rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

sexta-feira, setembro 13, 2013

JUSTIÇA, VESTAL IMACULADA?!

Não, não é. Ela tem estado até na génese de muita promiscuidade impune. Ela defende-se dizendo que não tem meios, contudo, nós apercebemo-nos que por vezes falta vontade também. A montante do «sistema» existe um parlamento que também tem culpas no cartório: cria leis só para inglês ver, ineficazes, contraditórias, estatuindo principios e objetivos paradigmáticos, nobres,  mas, em simultaneo, cria também mecanismos de excepção que derrotam os tais princípios. Ela é por vezes morosa, criando mecanismos dilatórios excessivos, garantismos abusivos, contribuindo para que se diga, sem grande margem de erro, que muitas vezes, demasiadas vezes «o crime compensa». Leis sem poder coercitivo, em que a cominação é tão suave que  estimula práticas danosas à economia, leis tão brandas que ninguém cumpre, prefere ficar a aguardar os inquéritos e as investigações que muitas vezes não surgem... a justiça, lato sensu, é muitas vezes a megera, a rameira,  a meretriz,  a mulher da vida, a videirinha...

 Tantos juizes honestos e íntegros se queixam do ordenamento jurídico, que ,  o  dizer que a justiça não é culpada de muitos insucessos na economia (lato sensu) é pretender tapar o sol com a peneira.

Muita corrupção continua impune por falta de eficácia da justiça e dos seus apêndices. O regime está em degenerescência porque a justiça (e não só) se deixou capturar pelos partidos. OLVIDAR ISTO É SER CÚMPLICE!