quem não pague a corrida
Ao Zé Povinho-taxista!
Olhar com olhar de ver
Pede-se à gente com tino...
Muitos ratos vão correr
P'rá sargeta do destino!!!
Matusalém, o domador

36 comentários:

tb disse...

fantástica esta tua forma de olhar e transformar esse olhar nesta poesia de rima tão rica de significado.
Pois é e assim se vai vivendo cá pelo burgo...vamos ver até quando!!??
Beijo

Mufita disse...

Emmm...gracias por el post :P

Princesola disse...

Agradeço a visita ao meu cantinho. Aparece mais vezes.Hei de voltar aqui com mais tempo.
Uma boa semana,

Rosmaninho disse...

O pior é que o rato político e o político rato "reproduz-se" tal como o animal de nome rato...

Zé Povinho não se escapa da ratoeira...

~*Um beijo*~

Utzi disse...

Muito bom, como já é habitual :) *

rosachok disse...

A reprodução de que fala a Rosmaninho é assustadora!!!

Mas as tuas palavras... essas... cheias de talento :)

Beijinhos assutados

o alquimista disse...

Brilhante sentido critico, com uma linha poética a fazer lembrar velhos tempos em que os intelectuais e artistas recorriam a esta forma para criticar o governo de então...gostei...

Um abraço

Sharanda disse...

Gracias por tu visita y comentario, besos

Miriam5 disse...

Olá crítica muito interessante, hilariante até. Prende pelo ritmo e pela mensagem.
Bjinho

Narizinha disse...

Subindo e rindo... ehehehehe lindo!! ;)
Bjs

Marlene Maravilha disse...

Muito bom conseguir transformar semelhante tema em poesia.
Incrível como o mundo é igual! Só muda o nome dos países.
Agraeço as palavras carinhosas no meu blog e lá te aguardo mais vezes.
Uma linda semana!!
Como sempre é um site portugues cheio de vida e arte.
Abraços

Roy disse...

Agradecido demais pelos comentarios em casa, Rouxinol (que podia ser Sabia). Amo tuas poesias, de amor amado :-)

abrax
RF

olhar disse...

Muito bem. Se faz Favor!!!

:)

Abraço

Bel disse...

Quem me dera sre rato.
Boa semana

psique disse...

és um poeta... Obrigada pela tua visita e pelo elogio ao meu pequeno blog... espero ver-te mis vezes... eu farei o mesmo... Gostei muito do teu blog...

Barão da Tróia II disse...

Té excelente parabéns. Boa semana.

Pedro Ferreira, Visconde de Cunhaú disse...

Desde já queria agradecer a tua visita ao Condado! E eis que encontro aqui umas belas rimas sobre os nossos governantes! :)
Um abraço ultramarino!

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

uia ele é com cada ratazana!!!!
vai lá vai... até a barraca abana!
Beijos e boa semana

Paty Maionese disse...

Amei esse post, de forma descontrída conseguiu fazer uma crítica extremamente pertinente.
Vc é demais. Seus posts são sempre renovadores e reflexivos!
Um Beijo

Renata disse...

Obrigada pela visita!! PArece um pergaminho, que lindo =D

Hindy disse...

So passei para deixar um beijinho!

Belzebu disse...

Inspirado como sempre!

São os ratos e as ratas que há que sustentar! Até quando? não sei, mas começo a ficar farto!

Saudações infernais!

Desassossego disse...

E nós feitos cordeirinhos vamos ficando a olhar e à espera para ver no que dá...

Xi grande...
PS: quanto ao teu comentário lá por casa não é ver a preto e branco... é ver muitas cores aí está o problema... não me chega duas cores quero todas...

refugiada disse...

boa verdade sim senhor, só dá vontade de rir pelo excelente poema, óh óh

gostei muito do estilo, tás add
Cumprimentos!!!

Catarina Pati disse...

ola:

Uma critica social bem humorada (ainda que a crise nao faça rir ninguém)

Belas bicadas dà este Rouxinol :):)

Obrigado pela visita, permitiu-me descobrir este cantinho.

Um abraço,

Andreia do Flautim disse...

Andamos cheios de ratos por aí...

vida de vidro disse...

Consegues transpor para a poesia todo o teu olhar crítico sobre a nossa poesia. Muito bem. **

Terra & Sal disse...

Interessante meu Caro rouxinol de Bernardim:

Tivesse eu capacidade para tanto e também "cantava" o "Rato"...
Mas o da minha cidade, de Aveiro.

Não sabe, nem lhe passa pela cabeça o que nós aqui passamos por causa do Rato.

Eu sei que o seu é muito mais abrangente, mas devem andar por aí muitas ninhadas, um dos "tramelos" escapuliu-se, e alojou-se por estes sítios, está gordo que se farta, parece até uma vaca.

Não admira, diga-se em boa verdade,
imagine só, há quem diga que a nossa Câmara em vez de betão meteu queijo nas rotundas, não sei se está a ver o resultado né?

Não conhecia o seu Blog, é interessantíssimo.
Vou vir cá mais vezes se me permitir.
Depois somos quase vizinhos e pelo menos uma coisa temos em comum, é detestamos ratos, seja eles quais forem.
Aceite os meus cumprimentos e os parabens também pela sua Obra

Terra & Sal

Freyja disse...

uiii que versos y tan bien dichos
es verdad lo que dices...el pequeño sin poder es atrapado por el poder del mas fuerte y come de los mas pequeños
muchas gracias por tus saludos, mi alma se alimenta de versos, sueños y amor
versos que encantan y duelen algunas veces
un abarzo muy grande y una bella semana
besitos y gracias



besos y sueños

OvelhaNegra disse...

Finalmente encontro-me de férias e com muito mais tempo para vos ler com a atenção merecida!
Gosto da forma que encontraste para denunciar o que vai «podre» na sociedade e no mundo.
Assim, até enriqueces, com a tua poesia, aquilo que de «rico»nada tem ou deve.
Um beijo e um sorriso*

Miudaaa disse...

fantástico!!!
muito bom!!!
vou enviar para o e-mail do 1º ministro... :o)

elkinha disse...

meu, sou sua fã!!!

Zé Lérias disse...

Obrigado pela visita e pelo comentário deixado num dos m/blogues.

Gosto das suas rimas e garanto-lhe que voltarei sempre.

rouxinol de Bernardim disse...

Caro Terra & Sal:

O rato aqui retratado é intemporal e campeia no mundo inteiro. Longe de mim pensar em localidade alguma! Deixo isso à liberdade (libérrima...) dos (e das) vítimas ...

Sou apenas um "raticida" moral...

Antojar de Emoções disse...

Passei por aqui. Gostei dos seus poemas; o sincronismo das palavras, o sentido bem real da vida... Continua. Adorei!

Vaguer

SA disse...

está muito bem, sim senhora :)