terça-feira, outubro 12, 2010

Antes das eleições: o Povo-Deus!... depois: a-deus!

Bordalo Pinheiro (Rafael) bem retratou o Zé Povinho...
Todos o calcam, se servem dele... clero e nobreza...



Um novo deus arranjou
O senhor «Causa Real»
E «Deus-Povo» o crismou
Redentor de Portugal!



O «Deus-Povo» omnisciente
Que ganha sempre a eleição
Está sempre omnipresente
Na boca do charlatão...



Cultuar o «Deus-Zé-Povo»
P'ra ir ao trono-poder
O discurso não é novo
Depois... o povo esquecer!


No passado, Deus usou
P'ra subir... o impostor...
Mas... borda-fora O lançou
Coisa inútil, sem valor.


Usar um deus descartável
E no rosto dar-lhe ... um murro!
O povo?! Não é notável
Mas nota bem... não é burro!!!



14 comentários:

Anônimo disse...

Dizem que cada povo possui o que merece... No entanto, esse povo faz experimentos, não sabem bem o que quer. Agradou fica, não agradou, manda embora... Talvez seja pelo fato do povo ter se acomodado no "votar por votar" e "depois a gente vê o que faz". Culpa da política ou do povo...?! Passou o povo a possuir "interesses" semelhantes aos dos políticos...?!

Um abraço e obrigada pela visita,

rouxinol de Bernardim disse...

Ana Lúcia:

Interrogação pertinente e clarividente.

rouxinol de Bernardim disse...

Ana Lúcia:

Interrogação pertinente e clarividente.

rouxinol de Bernardim disse...

Ana Lúcia:

Interrogação pertinente e clarividente.

rouxinol de Bernardim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ibel disse...

Muito bom mesmo!!! Crítica acutilante com sarcasmo adequado.
Andei a ver o blogue. Gostei. Voltarei.

carlos pereira disse...

Meu caro;

Excelentes quadras para retratar uma situação que, infelizmente, continua a verificar-se.
Gostei bastante.
Um forte abraço.

Rosa dos Ventos disse...

És um artista a versejar...e não só!
Esperemos mesmo que não seja burro...

Abraço

AFRICA EM POESIA disse...

Gstei muito de passarpor aqui.
ost é do maisreal que conheço

vim matar saudades
espero-te em Africa em Poesia e deixo:


HOJE


Hoje, é mais um dia.
Mais um que vem e que vai
E amanhã o dia amanhece de novo
Mas... igual a tantos outros...

Esperamos com ansiedade
Que o dia mude rapidamente
E se transforme em algo diferente
E em que nós possamos sentir essa diferença...

Diferença em tudo o que nos rodeia
Em tudo que existe à nossa volta...
E consigamos nessa diferença...
Sermos sempre iguais...
E sermos sempre... "mais nós"...

LILI LARANJO

Anita disse...

Olá rouxinol obrigado pelo visita.
Belo post e muito actual.
Fique bem. Fique com Deus.
Abracinhos.
Anita (amor fraternal)

Fernanda disse...

Amigo Rouxinol!

Que bem canta... afinado, certeiro, muito prazenteiro!
O tema não é de hoje, mas nunca esteve tão presente!

"O povo?! Não é notável
Mas nota bem... não é burro!!!"

Espero bem que não... muitas vezes parece!

Obrigada pela sua visita.
Voltarei sempre.

Abraço,

Multiolhares disse...

bem...burros não somos, mas continuamos acomodados e no deixa ir
Bj

Desnuda disse...

Amigo Bernardim,

título, poema e gravura mais que perfeito para um assunto pertinente a todos nós.

Beijos com carinho.

Iolanda disse...

Gostei do tom ácido-lúcido das tuas palavras. Doravante, caminharei contigo. Abraços.