rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

terça-feira, novembro 21, 2006

Homenagem ao Porto, invicta cidade!















Amália Rodrigues & Rui Rio
(Ficção - Desgarrada - Cultura)
Rui Rio
(Poder)
A câmara não tem cheta
Cultura, de mim tem pena!
Sinto-me um touro na arena
Que queres que eu te prometa?!
Não dá, podes crer, não nego
P'ra mandar cantar um cego!
Amália Rodrigues
(Cultura)
Dá-me ao menos liberdade
P'ra criar ou criticar!...
O Porto, invicta cidade,
Com mordaça vai ficar!
Só queres que diga amén
Ninguém pode criticar!...
O Porto fica refém
Desse capricho sem par...
O Poder
Ao que tu chamas mordaça
Chamo eu de precaução...
O Poder não acha graça
Ao sentir mordida a mão
A mão que lhe deu o pão!
A cultura
O pão que dás não é teu!
Impostos de todos nós
Nem é teu o Coliseu...
O Porto sente que é seu
Também ri, Rio, de vós!
O Poder
O economista é que fala:
Se a cultura já não rende
Se bilhetes já não vende
O melhor é encerrá-la!
A cultura é desperdício
É lixo, não tem valor...
Não traz qualquer benefício
Sem ela... o Porto é melhor!
A cultura
Oh Rio de águas revoltas
Vais p'ró mar da estupidez
Agora, vais e não voltas
Não vais ganhar outra vez!
Com galhofa e ironia
Vou cantar um Fado Novo
Fado do Rio que ria...
Mas... afinal... eu diria
Quem riu no fim... foi o povo!
.......................................
.......................................
MAS... AFINAL... EU DIRIA
QUEM RIU NO FIM... FOI O POVO!!!
Matusalém

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home