rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

quinta-feira, setembro 24, 2009

SILÊNCIO ENSURDECEDOR!!!


«Eu, pecador me confesso!...»


Ainda há poucos dias o presidente da República queixava-se de que alguns assessores o aconselhavam a falar e nada dizer, ou seja «falar por falar...». Agora, vêm Pacheco Pereira e Miguel Veiga pedir ao PR para falar por causa da exoneração de Fernando Lima do cargo de assessor.

Alegam eles que o silêncio prejudica o PSD. Enfim, na iminência de uma derrota (dizem as sondagens...) procuram já um bode expiatório..

O PR não fala. Tem dificuldades notórias. Os conselheiros não sabem o que lhe aconselhar pois ele indo à praça pública zurzir neles, como o fez na conversa com jornalistas, devem também remeter-se a um prudente silêncio de Conrado.

Eu, rouxinol de Bernardim, ficcionei um fado. É uma oração do PR pedindo a Deus ajuda para falar e dizer algo de coerente. Não é fácil, todo o país já se apercebeu disso. Ele não é de apunhalar colaboradores, sobretudo tão antigos e tão fiéis como Fernando Lima. Também lhe custa arcar com todas as responsabilidades. É perigoso para o país, no actual contexto. Dizer a verdade toda pode não ser prudente. Dilema, trilema, quadrilema?!

Eis então a oração do PR (ficcionada, sublinho...) em que pede a Deus ajuda nesta hora de aflição:


SENHOR, EU TE IMPLORO!...
Oh meu Deus, Nosso Senhor,
Sinto em perigo o lugar
Despedi um assessor
E não sei... como explicar!....
Cumpriu ordens que lhe dei
Isso não posso ocultar
Isso nunca negarei
Cumpriu (com zelo) o lugar!
Que direi aos portugueses
Meu Deus, por favor, dizei!?
Penso demitir-me... às vezes...
Se alguém pecou... eu pequei!
Justo é que o pecador pague
Toda a culpa no cartório
Que não se esconda ou apague
Sob um... «bode expiatório!»
Eu, pecador me confesso,
Fui deveras imprudente
Ao país, perdão eu peço
Assumo o erro!... obviamente!
Cai o pano e o país inteiro aplaude. Era um vazio que se preenchia... e, sabe-se do passado, que o «horror ao vazio» explicou durante muito tempo, muita coisa!...
Até a pressão atmosférica!...

Marcadores:

4 Comments:

Blogger Táxi Pluvioso said...

Mesmo os cristãos roubam e não atiram a primeira pedra.

9:14 PM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Por falar em pedra: será que de facto isto não é uma democracia mas sim uma asnaticocracia?

Roubar palha pode ser ... matar a fome...

2:56 AM  
Blogger Mikas said...

Digno do Parque Mayer ;-)

4:29 AM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Talvez...

6:12 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home