rouxinol de Bernardim

Um blogue plurifacetado procurando abordar questões de interesse sob perspectivas diversificadas. A independência sim, mas sempre subordinada a parâmetros de bom senso, de optimismo e de realismo.

Minha foto
Nome:

Penso, sonho, trabalho, amo... logo, existo!

sexta-feira, fevereiro 24, 2017

Professor Martelo em Grande estilo!



O país de nada soube. Foi tudo em completo sigilo  e ficou no segredo dos deuses. Mas a verdade, para o bem e para o mal, tem de saber-se, ela é como o azeite e mais tarde ou mais cedo virá ao de cima...

Eu conto:

Foi a Teresa Piderme, aquela odalisca fogosa que na TVI faz furor, que tomou a iniciativa. Convidou para o restaurante Ponderosa o Professor Martelo, o árbitro da Geringonça Nacional e 
 Furacão Cricas  para um bate-paro, uma conversa de pe´de orelha.

Assunto? as ponderosas razões invocadas pelo professor Martelo para dar por finda uma polémica de alto gabarito a nível indígena. Envolvia o ministro das finanças....

Dizia com ar de carneiro mal morto, o professor, já cansado de ouvir Furacão Cricas:
__ Sabe Furacão, você em parte tem razão, devemos defender as minorias, por uma questão de princípio. contudo, quando se faz um referendo, de que lado fica a "verdade"? É do lado das maiorias. Logo, compreenda o meu papel, se lhe der razão vou complicar ainda mais o nosso estado geral. e  é do interesse nacional acabar com pequenas tricas. eu sei que mentir é pecadso, mas sabe também que pode ser crime chamar mentiroso a quem apenas faltou à verdade. Sabe que pode haver uma amnésia lacunar, pode ter havido uma concentração da mente noutro assunto, nesse preciso momento e ter surgido uma "branca", quem sabe? só Deus!

__ Lá está você com o seu discurso de padre__ atalljou com argucia,  a insinuante Furacão__ Deus não é para aqui chamado. O gajo mentiu, ponto final! Se se abre um precedente destes e não há sanções isto vai para o charco! não se pode destruir o direito constitucional da defesa das minorias, e agora, ponto final, parágrafo!

__Minha querida Furação, você sabe que eu sou um árbitro pedagógico, tolerante, quero levar a nau Geringonça a bom porto. Faça-me uma ajudinha, nesta querela,  que,  mais tarde talvez eu venha a  dar-lhe a si um empurraozinho quando estiver ao leme...

Furacão sorriu, piscou o olho e disse.
__Então,  professor,  está combinado. Eu calo os meus protestos e fico a aguardar. Compreendo a sua posição, às vezes um cartão amarelo é suficiente. O cartão vermelho é precipitação. O bom é inimigo do ótimo! Quanto eu for primeira ministra, então conto consigo!
Deu-lhe um beijo  respeitoso na testa, estilo «obrigado vovô»  e ficou aquele acordo de "cavalheiro e cavalheira» bem selado-

E lá foram, no carro da  Teresa Piderme, sabe-se lá para onde. Esta Geringolância é uma gigantesca Casa dos Segredos! Deus, lá no Observatório do Universo, ao ver este enternecedor espetáculo, sorriu com os seus botões, cofiou a barba branca e murmurou:
__ Portugal, assim , vai ter de passar muitas décadas no purgatório!