rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

sábado, janeiro 01, 2011

O perfil dos candidatos a PR...

Francisco Lopes Muito embora apoiado pelo partido comunista tem procurado dar uma imagem mais aberta, com uma linguagem séria e desinibida, fugindo um pouco ao cliché habitual, sem se agarrar aos estereótipos habituais dos comunistas ; sabe que não pode vencer, sabe que está ali para cumprir calendário e agarrar militância evitando a fuga para águas socialistas ou bloquistas. Daí a sua postura sóbria e de uma dignidade a toda a prova. Estará a tarimbar para outros voos?
José Manuel Coelho


Oriundo de uma ilha da Madeira onde para se ter visibilidade mediática é preciso recorrer ao folclore, onde a mordaça é permanente, virá desestabilizar Cavaco e irá provocá-lo pela atitude passiva e pouco digna de um chefe de Estado perante um líder local arrogante e trauliteiro. Só aí terá pano para mangas se souber e quiser ir ao fundo da questão: a dignidade de Estado!

Um presidente que se deixa despojar dos seus trajos institucionais por um caudilho local que quer mostrar que é ele que manda ali, não pode ser olhado com respeito pelos que têm da democracia e da ética do poder um sentido nobre e digno. A Madeira será uma lança que pode ferir de morte o actual presidente, mas também pode, se surtir efeito a habitual estratégia vitimizadora (da qual Cavaco usa e abusa até à exaustão...) ter o chamado efeito bomerangue.


Oxalá o candidato seja inteligente e saiba abdicar do folclore, neste momento, para ser mais objectivo e mais pragmático.


Defensor Moura


Talvez o mais lúcido e mais acutilante de todos os pretendentes ao «trono» de Belém. Inteligente, sóbrio, tem sido uma «lebre» no sentido metafórico do termo, para Alegre.

Marginalizado pela comunicação social tem sabido impor-se nos poucos momentos de visibilidade global. Uma surpresa positiva.


Tem sido muito frouxo para quem se perfila como o segundo candidato mais capaz de vencer. Não replica com eficácia, fica-se pelas abordagens pela rama, não aprofunda, não sabe desmontar a estratégia vitimizadora de Cavaco, sobretudo.

Alguns ainda usam o seu passado militar como arma de arremesso, talvez de forma injusta mas eficaz nalguns meios. O seu emparedamento entre o poder (PS) e a oposição(BE), inibe-o, fragiliza-o, retira-lhe liberdade.
Há alguns ódios de estimação dentro do aparelho partidário (onde foi acusado de «parasitar»...) que não lhe são favoráveis...O dom de palavra, que o tem, sem dúvidas, parece amordaçado pelo calculismo e medo de ser acusado de arrogante. Ora, quem tem razão, e a prova, não deve temer nada nem ninguém!
Sabe que se for à segunda volta pode vencer com relativa facilidade. Mas daí até lá... muito terá de se modificar na sua estratégia e na dos seus apoiantes, que não têm sido muito pródigos nesse auxílio, diga-se em abono da verdade...

Cavaco Silva

Homem inteligente, economista com créditos firmados, especialista na esgrima verbal em que usa a vitimização com argúcia de mestre florentino...sabe furtar-se como ninguém a perguntas incómodas que acaba sempre por não responder...

Acusado do «pai do monstro» despesista, é também o pai de muitos novo-riquismos nascidos ao tempo das vacas-gordas... Daí se esperar que a gratidão surja e ganhe votos. Apoios financeiros na banca não irão faltar: foi um fiel apoiante de muitos neste sector onde ganhou alicerces e asas.

Também pode ser queimado por práticas pouco transparentes (BPN) e algum tratamento de privilégio, que não é dado ao comum dos cidadãos neste país!
É perito na arte de não responder a perguntas incómodas. Calculista e tendo sempre no horizonte o impacto eleitoralista dos seus actos, vai ganhar votos na Madeira por ter deixado brilhar o líder local quando este insultou toda a AR e o despiu das suas vestes presidenciais recebendo-o como um simples turista na ilha onde o todo-poderoso impera.
Não tem sido interpelado pelos adversários em questões gravíssimas como a questão das «escutas a Belém»__ onde ainda não disse ao povo português quem foi o responsável pela notícia vinda no Público sobre este assunto e que tanta celeuma causou e continua a causar...__ e parece protegido por uma blindagem mediática avassaladora...
Condena os que fogem aos sacrifícios... mas nunca denunciou na praça pública com o enfase que merecia, o esbulho, o roubo, o crime de lesa-economia perpetrado por alguns amigos seus no BPN! Critica os «agentes políticos» esquecendo-se de se incluír no rol!!!

Este recente ataque à gestão actual da CGD no BPN (atirar poeira para os olhos de incautos, fazendo esquecer o seu silêncio face aos arbítrios e crimes de lesa-economia cometidos por pessoas tidas por próximas de si) pode trazer-lhe amarguras sem conta. Ou prova o que diz ou pode ser acusado de sabotar o trabalho espinhoso dos actuais gestores da CGD surpreendidos hora a hora por buracos e mais buracos fruto de uma gestão danosa (criminosa?) que nenhum país desejaria ter no seu seio. Eu, se tivesse capitais no BPN (tenho muito pouco) poderia ser tentado a levantar por causa desta grave (e se calhar infundamentada...) acusação feita por uma entidade que deveria ser mais comedida, ter mais reserva e recato nos seus ataques...
Sabe que se for a uma segunda volta pode perder, daí todo o fulgor vitimizador, agora e já! Os seus adversários temem ser considerados agressivos e não vão ao fundo das questões como seria natural e todo o povo português aguardaria... Foge habilmente às perguntas incómodas como o diabo da cruz! Usa termos expeditos como: «veja na net!», «já repeti isso mil vezes!», «não comento, não respondo a insultos!» e assim todas as perguntas incómodas são (por ele) consideradas insultos esquivando-se como a enguia...até que alguém (talvez a condutora das entrevistas...) o ponha na ordem... o que não é facil diga-se. Há muito medo na comunicação social. A cobardia e o calculismo estão de pedra e cal.
O medo guarda a vinha, diz um adágio popular...


Fernando Nobre


Talvez o mais digno de ser eleito, pelo seu passado em prol dos mais desfavorecidos, pelo seu papel de missionário-médico sem fronteiras e de coração generoso. Um sentido de Estado forte, centrado no humanismo e na noção do que deve ser uma vida espartana ao serviço dos outros e não um protector de vícios instalados, um mentor de pulhices de colarinho branco...

Desfavorecido por uma comunicação social encostada à banca e aos grandes magnatas, vê-se diminuído por esse facto, mas os portugueses começam a estar atentos a estes fenómenos e saberão premiar quem é prejudicado (nas sondagens, nos espaços mediáticos noticiosos, sobretudo).

É o candidato mais capaz de cortar a direito, mais tarde, de impor regras sãs, práticas preventivas. Como médico sabe que o país vai gangrenando por causa dos compromissos assumidos em campanha e que depois redundam no que se sabe: sucateiros e banco-trauliteiros a cobrarem-se dos apoios...).

O país saberá dar-lhe o relevo eleitoral que merece?

O sol da pureza genuína não será tapado pelas medíocres peneiras mediáticas...

Enfim, o homem ideal para ser exemplo e o espelho da nação. O líder natural da nau lusa, neste momento de mar proceloso em que os ratos já saltaram com os seus proventos para paraísos fiscais e outros que tais...






NOTA: O meu candidato só o indicarei mais tarde...

Aqui faço uma análise isenta e independente de afectos pessoais...



Marcadores:

6 Comments:

Blogger Chica said...

Políticos e seus aspectos... Por aqui hoje temos novos assumindo...Sai de baixo,rsrsr...abraços, feliz 2011! chica

3:48 AM  
Blogger carlos pereira said...

Meu caro;
Excelente (como sempre) trabalho abordando o perfil dos candidatos, com o qual estou em perfeita sintonia. Extraordinária análise política e sociológica.
Parabéns.
É para mim um grande privilégio lê-lo.
Um forte abraço.

7:34 AM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

chica:

Bom ano para si e para nós todos que bem precisamos.
Políticos são como as fraldas dos meninos, precisam de mudança senão... cheiram mal...

10:09 PM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

carlos pereira.

Neste contexto nem sempre é fácil a isenção. Procuro ser isento, sereno, objetivo. Se o consegui fico feliz por isso.

10:10 PM  
Blogger Magia da Inês said...

Olá, amigo!
Começo de ano... um brinde à tua inteligência e coragem em abordar esses assuntos!...
Que nunca te falte inspiração para as próximas postagens nesse blog.
Bom domingo!
Bj♥s
Brasil°♫º
° ·.

1:57 AM  
Blogger © Piedade Araújo Sol said...

uma analise excelente, que gostei muito de ler.

bom ano de 2011.

beij

10:05 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home