rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

sexta-feira, setembro 25, 2009

Parque Mayer, a nossa política...

Uma leitora dizia no post anterior que era digno de revista do Parque Mayer. Imagino agora a fogosa Marina Mota cantando este fado dedicado a uma famosa dama. Há quem me diga a quem assenta a carapuça?.



Já não quero o TGV
Não presta!, já não preciso,
Quis quatro!, nem sei porquê
Não estava no meu juízo!!!




Orgulhosamente sós
Já dizia o Salazar
Hoje, tanto tempo após
O «Botas» quero imitar!


Este nosso Zé Povinho
Se eu ganhar esta eleição
Andará sempre sozinho
Na cauda do pelotão!


O progresso é inimigo
Da fé, da religião,
Direi mais: é um castigo
Uma praga ... ou maldição!!!

Cai o pano e o Zé Povinho lança os ovos podres para o palco onde a política está, escanzelada e tristonha, a ser arrastada pelos seus seguidores para a sede do partido...

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home