rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

domingo, março 13, 2011

«Sobressalto cívico» __ Será que isto é verdade?!

Carla Bruni para Sarkozy: «Se houvesse um resquício de dignidade, um pingo de coragem, em Portugal certas coisas já tinham mudado! Tu, meu querido, és pequenino, mas estás lá! Outros, são grandes... mas não são grande coisa!...»

SERÁ QUE ISTO QUE VEM NA COMUNICAÇÃO SOCIAL É VERDADE?!

Se é, pode estar em causa o regular funcionamento das instituições! Pode estar em risco, ao mais alto nível, ao patamar mais elevado da justiça, a isenção, a credibilidade, atentando gravemente contra os pilares do Estado de direito!

Será que, não sendo desmentido isto (pressupondo-se que é totalmente verdade) o PR não exercerá a sua famosa «magistratura de influência»? Estará refém da «organização»?!
O princípio da separação de poderes deve ser respeitado, mas se há violações flagrantes da legalidade por parte de quem deveria ser o guardião máximo dela, então não se pode cruzar braços, não se pode acomodar ao laxismo hipócrita pois pode transparecer para o comum dos cidadãos que medra ali a erva daninha da conivência!
Se a lei impõe o sorteio, lá terá os seus motivos. a nomeação dá ideia que a fraternidade se sobrepõe à igualdade e à liberdade!

Será que a «organização» impõe que se sigam os seus rituais acima dos preceitos legais? Será que o império da lei é subalternizado quando outros poderes/deveres mais alto se alevantam? Que exemplo oferecem aos seus subordinados? Que de sobressaltos cívicos já não terão acontecido neste domínio? Será que a «captura» de que falava o saudoso Saldanha Sanches já chegou ao topo da pirâmide?
Os coveiros da pátria começam a ser apontados a dedo: os irmãos e os padrinhos vão por aí!
Mas eu não vou por aí!
Nem o povo humilde e honesto que não tem padrinhos nem irmãos, o povo quer regras sãs, gente séria ao leme das instituições, carácter nobre e reta intenção na condução da nau lusa. Pilotos destes, manhosos dribladores da legalidade, conseguem afundar e desviar a nau para rumos pérfidos, portos inseguros, correntes perigosas...
Razão tinha George Orwell ...

Marcadores:

3 Comments:

Blogger Solange said...

apesar de não estar por dentro dos assuntos, sempre aprendo um pouquinho, cada vez que entro aqui..
bom domingo pra vc!!

bjs.Sol

12:44 AM  
Blogger Victor Gil said...

Pois sim amigo.
Isto é que acontece quando os homens do poder, começam a pensar com a outra cabeça. Na minha terra costumamos dizer: "Não podem ver uma burra de saias".
Um abraço
Victor Gil

3:35 AM  
Blogger Um Poema said...

....

Infelizmente, amigo, é isto e muito mais.
Aliás, neste simulacro de democracia, onde impera o compadrio, estranho, verdadeiramente estranho, é acreditar que ainda há algo que não esteja corrompido.

Um abraço

4:49 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home