rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo. O mundo e a sociedade sob o olhar atento e desassombrado de um cineasta do quotidiano, um iconoclasta moderno, sem peias, sem tabus, sem preconceitos.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

quarta-feira, outubro 12, 2016

LOUCOS...

Uma simples condecoração é motivo de fúria para o alegado  Estado islamico (vulgo DAESH).O PR é "infiel", o rei Muhammed VI,  é um "sem vergonha". Isto é de um primarismo, de uma bestialidade tão grande que só pode provir de gente completamente alucinada. Como é possível?

Então se um atleta muçulmano ganhar uma competição desportiva e for condecorado por um "infiel" não pode aceitar? O sectarismo, a indigência mental no seu estado mais patológico!

No dealbar do século XXI o ser humano (certas franjas, não podemos generalizar) retrocedeu à barbárie. a religião é o detonador desta  maldita situação. Como corrigir isto? a guerra psicológica, a pedagogia militante, o laicismo até serão contributos sempre importantes.
Que é uma patologia do foro mental, já ninguém duvide! 
Seitas fanatizadas, mártires por tudo e por nada, desprezo pela vida, ambição de poder a todo o transe, são ingredientes deste cocktail explosivo.
Imagine-se se a moda pega por cá, e os partidos políticos se deixam contaminar!!!
Eu penso que já existe em dose  reduzida é certo. 
Este diz aos subordinados (súbditos acéfalos que se transformam em reles marionetas) para não lerem o jornal tal pois o diretor é "infiel", que não devem falar com o sujeito X pois é um "hereje" e blasfema contra o líder do partido Y, enfim, formas de assédio moral executadas por líderes com tiques totalitários, também vemos por aí... infelizmente...

Culpa de quem? De Deus (ou  Alá...) não é, certamente...
Não é só dos lideres alucinados e  com ambições desmedidas recorrendo a tudo para atingir os seus mórbidos fins, quais maquiaveis intolerantes,  mas também__ e infelizmente isto é verdade__ de quem se rebaixa ao ponto de obedecer a eles! e há quem o faça!

E não falo só na Madeira onde um tal Bokassa fazia das suas, há Bokassas pelo país em geral... 
E em todos os quadrantes partidários... 

jose sá