rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

terça-feira, agosto 07, 2007

Papa apela à partilha...




Papa apela à partilha entre os estratos mais favorecidos a fim de atenuar as desigualdades. Darfur, onde a fome e a guerra alastram...
A sociedade empanturra-se de comida e a obesidade é o retrato do "pecado" da gula!

Enquanto os USA vão "partilhando" armas e invadindo o planeta com hábitos gastronómicos cada vez mais patológicos, há bolsas de miséria espalhadas um pouco por todo o lado.
Se a guerra não tivesse o impacto que tem tido até hoje, talvez fosse possível captar recursos para atenuar a fome, diminuír as doenças, criar situações de maior justiça social.
A injustiça é a nota dominante no actual contexto socioeconómico do momento. Mesmo em Portugal assistimos a desigualdades gritantes nos domínios da saúde, da educação, do trabalho.
Enquanto uns se fartam de trabalhar, descontando do seu salário impostos e encargos de toda a ordem, há quem tenha regalias principescas e viva em "dolcefarniente" permanente.
Alguns que deveriam estar a trabalhar estão reformados há anos, à custa de compadrios e de situações expeditas roçando o tráfico de influências, outros, sofrendo de graves doenças do foro oncológico são coagidos a ir para o local de trabalho em situações degradantes!
Que de injustiças, que de arbítrios! Gente a trabalhar para alimentar uma elite que se aproveita de situações dúbias, de facilitismos de toda a ordem.
Quem critica estes excessos ainda pode ter que ir a tribunal justificar certos termos usados, pois a justiça que temos é muito célere a fechar os olhos aos excessos cometidos pelos políticos (derrapagens, buracos, desvios, compadrios, cambalachos...) mas abre-os em excesso quando alguém tem a coragem de chamar os bois pelos nomes...Dois pesos duas medidas.
O papa bem apela à partilha, bem discursa, mas na prática dá apoios aos governantes que por vezes adoptam políticas neoliberais geradores de injustiças tremendas. A democracia cristã, tantas vezes tem dado cobertura a actos de nepotismo (ai os "nepos"...) e de autêntica barbárie.
Perante este cenário de discrepâncias enormes, de injustiças bárbaras, que fazer?
Meter a cabeça na areia?
Não. Cada um de nós deve denunciar este estado de coisas. Deve assumir os riscos em defesa da autêntica liberdade geradora de autêntica justiça. Que Deus nos ouça.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home