rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

terça-feira, dezembro 21, 2010

Pescador, ao lado esquerdo de Deus?!


Quando a noite se deita, nua e fria,
No manto de areia fronteiro ao mar
Fica triste, saudosa, a meditar,
Em todos os que o mar levou um dia...
Os que pra sempre foram retirados
Aos braços da família, dos vizinhos,
Filhos sem pai, na vida tão sozinhos,
Viúvas, quais cadáveres adiados...
Braços no ar, rogando a Deus clemência
Implorando a Jesus mais protecção
Mas, surdo permanece o mar, mar-cão,
E surda permanece a Providência...
O vento traz lamentos desta gente
Almas peregrinando sobre o mar
Lágrimas permanentes a brotar
O fogo da saudade bem latente...
A noite à beira-mar, melancolia,
Solidão recheada de epopeias
Heroísmos humildes às mãos cheias
No ar a mão de Deus... dia após dia...
Sortilégio do mar, sorte ou azar,
Vida e morte tão próximas, ligadas,
Por teias invisíveis, separadas
Por caprichos do vento... vilão-mar...
Quantas viúvas choram com pesar
Quantos órfãos a noite vai ouvindo
Em pranto convulsivo explodindo
E a noite... sem resposta pra lhes dar!

11 Comments:

Blogger Táxi Pluvioso said...

Já pouco choram as viúva de hoje...

Venho desejar bom Natal

1:07 AM  
Blogger Gisa said...

Lindo, meu amigo, lindo e triste. A dor da perda nunca se explica. Um bj querido e Boas Festas para ti.

4:46 AM  
Blogger Pena said...

Prezado e Admirável Amigo:
"...O vento traz lamentos desta gente
Almas peregrinando sobre o mar
Lágrimas permanentes a brotar
O fogo da saudade bem latente...
A noite à beira-mar, melancolia,
Solidão recheada de epopeias
Heroísmos humildes às mãos cheias
No ar a mão de Deus... dia após dia...
Sortilégio do mar, sorte ou azar,..."

Retracta com beleza imensa o mar e a vida nele contido de sobrevivência inevitável e sofrida.
Fantástico.
A dor é sentida de forma intensa pelos sofredores. Todos os que acarretam sofrimentos.
Fê-lo com beleza pura. Fabulosa.
Quem cuida dessa gente?
Perfeito, amigo genial.
Feliz Natal junto da sua família com todo o deslumbre que a existência possa conter.
Com respeito imenso pelo seu talento.
Sempre a estimá-lo e a admirá-lo

pena

MUITO OBRIGADO pela visita, amigo divinal.
Adorei.
Bem-Haja! Felicidades a jorros lhe desejo.
Merece por completo.
É um Ser Humano gigante e enorme, acredite?
Parabéns.

6:41 AM  
Blogger Desnuda said...

Amigo Bernardim,


um belo poema com versos triste e não poderia ser de forma diferente para retratar uma realidade. Obrigada pela partilha e por sua amizade.


Boas Festas para você e familiares. Beijos com carinho.

9:22 AM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Táxi:

Talvez, talvez... mas nem todas...

10:19 AM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Giza:

Boas Festas bem quentinhas aí para essas paragens onde tenho alguns familiares também...

10:20 AM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Pena:

Meu caro, a sua generosidade é ilimitada, não merece esta simples poesia tanto adjectivo, mas contudo agradeço.

Sua verbe é empolgante e sinto como um amigo do peito.

Feliz Natal para si e para os que ama.
Bom Ano de 2011.

10:21 AM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Desnuda.

A sua presença é sempre gratificante. Agradeço-a e desejo um Feliz Natal para si e para os que partilham o seu afeto.
Um beijo.

10:22 AM  
Blogger carlos pereira said...

Meu caro amigo;
Excelente poema; um hino ao pescador anónimo que labuta, corajoso, pelo pão de cada dia, por vezes em luta desigual com o mar.
Gostei imenso.
Um forte abraço.

12:13 PM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

carlos pereira:

Há tantos que conheci e lá foram, sem uma palavra de despedida, da vida roubados sem contemplação...

Este Natal é também período de recordar quem no local de trabalho perde a vida para nos dar o peixe . Ao saboreá-lo esquecemos quantos sacrifícios, quantas privações, quanto sofrimento está por trás... até mortes...

9:48 PM  
Blogger Um Poema said...

....

O drama de tanta gente ligada ao mar, resumida em belíssimas estrofes.
Obrigado pela partilha.

Feliz Natal e um abraço

2:56 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home