sexta-feira, dezembro 10, 2010

Economia Paralela cresce...











A gente bem olha para o alto, mas Deus não intervém, deu-nos o livre-arbítrio, será que os que agora são absolvidos às carradas serão penalizados?! Às vezes pergunto a mim próprio se o chamado juízo final não será uma metáfora destinada a amenizar os juízos críticos de quem observa este fartar vilanagem: eles agora fazem gato-sapato da justiça, mas depois... terão a condenação eterna!
Enfim, a resignação institucionalizada, tantas vezes os fautores da corrupção sorrindo ao lado dos agentes clericais... dos juízes, dos intelectuais capturados...


Enquanto o país vai definhando - e tem o seu reflexo no défice e na contas públicas- sabe-se que a economia paralela se vai agigantando. Os impostos sobem e como reflexo, há a tentação para fugir a eles, saír fora do circuito oficial, enfim é a lei da vida...
Segundo uma tese de mestrado (ver aqui) ela aproxima-se, grosso modo, de um quarto do PIB.
As offshores engordam, os dinheiros paralelos andam por aí em malas «pretas» dos partidos, nas algibeiras de alguns sucateiros que querem levar o país à sucata...
O país vai isaltinando e valentinando e tudo continua como dantes quartel general em abrantes...
E ai de quem disser mal disto, ainda é acusado de anti-patriota ou anti-partidos...
O país está a saque e os decisores políticos, quase todos, abrigam-se à sombra de uma legislação permissiva e de juízes capturados que fazem vista grossa e tiram dividendos da situação...
Quantas prescições não foram meio- caminho andado para subir na hierarquia?!
Quantos ouvidos de mercador não foram o leit-motiv para promoções rápidas e classificações altissonantes? Quantas «falta de provas» não foram mentiras de bradar aos céus!?
Se as paredes (e as gavetas...) dos tribunais falassem...
D. Corrupção anda por aí, bem vestida, usando carros de alta cilindrada, todos a cumprimentam e fazem salamaleques, vai à TV lançar umas oratórias vitimizadoras e continua a coleccionar condecorações e prebendas. Tem ruas com o seu nome e até estátuas...
E quando os órgãos de comunicação social sérios e honestos a atacam, ela vai à TV e desacredita-os, acusa-os de campanhas negras, de obsessão persecutória, de maledicência...



O país precisa de um novo paradigma, de uma nova ordem económica e social. A mentalidade reinante está enfeudada a este capitalismo selvagem que tudo devora, até as consciências...



11 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

É um escândalo o que se passa com essa gente que ganha a dois e três carrinhos, como se costuma dizer!

Gisa disse...

Incrível como os problemas se repetem em todo mundo. Natureza humana ou falta de natureza humana?
Um bj

Vieira Calado disse...

E já viu, (notícias de ontem)

quantos corruptos foram condenados

nos últimos anos?

Um forte abraço

rouxinol de Bernardim disse...

Rosa dos Ventos:

Acumular é que está a dar...

rouxinol de Bernardim disse...

Giza:
Estamos numa globalização da golpada e da corrupção...

rouxinol de Bernardim disse...

Vieira Calado.

Pois... pois... a justiça é cega, surda e muda...

HELENA AFONSO disse...

OBRIGADA pelo seu comentário e visita à AMAZÓNIA.....a que permanece intacta.......apesar dos "golpistas" a quererem derrubar......pois por aqui já há muito que "esmagaram" a nossa natureza e os culpados continuam por aí....
HELENA

O Puma disse...

Com a crise dos mercados do açucar

anunciada
o país vai ficar ainda mais amargo

Abraço

rouxinol de Bernardim disse...

Puma:
Talvez, talvez...

rouxinol de Bernardim disse...

Helena.
Ainda bem que a Amazónia continua semi-virgem... já não é mau!

Táxi Pluvioso disse...

As pessoas já deveriam ter percebido que se têm de desligar o mais possível do Estado: fazer essa tal de economia paralela que não é outra coisa senão uma vida decente.

Quando oiço Câmaras Municipais com planos para aumentar os milhares de taxas e impostos que têm, em vez de cortarem nas despesas, apetece-me votar.