rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

quarta-feira, março 10, 2010

SAÚDE MENTAL








A loucura instalou-se para ficar. Está a todos os níveis. Políticos, jornalistas, dirigentes desportivos, empresários. Ninguém pode ficar indiferente. Quando uma criança desiste de viver por se tornar insuportável o ambiente escolar, onde seria suposto haver segurança, tranquilidade de espírito, paz, é o caos. O país está infectado e contaminado, basta ouvir e ver. Os telejornais dão conta disso tudo. Não podemos ficar indiferentes.
Um presidente de governo regional diz que os membros da Assembleia Regional (a maioria do seu próprio partido!) são um «bando de loucos», o que dizer mais sobre tão patológico país?
Quando o próprio presidente da República, o garante do regular funcionamento das instituições, ouve e cala (consente?), haverá quem conteste que o país ensandeceu de todo!
Quando um presidente de câmara (também presidente da ANMP) manda a populaça correr à pedrada os técnicos do ministério do ambiente que vão para lá trabalhar, que dizer?!
«Loucos varridos» à solta, em lugares de destaque, fazendo mil-e-uma malfeitorias sem que ninguém lhes tolha o passo. Autênticos inimputáveis, vivendo com o rendimento de reinserção e andam a roubar pelo país fora. Dão-se fortunas para obter um apoio eleitoral, a título de «compra da imagem», como se fosse a coisa mais natural do mundo. À custa de dinheiros directa ou indirectamente públicos. Só com o abjecto desiderato de ganhar eleições!
É assim que este país sai da fossa? É assim que se controla o défice?
Alguns esquecem que foram eleitos para governar e não, para ganhar de novo eleições...
O povo, o eterno burro de carga, há-de pagar as favas... pensam eles...
O país está doente. Não é só a economia, a justiça, a saúde, a educação, é a própria saúde mental que está em causa. Acuso dessa doença as mais altas figuras do Estado a que chegámos!!! e tenho provas!!!
Vem, Fernando Nobre, tira mais uma especialidade, que se faz tarde!!!
Terceiro mundo, aqui? Não, direi que é quarto ou quinto!...
PORTUGAL, QUE FUTURO?
Nesta feira, qual bordel,
Vende-se a alma e a imagem
Prostitutas sem cartel
No reino da... sacanagem...
«Bem» e «Mal» ao -deus-dará
Num abraço interesseiro
Moral? Fugiu!, não 'stá cá,
Ninguém sabe o paradeiro.
Pobre país já sem norte
Ao desbarato vendido,
Loucos varridos, má sorte,
Portugal anda perdido!

Marcadores:

4 Comments:

Blogger Teresa Durães said...

nem digas nada, eu que sou funcionaria publica parece que tenho de pagar a despeza que o governo esbanja

Hoje convido-te para dares um salto ao Voando

3:28 AM  
Blogger © Piedade Araújo Sol said...

actual.

forte.

real.

abraço

10:06 AM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Teresa Durães:

Políticos querem ganhar eleições e perpetuar-se no poder, a todo o transe, custe o que custar...

O povo que pague as favas!!!

É esta caricatura democrática que temos em mãos!!!

11:57 PM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Piedade:

Infelizmente há que zurzir forte...
eles são tantos e tão alucinados que não será demais!

11:58 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home