rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

quarta-feira, junho 09, 2010

Eça de Queiroz um português intemporal!


«Eça de Queiroz, esse maledicente... não passa de um pessimista doentio e anti-patriota... chiça! Ataca a santa madre igreja, o clero, ofende até a classe política que é nobre e digna de consideração e respeito. A banca não lhe dá crédito.»

Eça: «Portugal está no topo da chacota internacional, os seus líderes parecem napoleões de hospício cheios de prosápia e pesporrência...»

Em 1872, nas «Farpas», Eça disse isto: «Nós estamos num estado comparável somente à Grécia: mesma pobreza, mesma indignidade política, mesma trapalhada económica, mesmo abatimento de caracteres, mesmo desleixo de espírito. Nos livros estrangeiros, nas revistas, quando se fala num país caótico e que pela sua decadência progressiva poderá vir a ser riscado do mapa da Europa, citam-se a par, a Grécia e Portugal.»
Hoje poderia escrever mais ou menos isto: «Portugal e Grécia continuam a par na trapalhada política, na falta de carácter da maioria dos políticos, nas pulhices da justiça, na putrefação das instituições. Os principais líderes, que deveriam ser símbolos de coragem, de honestidade intelectual, de lisura de processos, não o são. Mais parecem figuras saídas de algum hospício, debitando um discurso eufórico, delirante, desfasado da realidade concreta que vivemos e sentimos. Portugal precisa de uma vara de marmeleiro. E de alguém que a use com a mesma mestria que um tal Nazareno o fez, expulsando os vendilhões do templo. Enfim, a mesma choldra de sempre! Os mesmos a chafurdar na pocilga lusitana. Uma vara. »

Marcadores:

5 Comments:

Blogger Isa GT said...

Por aqui parece nada mudar. Nem o Eça conseguiria imaginar que estaria hoje tão actual.

12:10 AM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Isa,


O nosso ADN está indelevelmente gravado. A cultura rançosa, incapaz de aceitar a ironia, o chiste sem azedume, cheia de água benta propensa à resignação, ao capitular ao poder instalado, é a nossa imagem de marca.

Precisamos de mudança de mentalidades, de gente nova e capaz de ver com outro olhar...

1:06 AM  
Blogger Zélia Guardiano said...

Genial!
Os gênios têm uma visão ...
um abraço

1:11 AM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Zélia,

Eça é de facto uma genialidade que não tem comparação.

2:37 AM  
Blogger AFRICA EM POESIA said...

vim desejar bom feriado e ...deixar poesia...

GENTE



Sentir que sou Gente...
Sentir...
Que os meus olhos brilham contigo...
Sentir...
Que o meu coração ama também...

Eu danço, a dança da vida...
Porque a vida é linda...
E o amor também...

E sinto no meu peito...
Que ser livre...
É ser... Gente...


Eu vou dançar...
Eu vou amar...
E vou rodopiar...

E sentir que esta dança...
Não foi em vão...
Porque afinal...
Sou mesmo Gente!...




LILI LARANJO



dia 19 vou estar no Porto na feira do livro às 19 horas para sessão de autógrafos do meu livro...Sporting em Poesia...

Gostava de ver-te lá...

10:21 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home