segunda-feira, julho 31, 2006


Há décadas no poder
Dizem que tenho obsessão!
Ele é duro de roer...
Mas não largo o osso, não!
Tenho tanto amor à terra
Ninguém pode imaginar
Eleições? São sempre guerra...
E o osso não vou largar!
Vivo à grande e à francesa
Tenho coleiras bem caras
A casota é uma riqueza
Com quadros e jóias raras...
Oposições? São carraças
Invejosas, despeitadas,
Invejam as minhas massas
Também queriam... coitadas!...
Ladro na rádio e jornais...
E vou às televisões
Mediático demais
Nos funerais... dou sermões!!!

Matusalém o domador

14 comentários:

elkinha disse...

que poema original!!
adorei!!!


eu vim aqui cantar duas canções:
uma que as irmãs da cinderela cantavam para atormentá-la:

preparado? lá vai...

"...canta rouxinol, oh canta rouxinol, sim cantaaaaaa...rouxinoooooooooó!"

agora a que a cinderela cantava:

preparado? lá vai...

é ingrêis...

"do i love you because you're wonderful, or are you wonderfuuuul, because i looove youuuuuuuu..."


vc pediu...
=P
=T

Em busca de Felicidade disse...

Vim agradecer e retribuir a vizita.

Voltarei, até porque não é facil encontrar-se conterraneos...

Miudaaa disse...

Gostei especialmente da originalidade!!!
beijo de bom domingo!

Andreia do Flautim disse...

:) A imagem é que está original!

joão marinheiro disse...

Não sei porque este poema com rima que lhe acerta em cima, me faz lembrar uma ilha governada (desgovernada) por um frenetico malcriado e tudo...não sei...mas tb n é para saber, se até um cão anda na vertical....

amigona disse...

A imagem está o máximo!!!!

O Embalador de Codornizes disse...

o cão descalço não está bem!
Há que criticar o assessor de imagem desse canino!!

Pelo menos uns soquetes brancos (pé de gesso)com um ou duas raquetes era o mínimo com umas sanjo por exemplo!

Cris disse...

Bela descrição :)

Qto ao "Visita-me e dir-te-ei quem sou!", aqui me tens...
Um beijo

Fátima disse...

Adorei ter encontrado aqui "caçadores de palavras".
Agradeço sua visita, Rouxinol.
Postei hoje em homenagem ao Centenário de Mário Quintana.
Abraços.

tb disse...

Já ia sendo tempo de alterações...

Rosmaninho disse...

Fiel retrato!
O Poder vicia, parece-me que não existe substituto para esta droga...
Algumas levam à loucura e à morte, o Poder também.

~*Um beijo*~

rouxinol de Bernardim disse...

Ao Lobo do Mar e ao Embalador de Codornizes:

Obrigado pelos comentários e pela visita. A personagem é intemporal e não é carapuça para ninguém. O facto de trazer os pés descalços, não significa que seja desprendido de bens materiais ("popular") mas é um "pé descalço" em termos culturais e de convivência plural. O "pé rapado" é-o no âmbito espiritual e comportamental.
Esta personamgem é universal, não pretende criticar alguém em particular, por isso é muito mais abrangente...

À ELKINHA:

O meu obrigado pela amabilidade e o seu canto é encantador... a música é do Chico Buarque? Adorei a gentileza! Quando for a S. Paulo já sei que a vou ouvir ao vivo, acompanhado por uma caipirinha gostosa...

A todos em geral, o meu obrigado e retribuo as gentilezas recebidas. Bem hajam!

O Matusalém

CarpeDiemBeHappy disse...

O poema é muito bom, mas a foto não lhe fica atrás!!Está super original!

DE PROPOSITO disse...

Andei por aqui e sorri lendo o teu poema. É bom para desanuviarmos.
Fica bem.
Manuel