quinta-feira, maio 04, 2006

Amor de Perdição


Cá na ilha da Madeira
Há um romance de amor
Entre a justiça brejeira
E o poder, seu protector!

Andam sempre de mãos dadas
Num idílio tão perfeito
Ele, tem charme às carradas
Que ela nem lhe vê defeito!

Mal entra no tribunal,
Água benta e presunção,
Ela sorri, serviçal
Manda embora a Isenção!

O poder arrasta a asa
E tem argumentos tais
Que ela fica logo em brasa
Queimando assim os rivais!

Ela tem ferocidade
E até morde, podem crer...
Vai até à heroicidade
Se alguém ataca o poder!

A Isenção bem condena
Este amor de perdição
O cifrão também ordena
Estreitando a relação!

Este namorico vai
Acabar em rompimento
Se algum dia o poder cai
Finda o amor, no momento!

06.05.03
Rouxinol de Bernardim

3 comentários:

rouxinol de Bernardim disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Cleopatra disse...

Santo Deus... O Jardim já leu isto???

ZezinhoMota disse...

Bom dia!

Gostei do poema e do seu recheio(....).

Obrigado pela sua visita, vou regressar para continuar a lê-lo.

Bom dia e um domingo em pleno.

Abraço.

ZezinhoMota