rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

sábado, setembro 05, 2009

Porque será?!


Após uma brilhantíssima presença no Parlamento europeu, conseguindo entusiasmar os seus pares e até os adversários mais reputados, foi votado ao ostracismo de forma inexplicável. Será que está preparando o DAY AFTER?!
Ele, que encheu páginas e páginas do JN com panegíricos à Dra Ferreira Leite, será que prepara agora a sucessão? Ou, a contrario sensu, irá encabeçar uma força alternativa, um Partido-fénix capaz de fazer renascer das cinzas a lusa glória?
O país interroga-se. O mistério adensa-se. Os apoiantes ficaram perplexos com a sua exclusão. As gentes da bola e do ciclismo, onde sempre se moveu com mestria, ficaram boquiabertas. Como foi possível? como se pôde prescindir de um talento multifacetado, como o seu, como se foi tão longe ao expurgar a sua sapiência do areópago europeu por excelência? a sua experiência, o seu prestígio caldeado ao longo de batalhas gloriosas onde a sua verbe e o seu talento oratório ofuscaram adversários ferozes e deixaram um rasto de eloquência que ainda hoje é recordado com respeito, admiração, quiçá inveja pelos adversários!
O seu perfil democrático, o seu apego à liberdade e o seu despojamento são paradigmáticos. Ele é um potencial primeiro-ministro, um presidente da República, in ovo. Aqui fica o aviso à nevegação.
Consta que o poeta VGM tem já entre mãos um panegírico poético que o irá alçapremar ao pódio, onde faz falta, de onde nunca deveria ter sido apeado, onde tem por direito próprio lugar cativo. Os deuses da política por vezes são dotados de ingratidão. Ou, longe vá o agoiro, seria essa erva daninha que por aí pulula, a mexer os cordelinhos? Refiro-me à inveja, claro...
O país precisa de todos. Mas precisa ainda mais daqueles que já se foram da lei da mediocridade libertanto, à custa do seu valor intrínseco, sem cunhas, sem safadezas promocionais na comunicação social, sem ameaças de partir loiça, sem ambicionites agudas que são típicas dos fracos, dos frustrados, dos eternamente condenados à vala comum da História, à valeta do ostracismo!

2 Comments:

Blogger Manuel CD Figueiredo said...

Mas ele é deputado europeu?! Ao que chegámos...como se prova pelas "valiosas intervenções"...
Não será preciso VGM deixar as suas traduções para lhe fazer o retrato: ele está aqui bem feito, a "cores" e em 3D!

9:10 PM  
Blogger Táxi Pluvioso said...

O país precisa de todos, é verdade, só não percebo essas mania que as pessoas têm em morrer. Então o país não precisa do Duarte Pacheco ou do Fontes Pereira de Mello?

3:03 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home