segunda-feira, outubro 12, 2009

D. Vitória, essa mulher-objecto!



José Sócrates visitando a Póvoa de Varzim, interroga-se:
__Dra Luísa Moreira, que lhe parece aquele quadro acima?
__Senhor primeiro-ministro, vejo a violência doméstica, a mulher escravizada pelo macho possessivo e ciumento. Ela, se calhar ainda é menor, precisa de ir para o «Regaço»... precisamos de ajudas governamentais para apoiar instituições que protejam as menores em perigo...
Sócrates agradeceu e inquiriu o autarca:
__Eu, pessoalmente__disse Macedo Vieira, cofiando o bigode, de forma intrigante...___ penso que é um reflexo do amor obsessivo, da paixão doentia, talvez a rapariga e o namorado ou marido precisem de terapia adequada...
Sócrates, com ar filosófico, sentenciou:
__Talvez seja a paixão doentia pela Vitória que leva alguns políticos (eu recenheço que também tenho a minha quota-parte de culpas... não sou hipócrita) a usar todos os meios (até os mais aberrantes...) para segurá-la... para que não fuja para os adversários... que passam a vida a assediá-la...
Macedo Vieira, filosofando:
__Hoje, já após ter ganho eleições de novo, mais tranquilo, posso dizer que também me reconheço um pouco nessa imagem. Todos nós, políticos, somos um pouco assim.... se fosse na sexta feira, não lhe diria isto, meu caro. Há hora de coruja e hora de falcão...



2 comentários:

Mikas disse...

Boa semana pós campanha (já chateava as buzinadelas)

rouxinol de Bernardim disse...

Mikas:

Há horas pra tudo... dizem que o Tempo é infinito... não sei... Einstein não tinha tanta certeza...