sexta-feira, janeiro 14, 2011

VINDE, VINDE POR AQUI!!!

Eu próprio já lhe chamei «NAPOLEÃO DE HOSPÍCIO», mas agora, tratou da saúde e vê-se bem: ele e os amigos navegam no mar da prosperidade ... chamem-lhe tolo!!!
Tolos são aqueles que andam aí de bandeira na mão, sorrisos alucinados a levá-lo aos ombros...
Quer criar o ministério do mar, mais uma tonteria... nem sequer tem poderes para isso; depois deu cabo da nossa frota, ajudou a afundar a agricultura, os fundos estruturais levaram um sumiço, e hoje andam por aí nos off-shores de meia dúzia que navegam no mar da plutocracia... ele ri-se e não comenta. Napoleão de hospício?!
Que comente o povo, no próximo dia vinte e três.

Ele, a narcisista gaivota azul, mais sério que todos os sérios do planeta, mais competente que todos os competentes, é o supra-sumo da arrogância, da vaidade, do posso quero e mando...
O novo «Manholas» não fica atrás do outro, não! Tem pinta, o novo clone!
O Manholas coitado, caíu abaixo da cadeira e nem dinheiro tinha para a mandar reparar...
Um mar de properidade se observa nos horizontes mais próximos: o povo nada vê, a comunicação social nada divulga, o país, essa cambada de labregos que nos veneram como semi-deuses, que nos aplaudem com frenesim, não merece mais...

Alguns, de ar saciado
e carteira sorridente,
perfil engravatado
sorriso conivente

DIZEM-NOS:

Vinde, vinde por aqui!
O homem nunca se engana
Nunca perde a tramontana
Não comenta... só sorri!
Diz-se amante da verdade
Co'ela tem compromisso
Mas não se dá por isso
Também ama...a opacidade!

DIZEM-NOS:

Vinde, vinde por aqui!
Salvador de Portugal
Ele é providencial
Tem um dom dentro de si
Que o leva a não se enganar...
Ele é sério, seriíssimo
Ele é puro é puríssimo
Ninguém ouse duvidar!

DIZEM-NOS:


Vinde, vinde por aqui!
Ele tem aura, talento,
Possui perfil salazarento
Este deus-cherne segui!
Ele é o nosso redentor
O preclaro timoneiro
É por si bota-fumeiro
Do ar... purificador!


MAS PERGUNTO AOS MEUS BOTÕES:

(com ar frio e circunspeto)

Será que tem um projeto
Credível? Tem soluções?
No passado mais recente
Foi da Pátria Salvador
Mostrou todo o seu esplendor
Deu fruto... sua semente?!

MEUS BOTÕES ASSIM FALARAM:


Não, não ides por aí!
Nesse perfil pardacento
Só se ouve: «não comento!»
É vazio, só sorri...
O sorriso é um biombo
Para ocultar a ruim verdade
Da sua cumplicidade
Na banca que levou rombo!!!


Não, não ides por aí!
A verdade ele sonega
E toda a gente anda cega
O povo ele goza e ri
As «escutas» que inventou
Não lembraria ao «Manholas»(1)
Quer fazer de nós artolas
E jamais as explicou!!!

(1) Cognome dado a Salazar, pelos oponentes ao regime.

15 comentários:

Zé Povinho disse...

Este Manholas não usa as botas do Botas. Talvez venha a cair da cadeira, ainda que eufemisticamente.
A atitude do "nunca me comprometo" não me agrada nada, tal como não me agradou a sua governação.
Não voto nele, de certeza, e nunca votei.
Abraço do Zé

carlos pereira disse...

Meu caro amigo;
Poema SENSACIONAL; que belo retrato do "Manholas de Boliqueime".
Gostei imenso, como sempre.
Um forte abraço.

Victor Gil disse...

Que rico grupelho está nessa foto. Qual dele o mais responsável pela situação do país e arredores? Todos a comer da mesma panela como vão descobrir-se as verdades.
Um abraço
Victor Gil

Solange disse...

matando a saudade..

bjs.Sol

rouxinol de Bernardim disse...

Zé povinho:

«Não comento!» é a frase mais ouvida por este candidato quando interrogado...

Se o acto eleitoral é um exame, um aluno que presta provas assim, não respondendo ao que importa clarificar, é manhoso... esquiva-se, dribla a realidade... será que isto dará nota positiva?!

Oxalá o povo, o vero examinador, saiba tirar as ilações!

rouxinol de Bernardim disse...

carlos pereira.

Espero que este poema seja a arma da pedagogia contra a demagogia reinante...

rouxinol de Bernardim disse...

Victor Gil:

A mesma pergunta eu faço. Seria a estes que se referia Jardim, quando há dias clamava :

__É preciso acabar com o ESTADO-POLVO!?

rouxinol de Bernardim disse...

solange:

Mate, mate... não vai presa por isso...

Rosa dos Ventos disse...

Nele?
Jamais!

carol disse...

Muito bons estes versos! Mande para os jornais!
Se ele tem um projecto?! Tem, tem ... pôr lá o PSD rapidamente e viver muito descansadinho a passear a Maria por todo o lado! Temos os parolos que merecemos... Que pena!

rouxinol de Bernardim disse...

Carol:

Jornais?!

Os jornais estão com o rabinho entre as pernas. Já me disseram: «tem cuidado! olha que o tipo é vingativo!»

O país anda de cócoras perante esta figura caricata a quem o economista João Salgueiro apodou de «Napoleão de hospício!» e depois passou a vida a lamber-lhe as botas para se redimir...

durindana disse...

Boa, boa Bernardino
Que não tem papas na língua.
Mas não vai adiantar!?
O Povo anda em desatino
E mesmo morrendo à míngua
No Manholas vai votar.

... e eu que já não tenho tempo para ver isto mudar!
Um abraço.
A.M.

Táxi Pluvioso disse...

É um país pequeno, todos são primos e primas de Afonso Henriques.

rouxinol de Bernardim disse...

durindana:

Tanto pessimismo... essa espada está mesmo cheia de ferrugem, meu caro!

O populismo só engana os ingénuos úteis, não queira ser um deles...

rouxinol de Bernardim disse...

Taxis.

E clones também...