rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

segunda-feira, junho 28, 2010

Nobel da Economia contra contracção da economia


Bento XVI:_ Me diga senhor presidente, a chamada «Lei de Gresham» também se aplica ao clero?
Prof Cavaco:__ Vossa Santidade me desculpe, mas eu, desde que cheguei ao topo, deixei de usar essa linguagem. Sinto que sou a «moeda má» que afastou as boas...
Bento XVI:__ Não se recrimine professor. Também tenho os meus pecados mas já estou farto de pedir perdões... tudo por causa das «moedas más» que me antecederam e protegeram quem não merecia ser protegido...

O prémio nobel da Economia defende um redireccionamento dos investimentos (ver aqui, no Público)e até a criação de bancos públicos (nacionalização) em detrimento da injecção maciça de elevadas somas no sistema bancário. Subliminarmente aconselha a criação de bancos públicos a fim de melhor controlar o investimento.
A fúria privatizadora deu no que deu. O dilema público versus privado deu lugar a outra perspectiva: a racionalidade económica, a eficaz supervisão, a planificação criteriosa nos investimentos, enfim, a melhor utilização dos fundos para dinamizar a economia, a melhor opção
para o superar desta crise multifacetada.
Os apologistas do corte cego, do não investimento como forma de estancar o défice, são confrontados agora outra análise. Mais lógica, mais racional, diria até mais Keynesiana.
Joseph Stiglitz defende que uma economia nacional não é como a economia familiar.

E concretiza: «Se uma família não pode pagar as suas dívidas é-lhe recomendado que gaste menos. Mas numa economia nacional, se se corta o gasto, a actividade económica cai, nada se investe, aumenta o gasto com o desemprego e acaba-se sem dinheiro para pagar as dívidas».
Cavaco concordará?! Ele, agora em fúria eleitoralista ou pré-eleitoralista, deitou fora a roupagem académica e vestiu o trajo politiqueiro... Longe vão os tempos em que só precisava de um extintor de otimismo (ver aqui neste blogue a 21 de Maio de 2008- «O fogo da corrupção alastra...»)para acabar com a crise... Como é ridículo vê-lo agora, que estão a ser corrigidos os desmandos, a verberar, quando deveria tê-lo feito na altura oportuna, quando o incêndio (económico-financeiro) já lavrava e ele nada via... assobiava para o ar e reclamava otimismo como panaceira redentora! O elixir de todos os males! Não se apercebeu sequer do estremecmento deste novo-Titanic chamado Portugal! Queria a orquestra sempre a tocar!...

Marcadores:

9 Comments:

Blogger O tempo que passa said...

Estou de acordo com o amigo, quanto mais reduzido for, o poder de compra da população, mais empresas, industria e comércio, entram em dificuldades, reduzindo por isso os postos de trabalho. Mais desemprego gera maior despesa pública e mais cortes nos rendimentos da população. É o que se chama uma bola de neve.
A minha ignorância sobre assuntos de política e economia, não me permite vislumbrar como se pode seduzir os empresários nacionais e estrangeiros a investirem neste país com uma população mal paga, desmotivada para a produtividade.

Um abraço

8:48 PM  
Blogger Rosa dos Ventos said...

Eu também subscrevo tudo o que dizes!

Abraço

11:30 PM  
Blogger Laura said...

Olá rouxinol...faz tempo que não sinto os teus trinados!...
O panorama é sempre o mesmo, mas quem tem vontade de cantar?
Aquele apertadinho abraço da laura

7:33 AM  
Blogger M@ria said...

"Que o sussurrar do vento te leve um beijo carinhoso e eterno e me deixe em seus pensamentos para que a distância não apague em ti minha existência."

(Autor desconhecido)


Beijos & Flores........M@ria

12:28 PM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

o tempo que passa:

São os sinais do tempo. De facto, não se investindo, não há emprego e não se podem pagar as dívidas.
Há que investir criteriosamente: gerando riqueza, dando postos de trabalho produtivos, criando efeito multiplicador e se possível gerando exportações.

7:50 PM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Rosa dos Ventos,

Ainda bem. Comungamos o mesmo ideário desenvolvimentista. Ordem e progresso!

7:51 PM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Laura,

Da maneira que isto está, nem dá para cantar...

7:51 PM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

M@ria,

O vento nem sempre nos sussurra o que queremos... mas agradeço o voto formulado.

7:52 PM  
Blogger Isa GT said...

Ele quando fala na criação de Bancos Públicos não deve conhecer o nosso pequeno quintal, acho que ainda se lembra da nossa C.G.D. ter emprestado aos amigos, dinheiro para comprar acções que acabaram por valer menos que o empréstimo e de outros negócios escuros, para os compinchas lol
Administradores incompetentes mais preocupados em fazer a sua quota de anos para poderem ir acumulando reformas milionárias,...
Um rico quintal onde dinheiro que entra, entra em algibeiras onde não deve.
Quanto a injectar dinheiro na economia, concordo, desde que houvesse mais uns idiotas para o continuarem a emprestar a mafiosos que nem honra de bandido têm lol
Bjos

8:44 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home