terça-feira, setembro 08, 2009



Liberdade, Liberdade

Bocage exclamou um dia

É não calar a verdade

Não ter medo da asfixia!

Pedem sempre Liberdade

Os que estão na oposição

Espezinham-na à vontade

Quando têm poder na mão!

Estas forças castradoras

Da verdade paladinas

No poder são opressoras

Da Liberdade assassinas!

16 comentários:

SAM disse...

Olá amigo Bernardim!

Uma verdade cristalina neste poema. E um grande viva a Manuel Maria Barbosa du Bocage!



Beijos

casa de passe disse...

A mim parece-me que o Bocage tinha razão.


Alice, a fininha

rouxinol de Bernardim disse...

Sam


A liberdade é um valor intemporal!

rouxinol de Bernardim disse...

casa de passe:

Liberdade e Bocage são sinónimos!

Laura disse...

Liberdade
Amizade
Fraternidade
palavras que vão deixando de existir, consoante o grau de popularidade!...

Beijinhos e andamos perdidos por aqui, ehhhh. laura.

Germano Xavier disse...

Obrigado pela presença no Equador das Coisas, meu caro.

Continuemos...

Pena disse...

Realmente, Amigo Notável, a Democracia da oposição ou do estado actual das coisas, é deplorável de liberdade de escrita, inexistente, como inexistente é a liberdade de pensamento.
Bocage era um génio.
Adorei. Fantástico.
Quando isto deixará de existir em Portugal...? Caminhamos no tempo para trás...?
Abraço de imenso respeito, estima e consideração.
Sempre a admirá-lo por VOCÊ fazer parte dos notáveis eleitos de talento da imensa Blogosfera.
É uma delicia lê-lo. Uma honra, acredite?
Maravilhado pela sua escrita fabulosa e preocupado com o estado significativo das coisas que acontecem no nosso lindo país...

pena

É sublime e divinal no que faz fantasticamente!

© Piedade Araújo Sol disse...

pertinente.

imagem perfeita.

beij

Mikas disse...

E que bem que foi posto em palavras. Beijo

rouxinol de Bernardim disse...

Laura:

As palavras vão existindo consoante ainda vão existindo pessoas que as personificam...

rouxinol de Bernardim disse...

Germano.

Bem-vindo a este humilde cantinho... de bem-dizer...

rouxinol de Bernardim disse...

Caro PENA: O seu estilo hiperbólico tem de ser filtrado pela minha humildade natural sob pena de inflamar o meu ego...

rouxinol de Bernardim disse...

Piedade Araújo Sol:

Uma Poetisa com P maiúsculo sempre com a palavra certa na hora certa!

rouxinol de Bernardim disse...

Mikas:

As palavras são (pretendem ser...) a roupagem dos sentimentos...

Espero continuar a vestir bem!

Multiolhares disse...

penso que só podemos ser livres e descobrir o que é a liberdade, quando a encontrarmos bem dentro de nós,pois quantas pessoas fazem guerras, matam em nome da liberdade
beijo

Ademerson Novais disse...

Mais que palavras ditas num grito ainda preso pela população que parece sempre cada vez mais silenciosa com o que se passa...com o que se desfigura....comentarios de mesa de bar....de esquina...só isso mais nada....acho que precisamos de mais...


Ademerson Novais de Andrade