quinta-feira, dezembro 03, 2009

Tratado de Lisboa

Por vezes este país parece sofrer de doença bipolar: passa do pessimismo mais radical e doentio a um optimismo sem freio.

A reunião em Lisboa e a entrada em vigor do Tratado de Lisboa deram azo a situações de euforia desmedida. Camtaram-se hossanas aos descobrimentos e fizeram-se paralelismos sem o mínimo de realismo e de razoabilidade.

A euforia está de novo isntalada. Há que ter contenção e saber a medida exacta das coisas. Senão, descobriremos esta triste realidade: estamos cada vez mais na cauda do pelotão...

6 comentários:

maria teresa disse...

"É no meio que está a virtude"! Mas poucos, muito poucos sabem disso.
Bj

rouxinol de Bernardim disse...

maria teresa:

Pode ser que sim, pode ser que não... o fígado está à direta, o coração à esquerda!... são órgãos bem virtuosos!

São disse...

Eu nem sequer me dei ao incómodo de ouvir tais patacoadas...

Boa noite.

Táxi Pluvioso disse...

Eu preferia ser tratado em Lisboa, mas desde que o João Soares proibiu as senhoras de calcorrearem a Av. da Liberdade, que as coisas encareceram.

rouxinol de Bernardim disse...

são:

Vale a pena ouvir, olhe que vale...

rouxinol de Bernardim disse...

Táxi:

A av da Liberdade é uma via láctea aberta a todos sem discriminações... penso eu de que... como diria o PC.