rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

quinta-feira, março 17, 2011

Marinho Pinto tirou o colar e... pôs dedo na ferida!

O bastonário da ordem dos Advogados vergastou o estado a que chegámos na justiça!
Retirou o colar que garbosamente ostentava... certamente por nojo...

Marinho Pinto elevou a voz e caíu o Carmo e a Trindade!
A justiça está de rastos. Há procesos judiciais que são uma vergonha. Há pessoas que são ilibadas ou vêem os processos prescreverem (ou algumas acusações), por habilidade, manha, má-fé de agentes da justiça que contribuem para o branqueamento de muita criminalidade.
Há pessoas que foram condenadas em tribunal por exercerem com zelo a sua missão fiscalizadora. Expressões como: «onde pára o dinheiro», «crimes de lesa-economia», «repressão sindical fascizante», foram motivo de sanção judicial, quando de facto os motivos que estão na base dessas acusações são autênticas gazuas que abrem os cordões à bolsa estatal de forma ilegítima e insensata.
O país está de rastos e a justiça tem uma grande quota parte nisso. A vista grossa, o branquear certos actos ilegais faz parte do quotidiano. No entanto há gente a enriquecer de forma fabulosa ganhando algumas centenas de euros, oficialmente. Os juízes simpáticos sobem vertiginosamente...Podem (quase sempre!) chegar ao Supremo!
«Quem cabritos vende e cabras não tem, de onde lhe vem?»__Isto diz a sabedoria popular. Hoje em dia esta interrogação se estende do Minho ao Algarve e é feita por todos os cidadãos honestos.
Ordenados fabulosos para gestores em grandes empresas públicas, às vezes com passivos incomensuráveis, reformas e mais reformas douradas, atribuições de empreitadas feitas à medida de certas empresas de «confiança» (leia-se politicamente gratas...), gastos principescos com comemorações por tudo e por nada, aniversários disto e daquilo, edifícios sumptuários, obras faraónicas, elefantes brancos só para serem usados em dias festivos...e para meia dúzia de convidados de «honra»...
Marinho Pinto descascou o pessegueiro todo! Mas ainda muitas bordoadas ficaram por dar!
Há na justiça situações escandalosas de prepoténcia, abuso de poder, perseguição pessoal por delito de opinião, até! CLICAR AQUI.
Jaime Gama, esse, adoptou uma postura apologética e servil. Teceu loas, disse o contrário do que a maioria da população pensa. Incensou de forma balofa. Usou óculos cor-de-rosa. Onde toda a gente vê um mar proceloso, ele, pelo contrário, visionou um mar de bonança e de tranquilidade.
O PR procurou conciliar e dourar a pílula. Contudo vemos tantos abortos na justiça que a pergunta que se impõe é se não seria adequado usar a pílula do dia seguinte!?

Marcadores:

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home