rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

quarta-feira, janeiro 27, 2010

Um «santo» ou mais um «sargentão»?"

Rouxinol, não sejas mau! Os «santos» passeiam a alma em carros compatíveis com a grandeza dessa alma! Há que ter o sentido das proporções!!!
E tu, Rouxinol, fica sabendo que nós não cruzamos os braços quando vemos o despesismo galopante: a contenção é imprescindível em tudo, até na linguagem! Tu, com a tua irreverência , não tens lugar ao sol neste país! serás sempre um pária, tiras cursos mas não te adaptas ao regime, não sabes vergar a cerviz aos mandantes, nunca serás um co-mandante!
Manual A. Pina, com a sua mordacidade dá-nos conta do que se passa na TAP, onde um homem que faz da pequenês a sua imagem de marca, tenta achincalhar quem pensa diferente, tenta humilhar quem ousa dizer: «o rei vai nu!» (ver aqui no JN...)
Cultuamos figurinhas que têm a jactância e a petulância como imagem de marca, sem capacidade para darem exemplos, sem moral para imporem comportamentos; meros subprodutos de um marketing bem elaborado, bem doseado neste caldo de cultura política onde vale tudo... para chegar ao topo!
Sem xenofobias devo dizer que há em Portugal gente bem capaz, gente séria, que está ostracizada por não vender a alma ao diabo, que não alinha pelo diapasão dominante que é um fartar vilanagem, um chicoespertismo galopante que faz de bancários banqueiros e de condutores de ambulâncias, governadores civis... Há que ter sentido de Estado e mostrar que o estado a que chegamos é fruto de certo laissez faire laissez passer para com certas eminências vindas da estranja sem mostrarem na prática as reais motivações de um alpinismo hierárquico descabido...
Há gente que quer dignidade à custa de carros pomposos, de mordomias faraónicas, esquecendo que essa dignidade é uma indignidade quando há tantas carências noutros sectores!
Agora, os pilotos que foram apanhados a fazerem comentários pouco lisonjeiros vão ser obrigados a frequentar um «curso de ética!» Mais uma despesa estulta, mais um encargo que se destina a servir de chicote aos «prevaricadores», aos que ousaram remar contra a corrente bajuladora e lambebotas ao chefe! quem paga?! A empresa, cujas costas largas dão para tudo, se calhar darão para branquear este abuso com um culto de personalidade mais acirrado ao chefe, uma propaganda desenfreada aos «pensamentos» do «homão»!!!
Se a moda pega teremos hospedeiras a fazerem cursos de dobragem da cerviz, contabilistas a fazerem cursos de engenharia financeira, etc....
Daí a minha homenagem a mais este «santinho» que mais se assemelha a «napoleaozinho»:
Quer dar formação eclética
O Pinto, com seu snobismo,
Agora é formação ética
Ou, talvez, lambebotismo!
Um big brother sem pudor
Tudo controla e asfixia
Um reizete, um ditador,
Napoleaozinho... eu diria!
Mais um factor despesista
Um encargo sem razão
Humilhar! Só tem em vista,
O Pinto, reles capão!
Liberdade, liberdade!
Não te deixes humilhar
Curso de civilidade
Deve o Pinto frequentar!

Marcadores: ,

3 Comments:

Blogger as-nunes said...

Andam a gozar connosco, só pode ser!

E nós, vamos ter que suportar, "pacatamente", estes dislates sucessivos?

Parece que estamos mesmo colocados entre a espada e a parede?!

Como sair desta embrulhada em que nos empacotaram?!...

Ahahah responde-me a miserâvel ressonância das intrigas palacianas a que dizem temos que assistir...serenos...e...(olha que se refilas ainda levas mais tautau!) impávidos!
Ao que chegámos!

12:09 PM  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

caro amigo as-nunes:

Enfim, um paradigmático «Estado a que chegámos!»

9:30 PM  
Blogger Táxi Pluvioso said...

Nunca mais vi o cardeal patriarca, será que tem amor novo? e não liga aos pequenos problemas quotidianos.

12:22 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home